quarta-feira, 20 de junho de 2018

Inglaterra. Bolas paradas disfarçaram excesso de cautelas

Primeira substituição de Southgate passou pela saída de Sterling

Para a história vão ficar o bis de Harry Kane e os três pontos amealhados, mas quem viu o duelo de segunda-feira com a Tunísia facilmente reconhecerá que os dois golos de bola parada disfarçam uma exibição menos conseguida de Inglaterra em jogo corrido, sobretudo na segunda parte.

A falta disponibilidade física e mental poderão ser argumentos válidos para justificar um eventual desempenho negativo de uma seleção favorita num tipo de competição como o Campeonato do Mundo, mas os ingleses correram o risco de perder dois pontos muito por culpa do excesso de cautelas com que abordaram a partida.

Alcançar Eusébio. O próximo objetivo de Ronaldo


terça-feira, 19 de junho de 2018

segunda-feira, 18 de junho de 2018

Aaron Mooy. O operário mais elegante dos Socceroos

Aaron Mooy é titula indiscutível no meio-campo australiano

A Austrália não conseguiu surpreender a França no arranque do Mundial, não somou qualquer ponto, mas deixou a imagem de uma equipa com uma alma imensa, ciente das suas fragilidades, mas a querer praticar um futebol apoiado e sobretudo a fazer da entrega ao jogo a sua principal arma. No capítulo da combatividade, poucas seleções do torneio estarão ao nível dos Socceroos.

Numa formação recheada de operários dispostos a sacrificar-se pelo coletivo até à última gota de suor, o que mostrou mais capacidade para simultaneamente sujar os calções e mostrar alguma classe foi Aaron Mooy, médio dos ingleses do Huddersfield.

sábado, 16 de junho de 2018

Moreirense ganha em Fábio Pacheco o ‘6’ ideal para o xadrez de Ivo Vieira

Fábio Pacheco assinou por três épocas pelo Moreirense
Ciente da necessidade de reforçar o meio-campo devido às saídas já anunciadas de Boubacar, Alan Schons e Bruno Ramires – vai rumar ao Marítimo, ao que tudo indica -, todos em final de contrato, e à provável venda de Alfa Semedo, o Moreirense anunciou, no dia 6, a contratação do ex-maritimista Fábio Pacheco, 30 anos, para as próximas três temporadas.

É verdade que só o desempenho do jogador vai permitir uma avaliação mais palpável, mas esta é, em perspetiva, uma grande aquisição. Os minhotos acabam de garantir um centrocampista de características defensivas, capaz de alinhar a central e a ‘8’, com experiência de I Liga e à procura de reafirmar-se no primeiro escalão, depois de uma temporada não muito conseguida nos Barreiros.

sexta-feira, 15 de junho de 2018

GD Fabril. Obras no Estádio João Pedro já arrancaram

Sintético será instalado e pista de atletismo eliminada

O Estádio João Pedro, palco dos jogos das camadas jovens do Grupo Desportivo Fabril, no Lavradio (Barreiro), vai receber um relvado sintético, e as obras de remodelação do recinto arrancaram já no decorrer desta semana.

Além da colocação do novo piso, que vai substituir um relvado natural que há muito que se encontrava em condições pouco favoráveis à prática do futebol, será eliminada a pista de atletismo de terra batida que circundava o relvado.

quinta-feira, 14 de junho de 2018

A minha primeira memória de… um Mundial

Golo de Papa Bouba Diop foi o primeiro que vi num Mundial

Tendo nascido eu em 1992, ainda não via futebol em 1998 – e muito menos em 1994 -, pelo que a minha primeira memória da fase final de um Campeonato do Mundo remonta a 2002. Nas semanas anteriores, tinha devorado revistas e recortes de jornais com informações não só sobre as 32 seleções, mas também sobre os países representados. Sabia quase tudo sobre cada um. Frequentava o 4.º ano e, por morar perto da escola, ia almoçar a casa. E foi precisamente à hora de almoço que começou o jogo inaugural desse torneio organizado por Coreia do Sul e Japão.  

sábado, 9 de junho de 2018

Os favoritos, as possíveis surpresas e as tradições. Quem ultrapassará a fase de grupos do Mundial 2018?

Tudo a postos na Rússia para o 21.º Campeonato do Mundo
A espera está prestes a terminar. Quatro anos depois, o Campeonato do Mundo está de regresso. Ao longo das últimas semanas, sobretudo após a conclusão das competições de clubes, os feitos de jogadores e seleções de outrora foram relembrados vezes sem conta. Os Mundiais que consagraram Pelé (1958 e 1970) e Maradona (1986) lideram o leque de recordações, onde não faltam os elogios aos desempenhos da Holanda de 1974 e ao Brasil de 1982 ou das peripécias das vitórias caseiras de Inglaterra (1966), Argentina (1978) e França (1998).

domingo, 3 de junho de 2018

Dos rótulos das garrafas de vinho ao contrato com o Benfica. Eis João Amaral

João Amaral assinou pelo Benfica até junho de 2021

O percurso de João Amaral no futebol português desafia toda a lógica: 1) Natural de Vila Nova de Gaia, não passou nem pela formação de um grandes nem pela de um dos principais clubes da Área Metropolitana do Porto; 2) Quando subiu a sénior, passou sete temporadas nos escalões inferiores, tendo estado emprestado pelo Pedras Rubras há apenas três anos; 3) Nem sempre o futebol foi a sua única atividade, tendo trabalhado enquanto jogava; 4) Chegou à I Liga à beira dos 25 anos e não precisou de muitos jogos para se tornar numa das principais figuras do Vitória de Setúbal; 5) Após duas excelentes temporadas no Sado, vinculou-se ao Benfica.

segunda-feira, 28 de maio de 2018

Rui Costa venceu a única Champions sem clubes portugueses: Foi assim que aconteceu... há 15 anos

Pela primeira e única vez desde que se chama Liga dos Campeões (1992-93), a prova não contou com a presença de qualquer equipa portuguesa na fase de grupos em 2002-03. Nessa época, o campeão Sporting precisou de jogar a terceira pré-eliminatória, mas foi afastado pelo Inter de Milão. O vice-campeão Boavista também esteve na fase preliminar, mas depois de eliminar os malteses do Hibernians acabou por cair na terceira pré-eliminatória, aos pés dos franceses do Auxerre. Ambos foram recambiados para a então Taça UEFA, que acabou por ser conquistada pelo... FC Porto.

sábado, 26 de maio de 2018

Verdade desportiva. A classificação da II Liga sem Gil Vicente (e sem Sporting B e restantes bês)

U. Madeira e Sp. Covilhã na lutaram pela permanência

A edição 2017/18 da II Liga ficou marcada pela decisão administrativa, a meio do campeonato, de integrar o Gil Vicente no primeiro escalão, em virtude do desfecho do Caso Mateus. Lida a sentença, a equipa de Barcelos deixou de ter objetivos concretos, perdeu competitividade e caiu a pique na tabela classificativa, terminando mesmo zona de despromoção.

Na próxima época, antes de regressar à I Liga, os minhotos vão competir no Campeonato de Portugal, mas os resultados dos seus jogos não contarão. A possibilidade de os pontos obtidos nos jogos dos gilistas não serem contabilizados já na temporada que agora se concluiu chegou a estar em cima da mesa, mas acabou por não se concretizar.

sexta-feira, 25 de maio de 2018

Arnautovic. Ainda cheira a Zlatan em Inglaterra

Arnautovic foi o melhor marcador do West Ham em 2017/18

Não há campeonato mais competitivo do que o inglês. Todas as equipas, do topo ao fundo da tabela, contam com jogadores internacionais, recrutados em clubes grandes de outros países. Ainda esta época, futebolistas conceituados como Shaqiri, Salomón Rondón ou os irmãos Ayew não evitaram a descida de divisão de Stoke City, West Bromwich e Swansea, respetivamente.

Há estrelas por todo o lado e também não faltam num West Ham que, apesar do 13.º lugar final, contava com internacionais como Zabaleta, Lanzini, Chicharito, João Mário, Joe Hart, Evra e Chicharito, sendo os três últimos presenças habituais no… banco. O próprio José Fonte, um dos mais utilizados por Fernando Santos na qualificação para o Mundial 2018, sentiu dificuldades e conquistar uma vaga no onze e acabou por rumar à China.