quarta-feira, 30 de setembro de 2020

A minha primeira memória de… um jogo entre AC Milan e equipas portuguesas

João Pinto procura fugir a Maldini no jogo da 2.ª mão, em Alvalade
A minha primeira memória de um jogo entre o AC Milan e equipas portuguesas remonta aos últimos meses de 2001, quando o colosso italiano mediu forças com o Sporting na terceira eliminatória da Taça UEFA – infelizmente, já não fui a tempo das desavenças entre George Weah e Jorge Costa e do bis de Jardel em San Siro num encontro com o FC Porto em 1996.

Embora o AC Milan seja um nome que mete respeito no futebol europeu, a verdade é que os rossoneri não viviam um momento particularmente feliz. Carlos Ancelotti estava no comando técnico há apenas duas semanas, após o despedimento de Fatih Terim, e nem a chegada de Rui Costa estava a surtir efeitos positivos.  Na temporada anterior os milaneses não foram além de um sexto lugar no campeonato e já não venciam qualquer troféu desde que se sagraram campeões de Itália em 1998-99. Demasiado pouco para aquele que tinha sido o clube da moda do início da década de 1990.

terça-feira, 29 de setembro de 2020

segunda-feira, 28 de setembro de 2020

Os 10 jogadores com mais jogos pelo FC Porto na I Divisão

Dez jogadores que ficaram na história do FC Porto
Fundado a 28 de setembro de 1893 por obra e graça de António Nicolau d’Almeida, um comerciante do vinho do Porto que descobriu o futebol nas suas viagens a Inglaterra, o Futebol Clube do Porto chegou a estar inativo cerca de uma década, mas foi refundado a 2 de agosto de 1906, bem a tempo de se tornar não só num dos três clubes grandes de Portugal como no emblema português com mais troféus internacionais na modalidade.

Embora os dragões tenham renascido três anos depois do nascimento do Boavista e cinco antes do Salgueiros, deram um salto de popularidade que os vizinhos não conseguiram dar. “Foi fundamental o facto de o FC Porto ter crescido muito para lá das suas origens locais (Constituição), enquanto o Boavista (Boavista) e o Salgueiros (Paranhos) ficaram socialmente mais ligados a essas zonas, embora com adeptos e sócios espalhados por toda a cidade”, explica João Nuno Coelho, investigador, comentador e autor de diversos livros sobre futebol.

domingo, 27 de setembro de 2020

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Desportivo de Chaves na I Divisão

Dez jogadores que ficaram na história do Desportivo de Chaves
Fundado a 27 de setembro de 1949, o Grupo Desportivo de Chaves nasceu da fusão entre o então campeão distrital Flávia Sport Clube e o rival Atlético Clube Flaviense, tendo vivido o seu período áureo desde meados dos anos 1980 até ao final da década de 1990, quando somou 13 das 16 presenças que contabiliza na I Divisão.

Logo na segunda participação, no primeiro escalão em 1986-87, os transmontanos alcançaram o quinto lugar, classificação que lhes deu direito a disputar a Taça UEFA na época seguinte. Em 1989-90 o emblema azul e grená voltou a concluir o campeonato na quinta posição, mas dessa vez não teve direito a apuramento europeu.

sábado, 26 de setembro de 2020

Os 10 brasileiros com mais jogos pelo Estoril Praia na II Liga

Os dez canarinhos com mais jogos pelo Estoril na II Liga
Ao longo dos anos o Grupo Desportivo Estoril Praia foi ganhando a alcunha de canarinhos pelo amarelo a azul do equipamento, idêntico ao da seleção brasileira. As cores dos estorilistas justificam-se pelo amarelo do sol e o azul do mar, baluartes da zona da Linha de Cascais, mas se há algo que se tem tornado uma constante nas últimas décadas é a presença de futebolistas brasileiros no clube da Amoreira.

Na II Liga foram 76 entre 314 de todas as nacionalidades – 178 portugueses. Nesta que é a 17.ª presença do Estoril no segundo escalão, já foram utilizados o central Hugo Gomes (ex-Varzim), o médio Cícero e o avançado André Clóvis (ex-Leixões), enquanto o guarda-redes Thiago Rodrigues e o central Volnei Feltes (ambos ex-Internacional) e o lateral esquerdo Lucas Silva (ex-Académico de Viseu) foram convocados mas não saíram do banco de suplentes.

sexta-feira, 25 de setembro de 2020

Leo Chão acrescenta valor ao Louletano e causa estupefação em Setúbal

Leonardo Chão deixou o Vitória para jogar pelo Louletano em 2020-21
Causou estupefação aos adeptos do Vitória de Setúbal – se é que algo ainda os surpreende… – o anúncio de que Leo Chão, craque dos sub-23 sadinos na Liga Revelação e cujo futebol vinha a reclamar mais oportunidades na equipa principal ainda em contexto de I Liga, tinha assinado pelo Louletano, precisamente um concorrente direto dos setubalenses na luta pelo primeiro lugar da Série H do Campeonato de Portugal.

Como é possível que um jogador formado no clube, natural de Setúbal e que tinha tudo para ter protagonismo neste novo Vitória tivesse saído para um clube não só da mesma divisão, mas da mesma série?

quinta-feira, 24 de setembro de 2020

Participação no Vivó Vitórria Podcast - Nova equipa técnica



Análise da nova equipa técnica da equipa sénior. O que esperar? Aposta de risco? Seria o que o Vitória necessitava? Assista ao vídeo! (gravado a 12 de agosto)

A minha primeira memória de… um jogo entre Sporting e equipas escocesas

Liedson em dificuldades para se impor ante os defesas escoceses
Tendo eu nascido em 1992 e só ter pouco mais de um ano e meio quando o Sporting defrontou o Celtic numa eliminatória da Taça UEFA no final de 1993, as minhas primeiras memórias de jogos entre leões e equipas escocesas remontam a abril de 2008, quando os verde e brancos mediram forças com o Glasgow Rangers nos quartos de final da segunda prova europeia.

Na altura, ainda estava fresca a campanha que tinha levado o Sporting à final da Taça UEFA em 2005. Por isso, a equipa portuguesa tinha razões para acreditar que podia chegar longe na competição, até porque vinha da Liga dos Campeões, onde só tinha sido superado pelo Manchester United e pela Roma na fase de grupos, antes de ter afastado Basileia e Bolton da Taça UEFA.

quarta-feira, 23 de setembro de 2020

Os 10 brasileiros com mais jogos pelo Belenenses na I Divisão

Dez jogadores brasileiros importantes na história do Belenenses
A história de futebolistas brasileiros no Belenenses é extensa e longa. Extensa porque 125 jogadores oriundos de terras de Vera Cruz representaram o clube na I Divisão. Longa porque teve início em setembro de 1958, quando Tonho se estreou com a Cruz de Cristo ao peito num jogo em casa para o campeonato frente à CUF.

terça-feira, 22 de setembro de 2020

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Vitória de Guimarães na I Divisão

Dez futebolistas que ficaram na história do Vitória de Guimarães
Fundado oficialmente a 22 de setembro de 1922, o Vitória Sport Clube deve as suas origens a um conjunto de estudantes que em 1913 constituiu um grupo de futebol ao qual deram em 1918 o nome de Vitória.

Filiados à Associação de Futebol de Braga desde que existem, os vimaranenses obtiveram em 1934 a primeira conquista da sua história, o campeonato distrital de Braga, estreando-se na I Divisão em 1941.

Desde então que passaram quase toda a sua história no patamar maior do futebol português, com exceção a três épocas na década de 1950 (1955-56 a 1957-58) e uma já no século XXI (2006-07). Feitas as contas, os conquistadores vão participar pela 76.ª vez no primeiro escalão em 2020-21, tendo como melhor classificação de sempre o terceiro lugar obtido em quatro ocasiões: 1968-69, 1986-87, 1997-98 e 2007-08.

domingo, 20 de setembro de 2020

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Esperança de Lagos na II Divisão B

Esperança de Lagos contabilizou quatro participações na II Divisão B
Fundado a 20 de setembro de 1912, o Clube de Futebol Esperança de Lagos sucedeu ao Lagos Football Clube e deve o seu nome à namorada de um dos fundadores, José Victor Adragão, que tinha um romance com Esperança Rodrigues.

O emblema lacobrigense, um dos mais antigos do Algarve, contabilizou sete presenças na II Divisão durante as décadas de 1970 e 1980. Após a reformulação dos quadros competitivos participou por quatro vezes (consecutivas) na II Divisão B, entre 1990-91 e 1993-94, tendo alcançado na primeira dessas temporadas, o 11.º lugar. Em termos de Taça de Portugal o melhor que conseguiu foi atingir os quartos de final em 1980-81.

sábado, 19 de setembro de 2020

Os 10 futebolistas com mais jogos no Campeonato de Portugal

Dez jogadores que já estão na história do Campeonato de Portugal
Implementado em 2013-14, o Campeonato de Portugal colocou um ponto final ao modelo que então vigorava imediatamente abaixo das ligas profissionais, surgindo como uma espécie de fusão entre as extintas II Divisão B e III Divisão que funciona como patamar intermédio entre a II Liga e as competições distritais.

Organizado pela Federação Portuguesa de Futebol, o inicialmente designado por Campeonato Nacional de Seniores terá em 2020-21 a sua 8.ª edição. Ao longo de quase uma década, a competição foi disputada por mais de sete mil jogadores que atuaram por um total de 181 clubes. Destes, cinco sagraram-se campeões: Mafra (2014-15 e 2017-18), Freamunde (2013-14), Cova da Piedade (2015-16), Real SC (2016-17) e Casa Pia (2018-19).

sexta-feira, 18 de setembro de 2020

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Atlético na I Divisão

Atlético Clube de Portugal contabiliza 24 presenças na I Divisão
Fundado a 18 de setembro de 1942 fruto da fusão de dois clubes da zona ocidental de Lisboa, Carcavelinhos e União, o Atlético Clube de Portugal é um histórico do futebol português, que contabiliza 24 presenças na I Divisão.

Logo na primeira participação no primeiro escalão, em 1943-44, o emblema de Alcântara obteve a sua melhor classificação de sempre, o 3.º lugar, tendo-a repetido em 1949-50. Nos anos seguintes a formação lisboeta fez furor na Taça de Portugal, ao chegar à final em 1945-46 e 1948-49, e melhorou e ampliou aquele que é ainda hoje o palco dos seus jogos em casa, o Estádio da Tapadinha.

quinta-feira, 17 de setembro de 2020

Hugo Machado, 38 anos. O que ainda poderá dar ao Cova da Piedade e à II Liga?

Hugo Machado vai voltar às ligas profissionais portuguesas
Lembro-me de ver Hugo Machado a assumir-se como o patrão do meio-campo do Sporting B. Era um médio com personalidade, que chegava à frente, que organizava o jogo e que gostava de armar o remate de meia distância. O meu falecido pai gostava muito de o ver em ação naquela altura, na Academia ou nos jogos frente ao Barreirense no antigo Estádio Dom Manuel de Mello, na II Divisão B – Zona Sul.

Agora, mais de uma década e meia depois, o antigo centrocampista dos quadros dos leões continuou de tal forma a dar cartas no terceiro escalão, desde 2013 denominado por Campeonato de Portugal, que, com 38 anos nas pernas e uma vasta experiência acumulada ao longo de uma carreira passada em grande parte no estrangeiro, deu novamente o salto para a II Liga. Isto porque o experientíssimo treinador Toni Pereira foi contratado para o Cova da Piedade e não hesitou em recrutar o organizador de jogo que tanta ajuda lhe deu nas três últimas épocas quando ambos coincidiram no Oriental, Real SCLoures.

quarta-feira, 16 de setembro de 2020

Uruguaios no Benfica. Cebola, Maxi e as promessas que ficaram por cumprir

Cinco dos sete jogadores uruguaios no Benfica atuaram na equipa principal
Contratado aos espanhóis do Almería por 24 milhões de euros, Darwin Núñez não só se tornou no jogador mais caro da história do Benfica como passou a ser na passada terça-feira, em Salónica, o oitavo jogador uruguaio a jogar por equipas dos encarnados.

Embora a seleção celeste tenha conquistado os seus dois títulos mundiais em 1930 e 1950, foi necessário esperar até ao século XXI para encontrar pela primeira vez futebolistas naturais do Uruguai a jogar de águia ao peito.

Apesar da demora, no verão de 2007 surgiram de uma assentada na Luz dois jogadores uruguaios. Curiosamente, ambos fizeram a estreia com a camisola encarnada na mesma partida, tiveram uma passagem positiva pelo clube e haveriam de rumar ao rival FC Porto quando deixaram o Benfica, embora com percursos distintos.

terça-feira, 15 de setembro de 2020

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Académico do Porto na I Divisão

Uma das equipas do Académico do Porto que jogou na I Divisão
Fundado a 15 de setembro de 1911 por um grupo de estudantes do Liceu Alexandre Herculano, o Académico Futebol Clube viveu o período de maior fulgor da sua história nas décadas de 1930 e 1940, quando participou por cinco vezes na I Divisão. Em 1934-35 e 1938-39 atingiu o sétimo lugar, a melhor classificação de sempre do clube.

Foi através dos esforços e do espírito empreendedor dos dirigentes e da massa associativa do emblema portuense que se começou a construir em 1923 o Estádio do Lima, que 14 anos depois viria a tornar-se o primeiro campo de futebol a nível nacional a ter um relvado como piso.

segunda-feira, 14 de setembro de 2020

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Riopele na I Divisão

Clube-empresa Riopele disputou a I Divisão em 1977-78
Fundado a 14 de setembro de 1958 pelos proprietários e por um grupo de trabalhadores da empresa têxtil Riopele, o Grupo Desportivo Riopele teve uma existência curta, de cerca de 27 anos, mas fez o que muitos emblemas centenários não conseguiram: chegar à I Divisão.

A agremiação desportiva sediada em Pousada de Saramagos, no concelho de Vila Nova de Famalicão, disputou o primeiro escalão do futebol português em 1977-78, não indo além do 15.º e penúltimo lugar, que ditou a despromoção no final dessa temporada.

domingo, 13 de setembro de 2020

A minha primeira memória de… um jogo entre Benfica e equipas gregas

Médio benfiquista Gilles Binya numa bola dividida no Pireu
A minha primeira memória de um jogo entre o Benfica e equipas gregas remonta a 27 de novembro de 2008, quando as águias se deslocaram ao Pireu para defrontar o Olympiacos num encontro da fase de grupos da Taça UEFA.

Afinal, só acompanho futebol desde meados de 2000, já os encarnados tinham defrontado o PAOK em 1999-00, e apenas tenho remotas memórias de alguns jogos particulares com o AEK e o Panathinaikos nos anos seguintes.

Embora tivesse a hegemonia do futebol grego, o Olympiacos vinha a fazer campanhas discretas nas competições europeias, não indo além dos oitavos de final da Liga dos Campeões em 2007-08. Nesse aspeto até o rival Panathinaikos parecia mais pujante, uma vez que tinha atingido os quartos de final da Champions em 2001-02 e quartos da Taça UEFA em 2002-03.

sábado, 12 de setembro de 2020

Os 10 jogadores portugueses com mais jogos na Liga Holandesa

Dez futebolistas portugueses que passaram pela Eredivise
De regresso ao ativo após cinco meses de interrupção o que levou a que a temporada passada fosse precocemente dada como concluída, a sempre espetacular Liga Holandesa foi fundada em 1956, quando foi abandonado o sistema de eliminatórias que definia o campeão nacional desde 1898.

A Eredivisie já foi disputada por 53 clubes e coroou 10 como campeões: Ajax (26), PSV Eindhoven (21), Feyenoord (10), AZ Alkmaar (dois), Sparta Roterdão, Willem II, FC Twente, DOS, DWS e Rapid JC (todos um) foram as equipas que venceram a competição.

sexta-feira, 11 de setembro de 2020

Nigerianos no FC Porto. Só dois em 11 jogaram na equipa principal

11 nigerianos estiveram no FC Porto, mas só dois atuaram na equipa principal
O jovem lateral esquerdo Zaidu Sanusi (ex-Santa Clara) deverá tornar-se em breve 12.º jogador nigeriano a jogar por equipas do FC Porto, porém, caso venha a estrear-se na formação às ordens de Sérgio Conceição, será apenas o terceiro a atuar pela equipa principal dos azuis e brancos.

No Dragão, a história de jogadores naturais da Nigéria, simplesmente o país com mais presenças na Taça das Nações Africanas (15, as mesmas do Egito) e mais títulos mundiais de sub-17 (cinco), é relativamente recente, tendo pouco mais de uma década.

quinta-feira, 10 de setembro de 2020

Os 10 futebolistas com mais jogos na II Liga

Dez futebolistas que quase anonimamente têm feito história na II Liga
Implementada em 1990-91, a II Liga colocou um ponto final ao modelo que então vigorava no segundo escalão, em que havia três zonas (norte, centro e sul), e passou a concentrar num único campeonato as subidas à I Liga e as descidas à antiga II Divisão B.

Organizada pela Liga Portugal, a II Liga terá em 2020-21 a sua 31.ª edição. Ao longo de três décadas, a competição foi disputada por mais de seis mil jogadores que atuaram por um total de 75 clubes. Destes, 21 sagraram-se campeões, sendo que Paços de Ferreira (quatro títulos), Beira-Mar, Moreirense, Rio Ave, Estoril e Gil Vicente (todos dois) são os seis emblemas que já venceram o campeonato por mais do que uma ocasião.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...