terça-feira, 31 de agosto de 2021

A minha primeira memória de… um jogo entre Portugal e Irlanda

Luís Vidigal procura fugir a Niall Quinn
As minhas primeiras memórias de jogos entre Portugal e República da Irlanda são de partidas em que estiveram frente a frente a chamada geração de ouro do futebol português, mas também uma das melhores gerações de sempre, se não mesmo a melhor, da seleção irlandesa.
 
A armada lusa, comandada por António Oliveira, era composta por jogadores como Fernando Couto, Jorge Costa, Rui Costa, João Pinto, Sá Pinto, Figo e Sérgio Conceição. Do outro lado, Mick McCarthy tinha à sua disposição um vasto leque de jogadores que atuavam Premier League, como o médio e capitão Roy Keane (Manchester United), o guarda-redes Shay Given (Newcastle), o lateral direito Stephen Carr e o defesa central Gary Doherty (ambos do Tottenham), o defesa central Richard Dunne (Manchester City), o defesa central Gary Breen (Coventry City), o lateral direito Gary Kelly, o lateral esquerdo Ian Harte e o avançado Robbie Keane (todos do Leeds), o lateral esquerdo Steve Staunton (Aston Villa), o médio defensivo Mark Kinsella (Charlton), o médio Matt Holland (Ipswich), o extremo Kevin Kilbane e o avançado Niall Quinn (ambos do Sunderland). E se olharmos para os futebolistas que competiam no Championship, dois nomes saltam à vista: o do lateral direito Steve Finnan (Fulham) e o do extremo Damien Duff (Blackburn). Era muita gente a jogar num nível bastante elevado, uma espécie de Inglaterra B. E se a estes juntarmos o defesa John O’Shea, que haveria de se estrear pela seleção meses mais tarde, temos aqui todos os principais nomes do futebol irlandês das duas últimas décadas.

segunda-feira, 30 de agosto de 2021

Da formação do Almada à Seleção A. Os antecessores de Gonçalo Inácio

Cinco canteranos do Almada que chegaram à seleção A
Convocado na quinta-feira por Fernando Santos para os encontros da seleção nacional A com a República da Irlanda e o Azerbaijão, de qualificação para o Mundial 2022, e o particular com o Qatar, o defesa central Gonçalo Inácio está a um pequeno passo de se tornar no quinto jogador com passagem pela formação do Almada Atlético Clube a jogar pela principal equipa das quinas. Um motivo de orgulho para um clube que milita presentemente na II Divisão Distrital da AF Setúbal, mas que até à viragem no milénio foi presença assídua nos campeonatos nacionais.
 

domingo, 29 de agosto de 2021

Sérvios no Benfica. Um treinador e onze jogadores na equipa principal antes de Radonjic

Dez sérvios que jogaram pelo Benfica antes de Radonjic
Desde há uma década para cá que se tem tornado comum o Benfica ter no plantel um jogador acabado cujo nome termina em “ic”. A península balcânica, nomeadamente a antiga Jugoslávia, há muito que está identificada como um autêntico viveiro de craques da bola, apesar de essa qualidade futebolística ser poucas vezes acompanhada pelos resultados das seleções nacionais.
 
Os quartos lugares nos Campeonatos do Mundo de 1930 e 1962 e as presenças em finais (sempre como finalista vencido) de Europeus em 1960 e 1968, foi o melhor que a antiga Jugoslávia alcançou. Após a dissolução, a Sérvia continuou a produzir craques em catadupa, mas ainda não conseguiu marcar presença num Campeonato da Europa nem passar a fase de grupos de um Mundial.

sábado, 28 de agosto de 2021

A minha primeira memória de… um jogo entre Real Madrid e Betis

Zidane em duelo com Marcos Assunção no Bernabéu
A minha primeira memória de um jogo entre o Real Madrid e o Betis faz-me recuar ao tempo dos galácticos, quando ano após ano o presidente merengue Florentino Pérez fazia questão de contratar a peso de ouro uma das principais estrelas do futebol mundial. Depois de Figo, Zidane e Ronaldo, o senhor que se seguiu foi o inglês David Beckham, que frente à formação de Sevilha iria precisamente fazer a estreia na Liga Espanhola, em pleno Santiago Bernabéu. No entanto, não era o único, uma vez que o homem do leme dava pelo nome de Carlos Queiroz, treinador português que sucedia a Vicente del Bosque.
 
Recordo-me que, nos dias que antecederam esse encontro de 30 de agosto de 2003, um jogador dos béticos tinha afirmado que o seu companheiro de equipa Joaquín era melhor do que Beckham. E durante as semanas anteriores, choveram comparações entre Figo e o inglês.

sexta-feira, 27 de agosto de 2021

quinta-feira, 26 de agosto de 2021

A minha primeira memória de um jogo entre... Tottenham e equipas portuguesas

 
Os minhotos, que nas duas épocas anteriores tinham caído logo na ronda de qualificação, apanharam o Tottenham nos oitavos de final. Na altura os spurs já não participavam nas competições europeias desde 1999-00, mas começavam cada vez a consolidar-se na primeira metade e até no primeiro terço da tabela classificativa da Premier League, apresentando um plantel invejável, recheado de jogadores internacionais como o guarda-redes inglês Paul Robinson (dono da baliza de Inglaterra no Mundial 2006), o central inglês Michael Dawson, o lateral direito francês Pascal Chimbonda, o lateral sul-coreano Lee Young-pyo, o médio defensivo costa-marfinense Didier Zokora, o médio finlandês Teemu Tainio, o extremo inglês Aaron Lennon, o avançado búlgaro Dimitar Berbatov, o avançado irlandês Robbie Keane, o avançado inglês Jermain Defoe e o avançado egípcio Mido. E havia ainda um jovem e talentoso médio marroquino chamado Adel Taarabt.
 

quarta-feira, 25 de agosto de 2021

terça-feira, 24 de agosto de 2021

A minha primeira memória de… um jogo entre Benfica e equipas holandesas

Simão Sabrosa vigiado de perto pelos defesas holandeses
Tenho uma vaga ideia de o Benfica ter defrontado o Feyenoord num jogo de pré-época em Guimarães em agosto de 2001 e bem presente um Benfica-Ajax em janeiro de 2003 num encontro particular, mas que servia para fazer regressar as “grandes noites europeias” ao velhinho Estádio da Luz a poucos meses de o reduto encarnado ser demolido, numa altura em que as águias levavam quase dois anos e meio sem participarem nas provas da UEFA.
 
No entanto, se nos cingirmos apenas a encontros oficiais, a minha primeira memória de um jogo entre o Benfica e uma equipa holandesa remonta a 21 de outubro de 2004, em partida da 1.ª jornada da fase de grupos da Taça UEFA. Na ocasião, o adversário foi o Heerenveen, em pleno novo Estádio da Luz.

segunda-feira, 23 de agosto de 2021

Os 10 jogadores com mais jogos pela União de Santarém na II Divisão B

Dez jogadores que ficaram na história da União de Santarém
Fundada a 23 de agosto de 1969 a partir da fusão do Sport Grupo Scalabitano “Os Leões” e o Sport Grupo União Operária, a União Desportiva de Santarém, tomou o lugar dos Leões de Santarém na II Divisão Nacional e esteve 32 anos consecutivos nos campeonatos nacionais, até 2001.
 
Nessas três décadas, os scalabitanos participaram por dez vezes na II Divisão Nacional, por três ocasiões na II Divisão B e somaram ainda 19 presenças na III Divisão Nacional.
 
Em termos de II B, os ribatejanos alcançaram a melhor classificação logo na edição inaugural, em 1990-91, tendo obtido um 10.º lugar na Zona Centro. Na época seguinte desceram de divisão, tal como em 1994-95.
 
Remetidos para os campeonatos distritais da AF Santarém entre 2001 e 2019, os ribatejanos participaram no Campeonato de Portugal em 2019-20 e 2020-21, tendo garantido a presença na edição inaugural da Liga 3.
 
Vale por isso a pena recordar os dez jogadores com mais jogos pela União de Santarém na II Divisão B.

domingo, 22 de agosto de 2021

sábado, 21 de agosto de 2021

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Famalicão na II Liga

Dez jogadores marcantes da história recente do Famalicão
Fundado a 21 de agosto de 1931, o Futebol Clube de Famalicão foi criado com o objetivo de ser o principal embaixador do concelho e iniciou a sua participação em competições de futebol nos anos 1930, chegou à I Divisão na década seguinte, viveu o maior período entre a elite do futebol português entre 1990 e 1994, mas foi em 2019-20 que atingiu a melhor classificação de sempre no primeiro escalão: o 6.º lugar.
 
Verde e branco foram as cores da primeira camisola envergada pelos famalicenses, que em 1938 adotaram o equipamento azul e branco, com o objetivo de obter filiação do FC Porto, algo que acabaria por não se tornar realidade, uma vez que os minhotos não receberam apoio material por parte dos portuenses.
 
Com um percurso marcado por altos e baixos, o Vila Nova participou na II Liga por seis vezes, entre 1994 e 1996 e entre 2015 e 2019. Paralelamente, passou grande parte da sua história na antiga II Divisão e também marcou presença nos campeonatos distritais da AF Braga, tendo ainda atingido as meias-finais da Taça de Portugal em 1945-46 e 2019-20.
 
Vale por isso a pena recordar os dez jogadores com mais jogos pelo Famalicão na II Liga.

sexta-feira, 20 de agosto de 2021

Onze ideal de jogadores que passaram por Vitória FC e União de Leiria

Vitória e União de Leiria vão medir forças na Liga 3
Dois históricos que já viveram melhores dias, Vitória de Setúbal e União de Leiria coincidiram em 15 temporadas na I Liga, todas a partir de 1979-80. Desde então os dois emblemas chegaram a finais da Taça de Portugal, participaram nas competições europeias e sentiram na pele descidas administrativas de duas divisões de uma assentada.
 
Ao longo desse percurso, sadinos tiveram nos seus quadros jogadores que já tinham pertencido aos leirienses e vice-versa. Vale por isso a pena conferir o nosso onze ideal de futebolistas que passaram pelos dois clubes, distribuídos por um sistema que está muito na moda, o 3x4x3.

quinta-feira, 19 de agosto de 2021

A minha primeira memória de um jogo entre... Partizan e equipas portuguesas

Quaresma de leão ao peito na deslocação do Sporting a Belgrado
O Partizan de Belgrado é um cliente habitual das equipas portuguesas nas competições europeias. O primeiro jogo de sempre da Taça dos Campeões Europeus foi precisamente um Sporting-Partizan no Jamor a 4 de setembro de 1955. E nas décadas seguintes os sérvios voltaram a defrontar os leões e mediram forças com Portimonense, FC Porto e Sp. Braga.
 
Embora já acompasse futebol no último semestre de 2000, quando os dragões eliminaram a então equipa da Jugoslávia na primeira ronda da Taça UEFA, não tenho qualquer memória desse duplo confronto que teve empate em Belgrado (1-1) e vitória portista nas Antas (1-0).
 
O que me recordo bem foi de a formação balcânica visitar o Sporting, também na primeira eliminatória da Taça UEFA, mas em 2002-03. Embora o emblema leonino vivesse uma espécie de ressaca após a conquista do título nacional, devido à ausência de Mário Jardel, ao castigo de João Vieira Pinto e às saídas de jogadores importantes para a vitória no campeonato como André Cruz, Phil Babb e Hugo Viana, o Partizan parecia ser um adversário acessível.

quarta-feira, 18 de agosto de 2021

Marcos Silva. O reforço leiriense que fez testes nos gigantes de Manchester

 

terça-feira, 17 de agosto de 2021

A minha primeira memória de um jogo entre... Benfica e PSV

Pablo Aimar colocou o Benfica em vantagem na Luz
Ainda não era nascido quando o PSV Eindhoven bateu o Benfica no desempate por grandes penalidades na final da Taça dos Campeões Europeus em 1988 e muito menos quando os holandeses eliminaram as águias nos quartos de final da Taça das Taças em 1975. Por outro lado, o futebol ainda não tinha entrado verdadeiramente na minha vida quando as duas equipas mediram forças por duas vezes na fase de grupos da Liga dos Campeões em 1998-99.
 
Assim sendo, a minha primeira memória de um jogo entre Benfica e PSV remonta a abril de 2011, quando os dois conjuntos de digladiaram nos quartos de final da Liga Europa. Na altura, a formação de Eindhoven não era propriamente um bicho-papão, mas tinha (e tem) um nome e uma história que impõe sempre algum respeito, mesmo para uma turma orientada por Jorge Jesus que, no ano e meio anterior, tinha conseguido a nível europeu golear os ingleses do Everton e os alemães do Hertha Berlim na Luz e vencer em deslocações teoricamente bastante complicadas nas casas de Everton, Marselha e Estugarda.

segunda-feira, 16 de agosto de 2021

domingo, 15 de agosto de 2021

Os 10 jogadores com mais jogos pelo O Elvas na II Divisão B

Dez jogadores marcantes para O Elvas na década de 1990
Fundado a 15 de agosto de 1947, "O Elvas" Clube Alentejano de Desportos nasceu de uma fusão improvável entre uma filial benfiquista e outra sportinguista, o Sport Lisboa e Elvas e o Sporting Clube Elvense, tendo feito a estreia na I Divisão três meses após a data da fundação, ocupando o lugar das águias elvenses no primeiro escalão.
 
Depois de o SL Elvas ter participado nos campeonatos de 1945-46 e 1946-47, O Elvas deu sequência às duas boas campanhas dos antecessores e manteve-se entre a elite do futebol português até 1950.
 
Embora se tenha tornado um clube mais representativo, o emblema de azul e oiro esteve afastado do patamar maior do futebol nacional até ao final da década de 1980, quando voltou à I Divisão para somar mais duas presenças.
 
Porém, caiu nas divisões secundárias em 1988. Após ter participado na edição inaugural da II Liga em 1990-91, competiu na II Divisão B entre 1991 e 1995 na Zona Sul e entre 1997 a 1999 na Zona Centro. Contudo, no século XXI estatelou-se nos campeonatos distritais da AF Portalegre e em 2014 e depois em 2018 extinguiu o futebol sénior.
 
Vale por isso a pena conferir os dez jogadores com mais jogos pelo O Elvas na II Divisão B.

sábado, 14 de agosto de 2021

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Portimonense na II Divisão B

Dez jogadores importantes para o Portimonense na década de 1990
Fundado a 14 de agosto de 1914 num sapateiro por um grupo de amigos que decidiu formar um clube de futebol, o Portimonense Sporting Clube nasceu na loja do sr. Amadeu Andrade, onde ficou logo definido que o equipamento seria composto por camisolas às riscas verticais pretas e brancas.
 
Campeão do Algarve pela primeira vez em 1937, os alvinegros desde tenra idade que ambicionou a promoção à I Divisão, mas depois de algumas tentativas frustradas, entre as quais uma final perdida com a Académica em Alvalade em 1949, a desejada subida à elite do futebol português aconteceu em 1976.
 
Dois anos depois o Portimonense foi despromovido, mas voltou ao primeiro escalão em 1979 para ficar durante onze temporadas consecutivas, atingindo o maior feito da sua história em 1984-85 ao alcançar o quinto lugar no campeonato e um consequente inédito apuramento europeu.
 
Seguiu-se um período de duas décadas sem grande sucesso a partir de 1990, tendo a equipa principal oscilado entre a II Liga e a II Divisão B até regressar à I Liga em 2010-11. Nessa travessia no deserto, os alvinegros passaram sete temporadas na II B, em 1992-93 e entre 1995 e 2001.
 
A estadia no patamar maior do futebol nacional foi apenas de uma época, mas depois os algarvios só tiveram de esperar meia dúzia de anos para voltar a estar entre os melhores, onde ainda se mantêm.
 
Vale por isso a pena recordar os dez jogadores com mais jogos pelo Portimonense na II Divisão B.

sexta-feira, 13 de agosto de 2021

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Loures na II Divisão B

Loures competiu na II Divisão B em 1990-91
Fundado a 13 de agosto de 1913 por um grupo de indivíduos muito ligados ao Sporting e que gostavam de jogar à bola no Casaréus - onde é hoje a Praça da Liberdade, junto à Câmara Municipal -, o Grupo Sportivo de Loures tem vivido o melhor período da sua história nos últimos anos.
 
Depois de ter alternado entre a antiga III Divisão e os distritais da AF Lisboa praticamente desde a década de 1960, o emblema da zona saloia participou na edição inaugural da II Divisão B, em 1990-91, não indo além de um 20.º e último lugar na Zona Sul.
 
Mais de duas décadas depois, o clube ascendeu em 2013 ao então recém-criado Campeonato Nacional de Seniores – e, entretanto, rebatizado Campeonato de Portugal – e desde então que tem competido nessa prova.
 
Em oito participações – vai para a nona em 2021-22 -, o Loures obteve a melhor classificação da sua história logo na época de estreia na competição, tendo obtido o 1.º lugar na Série G, o que lhe valeu o apuramento para a fase de promoção. Porém, nessa segunda etapa não foi além do oitavo lugar (em oito equipas).
 
Vale por isso a pena recordar os dez jogadores com mais jogos pelo Loures na II Divisão B.

quinta-feira, 12 de agosto de 2021

Uruguaios no Sporting. Cinco jogadores e dois treinadores antes de Ugarte

Os sete uruguaios que passaram pelo Sporting antes de Ugarte
Anunciado esta segunda-feira como reforço do Sporting, o médio Manuel Ugarte vai tornar-se no oitavo uruguaio da história leonina, juntando-se assim a um contingente onde se encontram dois campeões, um jogador e um treinador.
 
A história de charruas de leão ao peito não é longa, mas é antiga, uma vez que teve início no final da década de 1950, numa altura em que a seleção celeste já tinha conquistado dois Campeonatos do Mundo (1930 e 1950), nove Copas América (1916, 1917, 1920, 1923, 1924, 1926, 1935, 1942 e 1956) e duas medalhas de ouro em Jogos Olímpicos (1924 e 1928).

quarta-feira, 11 de agosto de 2021

Gold Cup depois da Liga das Nações. A grande retoma dos Estados Unidos

Seleção B norte-americana conquistou Gold Cup
Nos últimos dois meses, a seleção dos Estados Unidos conquistou o par de troféus mais importante da sua conferência, superando em ambas as ocasiões os eternos rivais mexicanos após prolongamento. Se vencer a Liga das Nações com a equipa mais jovem de sempre a disputar uma final já tinha sido suficientemente notável, os norte-americanos conseguiram exceder-se, ao arrecadar a Gold Cup com recurso a um plantel secundário. Está em marcha um novo período auspicioso da história futebolística dos Estados Unidos, em que se olha com propriedade para lá dos limites da conferência, e se coloca em causa o estabelecido domínio regional mexicano. 
 
É verdade que a equipa comandada por Gregg Berhalter acaba de se sagrar campeã da Gold Cup com cinco vitórias pela margem mínima em seis encontros disputados, e esse registo não é particularmente impressionante. No entanto, apresentar em campo um plantel maioritariamente jovem, com pouca ou nenhuma experiência internacional, sem tempo para um desejável entrosamento, constitui uma atenuante considerável. Além de ser uma espécie de seleção B dos Estados Unidos, esta foi a segunda equipa mais jovem de sempre em finais, superada apenas pela final da Liga das Nações, aspeto que vem colocar esta proeza num patamar de relevância superior. 

terça-feira, 10 de agosto de 2021

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Estrela de Vendas Novas na II Divisão B

Equipa do Estrela que alcançou a permanência na II B em 2003-04
Fundado a 10 de agosto de 1920, o Estrela Futebol Clube de Vendas Novas tem-se assumido desde o final da década de 1940 como um dos principais clubes do distrito de Évora e um participante assíduo das provas nacionais.
 
Depois de duas presenças na II Divisão Nacional em 1949-50 e 1952-53, o emblema vendas-novense foi alternando constantemente entre a III Divisão Nacional e a I Distrital da AF Évora até meados dos anos 1990, quando subiu pela primeira vez à II Divisão B em 1997.
 
Após uma primeira presença em 1997-98, o clube alentejano voltou a participar no campeonato da II B em 2003-04, 2004-05, 2006-07 e 2011-12. Na primeira de duas temporadas em que alcançou a permanência em campo nesse patamar competitivo, o treinador José Rocha tinha como adjunto um tal… Bruno Lage.
 
Vale por isso a pena recordar os dez jogadores com mais jogos pelo Estrela de Vendas Novas na II Divisão B.

domingo, 8 de agosto de 2021

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Oriental na II Divisão B

Dez jogadores que ficaram na história do Oriental
Fundado a 8 de agosto de 1946, o Clube Oriental de Lisboa nasceu da fusão de três clubes da zona oriental da capital, o Chelas Futebol Clube, Marvilense Futebol Clube e Grupo Desportivo "Os Fósforos", com o objetivo de formar um novo e mais pujante emblema lisboeta.
 
 Desportivamente os guerreiros de Marvila viveram o período áureo da sua história na década de 1950, quando somou cinco das sete presenças que tem na I Divisão (1950-51 e 1951-52, 1953-54, 1956-57 e 1957-58). Logo na estreia, em 1950-51, os lisboetas obtiveram a melhor classificação da sua história, o quinto lugar, tendo terminado o campeonato apenas atrás de Sporting, FC Porto, Benfica e Atlético.
 
Após uma travessia de década e meia na II Divisão, o popular C.O.L. voltou à elite do futebol português na década de 1970, participando nos campeonatos de 1973-74 e 1974-75.
 
Desde então que os orientalistas têm estado afastado dos grandes palcos, embora tenham competido na II Liga entre 2014 e 2016.
 
Em termos de II Divisão B, a formação lisboeta contabilizou 18 presenças em 23 possíveis entre 1990-91 e 2012-13, tendo na derradeira edição obtido o 2.º lugar a nível nacional e a consequente subida à II Liga.
 
Vale por isso a pena recordar os dez jogadores com mais jogos pelo Oriental na II Divisão B.

sábado, 7 de agosto de 2021

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Real SC no Campeonato de Portugal

Dez jogadores que ficaram na história do Real SC
Fundado a 7 de agosto de 1995, o Real Sport Clube nasceu da fusão do Grupo Desportivo de Queluz com o Clube Desportivo e Recreativo de Massamá com o intuito de criar na cidade de Queluz um emblema eclético e mais representativo.
 
A escolha do nome está relacionada com o Palácio Real de Queluz, ex-libris da cidade, enquanto as cores do clube (azul claro, preto e amarelo) é uma junção dos clubes que lhe deram origem.
 
Apesar da fusão ter acontecido, o Real SC assume como data de fundação a do Grupo Desportivo de Queluz (25 de dezembro de 1951), porque era o clube que tinha a inscrição regularizada na Federação Portuguesa de Futebol e que tinha as instalações que viriam a ser utilizadas pela nova agremiação.

quinta-feira, 5 de agosto de 2021

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Pinhalnovense no Campeonato de Portugal

Dez jogadores que ficaram na história do Pinhalnovense
Fundado a 5 de agosto de 1948, fruto da fusão entre o União Foot-Ball Clube e o Sociedade Recreativa, Literária e Instrução Musical Pinhalnovense, o primeiro fundado em 1910 e a segunda em 1938, o Clube Desportivo Pinhalnovense milita desde 1999-00 nos campeonatos nacionais, sendo que desde 2013-14 que compete no Campeonato de Portugal.
 
Até então, era o União Foot-Ball Clube, impulsionado pelo apoio do proprietário agrícola Santos Jorge, que se dedicava ao desporto e ao futebol em particular, ainda que com um percurso irregular. A acumulação de dívida levou a que a que os seus dirigentes tivessem a ideia de se associar à Sociedade Recreativa, Literária e Instrução Musical Pinhalnovense, que gozava de saúde financeira e dispunha de uma boa sede, na Rua Gago Coutinho e Sacadura Cabral.

quarta-feira, 4 de agosto de 2021

A minha primeira memória de… uma Volta a Portugal

Etapa da Volta a Portugal entre Palmela e Odivelas
A minha ligação ao ciclismo é familiar. O meu tio-avô Abilardo Lopes foi um ciclista importante no pelotão nacional durante a década de 1960, tendo representado clubes como Salgueiros e Costa do Sol, pelo que essa era, a seguir ao futebol, a modalidade mais seguida em minha casa. Desde sempre que tenho memória de o meu pai, seu sobrinho e afilhado, não perder uma etapa da Volta a Portugal e da Volta a França, que na altura eram transmitidas pelos canais da RTP em canal aberto.
 
No entanto, se me perguntarem qual foi efetivamente a primeira edição da Volta a Portugal de que tenho memória, digo que é a de 2000, pois recordo-me de Vítor Gamito ter sido o grande vencedor e de ter visto o pelotão ao vivo a meio de uma das etapas, numa zona mais rural do distrito de Setúbal. Com recurso à Internet, tudo me leva a crer que terá sido a etapa 2, uma tirada de 191 quilómetros que ligou Palmela a Odivelas a 25 de julho.

domingo, 1 de agosto de 2021

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Águias de Camarate na II Divisão B

Águias de Camarate competiu na II Divisão B em 1999-00
Fundado a 1 de agosto de 1950 por um grupo de jovens da freguesia de Camarate que trabalhavam em várias fábricas de Sacavém e resolveram criar um clube para entrar em torneios que se realizavam na altura, o Grupo Desportivo Águias de Camarate viveu o ponto alto da sua história em 1999-00, quando participou na II Divisão B – Zona Centro.

Nessa temporada, os verde e brancos viram-se obrigados a jogar em casa emprestada, no campo do CAC da Pontinha, devido à obrigatoriedade de o terreno de jogo ser relvado natural ou sintético. 
 
Com equipamentos adquiridos ao Águias de Sacavém, o emblema do concelho de Loures tornou-se um clube bastante respeitado a nível distrital, tendo competido pela primeira vez nos campeonatos nacionais em 1980-81, quando participou na III Divisão – Série E.
 
Numa altura em que o Águias de Camarate está remetido para os campeonatos distritais da AF Lisboa desde 2003, estando a competir no segundo escalão lisboeta (Divisão de Honra), vale a pena recordar os dez futebolistas com mais jogos pelo clube na II Divisão B.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...