segunda-feira, 27 de setembro de 2021

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Desportivo de Chaves na II Liga

Dez jogadores emblemáticos do Desportivo de Chaves
Fundado a 27 de setembro de 1949, o Grupo Desportivo de Chaves nasceu da fusão entre o então campeão distrital Flávia Sport Clube e o rival Atlético Clube Flaviense, tendo vivido o seu período áureo desde meados dos anos 1980 até ao final da década de 1990, quando somou 13 das 16 presenças que contabiliza na I Divisão.
 
Logo na segunda participação, no primeiro escalão em 1986-87, os transmontanos alcançaram o quinto lugar, classificação que lhes deu direito a disputar a Taça UEFA na época seguinte. Em 1989-90 o emblema azul e grená voltou a concluir o campeonato na quinta posição, mas dessa vez não teve direito a apuramento europeu.
 
Após 13 presenças no patamar maior do futebol português entre 1985 e 1999 – a exceção foi em 1993-94, quando disputou a II Liga –, o Desportivo de Chaves ficou 17 anos arredado da elite, tendo regressado em 2016 para mais três épocas entre os grandes. Pelo meio, foi finalista vencido da Taça de Portugal em 2009-10, numa temporada em que até desceu à II Divisão B.
 
Numa altura em que o Desportivo de Chaves está a participar pela 16.ª vez na II Liga, vale a pena recordar os dez jogadores com mais jogos pelos flavienses no segundo escalão.

sexta-feira, 24 de setembro de 2021

Os 10 melhores combates da carreira de Bret Hart

Bret Hart conquistou o título mundial por cinco vezes
Um dos grandes nomes da indústria do pro wrestling, Bret Hart estreou-se nos ringues em 1976 como árbitro da Stampede Wrestling, tendo chegado à WWF em 1984 e conquistado o primeiro de cinco títulos mundiais na companhia em 1992.
 
Após quase uma dezena de conquistas e outro tipo de prémios, protagonizou algumas das mais acesas rivalidades e alguns dos mais brilhantes combates da década de 1990, frente a adversários como o irmão Owen Hart, o cunhado British Bulldog, Shawn Michaels e “Stone Cold” Steve Austin.
 
Ao fim de 13 anos na WWF, despediu-se com o controverso Montreal Screwjob no Survivor Series 1997 e rumou à rival WCW, à qual esteve vinculada até 2000, quando anunciou a retirada depois de ter sofrido uma grave concussão num combate diante de Goldberg.

quinta-feira, 23 de setembro de 2021

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Belenenses na I Divisão

Dez figuras incontornáveis da história do Belenenses
Fundado a 23 de setembro de 1919 depois de entusiásticas reuniões num banco de jardim na zona de Belém, o Clube de Futebol “Os Belenenses” pouco tempo depois da extinção daquele que viria a ser o seu gene aglutinador, o Sport União Belenense.
 
Rapidamente os azuis se tornaram num dos principais emblemas do futebol português. Na década de 1920 iniciaram um percurso que os levaria à conquista de seis Campeonatos de Lisboa (1925-26, 1928-29, 1929-30, 1931-32, 1943-44 e 1944-45) e três Campeonatos de Portugal (1926-27, 1928-29 e 1932-33).
 
Entretanto foi criada a I Divisão e o emblema da Cruz de Cristo continuou a perfilar-se como um candidato aos primeiros lugares. Em 1945-46 sagrou-se mesmo campeão nacional, tendo ainda concluído a prova em 2.º lugar em quatro ocasiões (1936-37, 1944-45, 1954-55 e 1972-73) e na 3.ª posição por 14 vezes (1939-40, 1940-41, 1941-42, 1942-43, 1946-47, 1947-48, 1948-49, 1952-53, 1955-56, 1956-57, 1958-59, 1959-60, 1975-76 e 1987-88) ao longo de 77 presenças – a última aqui considerada é a de 2017-18, antes de cisão definitiva entre clube e SAD.
 
Paralelamente, os azuis do Restelo conquistaram a Taça de Portugal por três vezes, em 1941-42, 1959-60 e 1988-89, e chegaram à final por mais cinco ocasiões (1939-40, 1940-41, 1947-48, 1985-86 e 2006-07).
 
Vale por isso a pena recordar os dez jogadores com mais jogos pelo Belenenses na I Divisão.

quarta-feira, 22 de setembro de 2021

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Vitória de Guimarães na II Liga

Dez jogadores que ajudaram o Vitória a voltar à I Liga
Fundado oficialmente a 22 de setembro de 1922, o Vitória Sport Clube deve as suas origens a um conjunto de estudantes que em 1913 constituiu um grupo de futebol ao qual deram em 1918 o nome de Vitória.
 
Filiados à Associação de Futebol de Braga desde que existem, os vimaranenses obtiveram em 1934 a primeira conquista da sua história, o campeonato distrital de Braga, estreando-se na I Divisão em 1941.
 
Desde então que passaram quase toda a sua história no patamar maior do futebol português, com exceção a três épocas na década de 1950 (1955-56 a 1957-58) e uma já no século XXI (2006-07). Feitas as contas, os conquistadores vão participar pela 76.ª vez no primeiro escalão em 2020-21, tendo como melhor classificação de sempre o terceiro lugar obtido em quatro ocasiões: 1968-69, 1986-87, 1997-98 e 2007-08.
 
Relativamente a outras competições, os vitorianos venceram a Supertaça Cândido de Oliveira em 1988 e a Taça de Portugal em 2012-13.
 
Paralelamente, os minhotos interromperam em 2006 uma série de 48 anos consecutivos no primeiro escalão, tendo participado na II Liga em 2006-07 e assegurado logo nessa temporada o regresso à elite do futebol nacional.
 
Vale por isso a pena recordar os dez jogadores com mais jogos pelo Vitória de Guimarães na II Liga.

terça-feira, 21 de setembro de 2021

João Ricardo. De único jogador sem clube no Mundial 2006 às componentes para carpintaria

João Ricardo jogou 29 vezes pela seleção angolana
Em 736 jogadores que estiveram no Mundial 2006, 735 tinham clube. O outro era o João Ricardo. Ainda assim foi o titular da baliza da seleção de Angola nos três jogos da competição. Antigo guarda-redes de Académico Viseu, Salgueiros, Moreirense e Petro de Luanda, fez história pelos Palancas Negras e sofreu os primeiros golos da carreira de Cristiano Ronaldo, mas está agora ligado ao ramo da carpintaria e com as portas do futebol encerradas.
 
Em entrevista, o antigo guardião passa em revista a carreira e fala da situação atual do futebol angolano, mostrando-se bastante crítico para com o dirigismo atual, crendo que o nível do Girabola tem vindo a decrescer de época para época.

domingo, 19 de setembro de 2021

Os recordes da I Distrital da AF Évora desde 2000-01

Mais e menos pontos, golos marcados, golos sofridos, vitórias derrotas e empates. Desde 2000-01, vários clubes entraram para a história da I Divisão Distrital da Associação de Futebol de Évora pelos melhores e pelos piores motivos. Três foram campeões invictos, quatro concluíram o campeonato sem qualquer vitória. Dá para tudo, até para uma equipa sem derrotas que não foi campeã e para outra que tem motivos para não se orgulhar de um registo de três dígitos.  
 

sábado, 18 de setembro de 2021

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Atlético na II Liga

Dez jogadores marcantes da história recente do Atlético
Fundado a 18 de setembro de 1942 fruto da fusão de dois clubes da zona ocidental de Lisboa, Carcavelinhos e União, o Atlético Clube de Portugal é um histórico do futebol português, que contabiliza 24 presenças na I Divisão.
 
Logo na primeira participação no primeiro escalão, em 1943-44, o emblema de Alcântara obteve a sua melhor classificação de sempre, o 3.º lugar, tendo-a repetido em 1949-50. Nos anos seguintes a formação lisboeta fez furor na Taça de Portugal, ao chegar à final em 1945-46 e 1948-49, e melhorou e ampliou aquele que é ainda hoje o palco dos seus jogos em casa, o Estádio da Tapadinha.
 
Os carroceiros viveram entre as décadas de 1940 e 1970 o seu período de maior fulgor, tendo desaparecido da elite do futebol nacional em 1977, após a descida à II Divisão. Entre 2011 e 2016 participou na II Liga, tendo alcançado como melhor classificação o 9.º lugar em 2011-12, mas depois seguiu-se uma queda abrupta até aos distritais da AF Lisboa.
 
Em cinco participações na II Liga, 123 futebolistas representaram o Atlético. Vale por isso a pena recordar os dez que o fizeram por mais vezes.

sexta-feira, 17 de setembro de 2021

quarta-feira, 15 de setembro de 2021

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Sporting na Liga dos Campeões

Dez jogadores que mais vezes atuaram pelo Sporting na Champions
Prestes a iniciar a 18.ª participação na Taça/Liga dos Campeões, a nona das quais no atual formato, o Sporting Clube de Portugal regressa a uma competição em que fez história ao marcar presença primeiro jogo de sempre, a 4 de setembro de 1955, um empate a três golos no Jamor diante do Partizan de Belgrado.
 
No entanto, a melhor prestação de sempre dos leões na prova aconteceu em 1982-83, com a caminhada até aos quartos de final. Desde que existe o formato de fase de grupos, o melhor que os verde e brancos almejaram foi chegar aos oitavos de final em 2008-09.
 
Feitas as contas, o emblema leonino contabilizou 23 vitórias, 13 empates, 42 derrotas, 101 golos marcados e 137 sofridos em 78 encontros na Champions.
 
No total, 211 futebolistas representaram o Sporting na Taça/Liga dos Campeões. Vale por isso a pena recordar os dez que o fizeram por mais vezes.

terça-feira, 14 de setembro de 2021

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Benfica na Liga dos Campeões

Dez jogadores que fizeram história no Benfica
Duas vezes campeão europeu, o Sport Lisboa e Benfica vai esta época participar pela 38.ª vez na Taça/Liga dos Campeões e reforçar o estatuto de uma das equipas com mais presenças na prova, depois do Real Madrid (52) e em igualdade com o Bayern Munique.
 
Na estreia na competição, em 1957-58, os encarnados foram prontamente afastados logo na primeira eliminatória pelo Sevilha. Na participação seguinte, em 1960-61, sagrou-se campeão europeu ao bater o Barcelona na final por 3-2. E na temporada que se seguiu revalidou o título, ao levar a melhor sobre o Real Madrid no jogo decisivo (5-3).
 
Além desses triunfos, as águias também atingiram a final em 1962-63, 1964-65, 1967-68, 1987-88 e 1989-90, tendo ainda chegado às meias-finais em 1971-72 e aos quartos de final em 1965-66, 1968-69, 1975-76, 1977-78, 1983-84, 1994-95, 2005-06, 2011-12 e 2015-16.
 
Feitas as contas, o emblema da Luz contabilizou 105 vitórias, 54 empates, 81 derrotas, 384 golos marcados e 279 sofridos em 240 encontros na Champions.
 
No total, 305 futebolistas representaram o Benfica na Taça/Liga dos Campeões. Vale por isso a pena recordar os dez que o fizeram por mais vezes.

segunda-feira, 13 de setembro de 2021

Os 10 jogos mais marcantes de equipas portuguesas na fase de grupos da Champions

FC Porto, Benfica e Sporting vão estar na Champions em 2021-22
A abertura da Liga dos Campeões a equipas não campeãs das principais ligas após a mudança de formato, em 1992, dificultou ainda mais a missão das equipas portuguesas, sem os mesmos argumentos de alguns dos principais emblemas de Inglaterra, Espanha, Itália e Alemanha. No entanto, os clubes lusos também têm tido os seus momentos de brilho, com destaque para a conquista do título europeu por parte do FC Porto em 2003-04.
 
Os dragões, que vão para a 25.ª presença, estão entre os emblemas com mais assíduos na competição. O Sporting vai para a nona participação, ao passo que o Benfica está prestes a iniciar a 16.ª presença e Boavista e Sp. Braga contabilizam duas cada.
 
Vale por isso a pena conferir a nossa lista de dez jogos mais marcantes de equipas portuguesas na fase de grupos da Champions.

domingo, 12 de setembro de 2021

“EUA estão mais próximos de desenvolver talentos dignos de um Mundial do que há cinco anos” – Phil West

Phil West escreveu livro sobre potencial do futebol dos EUA
Poucos meses após a dramática derrota em Trinidad e Tobago que ditou a ausência da seleção norte-americana do último Campeonato do Mundo, Phil West, um dos cronistas mais respeitados no universo do soccer, publicou I Believe That We Will Win (2018), um livro que discorre sobre o potencial dos Estados Unidos em triunfar no Campeonato do Mundo num futuro próximo.
 
Através de um conjunto robusto de testemunhos de jogadores, treinadores e jornalistas, Phil West dá-nos o devido enquadramento histórico e futebolístico, explicando-nos passo a passo de que forma é que isso poderá acontecer.
 
Passados três anos sobre a publicação do livro, e em vésperas da Fase Final da Liga das Nações da CONCACAF, o Soccer em Português decidiu convidar o autor para uma entrevista exclusiva, e tentar perceber se o seu otimismo ainda se mantém.

sexta-feira, 10 de setembro de 2021

André Macanga. O Mundial, a passagem pelo FC Porto e a mudança de Mantorras

André Macanga jogou 70 vezes pela seleção de Angola
Um dos heróis que qualificou Angola para o Mundial 2006 e que dignificou os Palancas Negras no torneio que se realizou na Alemanha, André Macanga recorda a vitória no Ruanda, revela os segredos da geração de ouro angolana e a sensação de capitanear a seleção.

Em entrevista, o antigo médio passa em revista uma carreira que teve início no modesto Arrifanense e que teve passagens por clubes como FC Porto, Salgueiros, Alverca, Vitória de Guimarães, Académica e Boavista, conta porque não assinou pelo Benfica apesar do interesse encarnado e confessa desilusão pela mudança de comportamento do seu protegido Mantorras quando este se mudou para a Luz.
 

quinta-feira, 9 de setembro de 2021

A minha primeira memória de… um jogo entre Argentina e Bolívia

Dia de sonho para a Bolívia e de pesadelo para a Argentina
1 de abril de 2009. O que parecia ser uma piada do dia das mentiras tornou-se mesmo realidade. Uma Argentina com Diego Maradona no comando técnico e Lionel Messi em campo não teve oxigénio suficiente para travar aquela que foi conhecido como o Massacre de La Paz, a mais de 3600 metros de altitude: 6-1 para a Bolívia.
 
Curiosamente, cerca de dois anos antes a FIFA decidiu proibir jogos internacionais em locais com altitude superior a 2500 metros, por considerar desleal e desumano. No entanto, a comunidade andina e o governo da Bolívia levaram a cabo várias ações de protesto, às quais se juntou Maradona, que defendeu a ideia de que o povo boliviano tinha que ter a possibilidade de a sua seleção jogar verdadeiramente em casa. Em maio de 2008, após pressão da CONMEBOL e da Federação Boliviana, a entidade que tutela o futebol mundial anunciou a suspensão da medida.

quarta-feira, 8 de setembro de 2021

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Desportivo de Beja na II Divisão B

Desp. Beja foi campeão da II Divisão B - Zona Sul em 1995-96
Fundado a 8 de setembro de 1947, o Clube Desportivo de Beja nasceu da fusão entre o Luso Sporting Clube, a União Sporting Clube e o Pax-Júlia Atlético Clube, embora os estatutos do clube considerem como data de fundação a do Luso Sporting Clube, 16 de junho de 1916.
 
Com um emblema constituído por um escudo emoldurado por duas espigas de trigo amarelo, as coroas das armas de Beja e a Torre de Menagem de Beja, o clube do Baixo Alentejo viveu a fase de maior fulgor a meio da década de 1990, quando participou na II Liga em 1996-97. 37 pontos em 34 jornadas revelaram-se insuficientes para evitar o 17.º (e penúltimo) lugar e a consequente despromoção.
 
Essa participação no segundo escalão foi o culminar de uma ascensão meteórica que em dois anos levou o clube da III Divisão à II Liga, num trajeto que incluiu o título nacional da III Divisão em 1994-95.
 
Depois da despromoção à II Divisão B em 1997, a formação bejense permaneceu nesse patamar competitivo até 1999 e nos campeonatos nacionais até 2007, quando caiu nos distritais da AF Beja. E desde 2018 que desativou a equipa sénior.
 
Vale por isso a pena recordar os dez jogadores com mais jogos pelo Desportivo de Beja na II Divisão B.

terça-feira, 7 de setembro de 2021

A minha primeira memória de… um jogo entre Portugal e Azerbaijão

Cristiano Ronaldo brilhou na receção ao Azerbaijão no Bessa
A minha primeira memória de um jogo entre Portugal e Azerbaijão leva-me àquele que terá sido um dos melhores golos não validados de sempre. Mas já lá vamos.
 
A 7 de outubro de 2006, quando as duas seleções se defrontaram no Estádio do Bessa, a equipa das quinas vivia uma fase de renovação, uma vez que tinha ficado sem Figo e Pauleta após o Mundial da Alemanha, e contava com vários jogadores com 30 ou mais anos, casos de Ricardo, Nuno Valente, Costinha e Nuno Gomes. Antes da receção aos azeris, Portugal tinha empatado na Finlândia (1-1) no arranque da fase de qualificação para o Euro 2008.

segunda-feira, 6 de setembro de 2021

domingo, 5 de setembro de 2021

Paulo Lourenço. O reforço da Ass. Murteirense que viveu no mesmo quarto de Eustáquio

Avançado Paulo Lourenço estava no Os Bucelenses
Reforço da Associação Murteirense para a nova época após um namoro “antigo” que já levava “uns quatro anos”, Paulo Lourenço espera ajudar o clube do concelho do Cadaval a alcançar pela primeira vez a subida à I Divisão Distrital da AF Lisboa.
 
Em entrevista, o avançado luso-angolano que chegou a ser orientado por João Henriques no Fátima fala do seu percurso no futebol, todo ele nos distritais da AF Leiria e AF Lisboa e fala sobre antigo companheiro de equipa do médio internacional canadiano Stephen Eustáquio na formação de União de Leiria e Torreense, com quem partilhava o quarto.
 

sábado, 4 de setembro de 2021

Os nigerianos que jogaram no Portimonense antes de Abraham Marcus

Oito nigerianos jogaram pelo Portimonense antes de Marcus
Reforço do Portimonense para a nova época por empréstimo (com opção de compra) do Remo Stars Football Club, o avançado Abraham Marcus vai tornar-se no nono jogador nigeriano a representar o emblema algarvio.
 
Ainda assim, em Portimão a história de jogadores naturais da Nigéria, simplesmente o país com mais presenças na Taça das Nações Africanas (15, as mesmas do Egito) e mais títulos mundiais de sub-17 (cinco), é relativamente recente, tendo apenas cerca de duas décadas.
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...