Mostrar mensagens com a etiqueta Belenenses. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Belenenses. Mostrar todas as mensagens

domingo, 18 de agosto de 2019

Águia voltou a levantar voo quando as asas se tocaram

Rafa foi sempre um dos mais ativos do Benfica no Jamor
O Benfica igualou este sábado o recém-promovido Famalicão na liderança da I Liga e já sabe que vai terminar a 2.ª jornada à frente dos principais rivais - resta saber qual a distância pontual para FC Porto e Sporting -, mas bem pode (voltar) agradecer à sociedade Rafa & Pizzi, especialista em engenharia do golo.

quinta-feira, 8 de agosto de 2019

À espera da estreia. O colega de Ronaldo, o açoriano que volta a casa e o chileno com raça

João Serrão (Vitória), Nené (Santa Clara) e Ramírez (Belenenses)
O campeonato português arranca nesta sexta-feira, depois de quase três meses de pausa. E todos os anos a história repete-se. O mercado de transferências entra em movimento e há jogadores que deixam os clubes rumo a outras paragens e abrem portas a caras novas na I Liga, das mais variadas proveniências. Entre os que são promovidos à equipa principal, os que são transferidos de clube de um patamar inferior para um do primeiro escalão e os que chegam ou regressam a Portugal, há muitas histórias para contar. Em vésperas de mais um arranque de campeonato, o DN conta a história de três jovens que nesta temporada vão poder cumprir o sonho de uma vida: estrearem-se na I Liga.

domingo, 10 de março de 2019

A minha primeira memória de… um dérbi entre Benfica e Belenenses

Simão inaugurou o marcador no dérbi de fevereiro de 2002
Comecei a acompanhar futebol em meados de 2000, mas não me recordo nem dos dérbis de 2000/01, em que Benfica venceu na Luz e Belenenses no Restelo, ambos por 1-0, nem do da primeira volta de 2001/02, um empate a um golo no terreno dos azuis. Nem resultado, nem uma eventual incidência. Zero.

O primeiro de que tenho algumas memórias foi o dérbi da Luz de 17 de fevereiro de 2002, em que os encarnados venceram por 2-1. Não o vi em direto nem tão pouco ao vivo, recordava-me vagamente do resultado, mas o que me retive desse encontro foi de um lance polémico na área dos visitantes.

quinta-feira, 7 de março de 2019

Belenenses. A cronologia da guerra entre clube e SAD

Equipa da SAD do Belenenses deixou de utilizar o Restelo
31 de janeiro de 2000 – Publicada em Diário da República a constituição da SAD do Belenenses, com o clube como controlador, depois da escritura feita no ano anterior.

4 de novembro de 2012 – Sócios aprovam em assembleia geral a alienação de 51,9 por cento do capital social da SAD ao fundo de investimento Codecity Sports Management, detido por Rui Pedro Soares, numa fase em que o Belenenses atravessava uma situação financeira bastante complicada. Como ato preparatório, é assinado um acordo parassocial que regula as relações entre o clube e o acionista e no qual ficam estabelecidas as datas para recompra do capital social por parte do clube: de outubro de 2014 a janeiro de 2015 e de outubro de 2017 a janeiro de 2018. Após quase quatro horas de reunião, a proposta foi submetida a votação, tendo sido aprovada com 197 votos a favor, 20 contra e 27 abstenções.  

quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Seis minutos bastaram para o FC Porto desembrulhar o pastel

Capitão portista Herrera em disputa de bola a meio-campo
Em vésperas de dérbi lisboeta e de uma visita a e Guimarães, o FC Porto manteve a distância pontual sobre Benfica (cinco pontos) e Sp. Braga (seis) e cavou um fosso de dez pontos sobre o Sporting, ao vencer o Belenenses SAD esta quarta-feira, no Dragão, por 3-0.

Frente a um adversário que apenas tinha perdido uma vez fora de casa, em Alvalade, e que tem dado nas vistas pelo bom futebol e pela versatilidade tática, Sérgio Conceição avisou que a missão não era fácil mas que cabia aos dragões "desembrulhar esse embrulho".

quarta-feira, 2 de janeiro de 2019

A minha primeira memória de… um dérbi entre Sporting e Belenenses

Tuck e Toñito em disputa de bola em particular no Restelo
Tal como em tantos e tantos casos no que a futebol diz respeito, a minha primeira memória de um dérbi entre Sporting e Belenenses remonta a 2000, o ano em que me tornei espectador atento da modalidade.

Neste caso em concreto, essa memória até é de um jogo particular, de pré-época, que marcou a apresentação da versão 2000/01 dos azuis do Restelo aos associados. Confesso que me recordava que a equipa da casa tinha vencido por 1-0, que Peter Schmeichel tinha defendido uma grande penalidade e que o golo do Sporting tinha sido de penálti, o que não me lembrava era do resto. Ou seja, praticamente tudo.

domingo, 27 de agosto de 2017

Merlin Tandjigora, a formiguinha do Restelo

Tandjigora é um médio todo-o-terreno
Num Belenenses (ainda) sem um fio de jogo esclarecido (e muito menos atrativo), os principais destaques deste início de temporada vão para as individualidades: os reflexos de Muriel, o drible de Diogo Viana, a qualidade de execução de Filipe Chaby e, saliento este, a pedalada Merlin Tandjigora.

Companheiro de Aubameyang na seleção do Gabão, este médio todo-o-terreno de 27 anos é uma autêntica formiguinha, dotado de um enorme pulmão para fazer piscinas ao longo de 90 minutos nos relvados portugueses. É inegável que é um jogador mais de trabalho do que de talento, mas já é o motor do meio-campo da equipa de Domingos Paciência.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

As pinceladas de Julio Velázquez

Julio Velázquez está a criar um Belenenses bem à espanhola
Diego Velázquez foi um conhecido pintor espanhol no século XVII, tendo como principal obra Las Meninas (1656). 360 anos depois, outro Velázquez, Julio, também espanhol mas treinador de futebol de profissão, vai dando umas pinceladas muito próprias no futebol do Belenenses.

O antigo técnico do Villarreal e Bétis, numa das primeiras entrevistas que concedeu como timoneiro dos azuis do Restelo, já tinha deixado o aviso: para ele 3x5x2, 4x2x3x1, 4x4x2 e 4x3x3 são apenas números de telefone. O que para ele importa é a dinâmica coletiva.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Pressão do Vitória deixou Belenenses de olhos em bico

Suk foi constante dor de cabeça para Tonel e companheiros

Liga | Belenenses 0-3 Vitória


Se há algo que todos os futebolistas sonham fazer quando entram em campo é marcar golos e, num plano ligeiramente inferior, fazer assistências. Mas quando essa vontade se sobrepõe aos interesses do coletivo, um jogo tem tudo para dar para o torto. Os jogadores reservam-se para as missões ofensivas, tornam-se egoístas e não veem com bons olhos ter de correr para trás, ter de defender.

Não foi nada disso do que aconteceu com a equipa do Vitória, que no Restelo, mais uma vez, mostrou a entrega de um conjunto que vai até aos limites por aquilo que o seu treinador lhe pede. E se há coisa que Quim Machado tem pedido em todos os jogos, mesmo quando o adversário se chama FC Porto e o palco se chama Estádio do Dragão, é que os seus jogadores pressionem alto e que condicionem a primeira fase de construção do seu adversário.

terça-feira, 16 de julho de 2013

Pré-Época | Belenenses 1-1 Reading

record.pt
Esta noite, no Estádio do Restelo, em Lisboa, Belenenses e Reading empataram 1-1 num jogo de pré-época. Fredy (de grande penalidade) inaugurou o marcador, e Le Fondre restabeleceu a igualdade.
                                      

quarta-feira, 27 de março de 2013

Taça de Portugal | Belenenses 0-2 Vit. Guimarães

zerozero.pt
Esta noite, no Estádio do Restelo, em Lisboa, o Vitória de Guimarães derrotou o Belenenses por 2-0, num jogo a contar para a primeira-mão das meias-finais da Taça de Portugal. Ricardo (2) marcou os golos do encontro.
                                      

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Segunda Liga | Belenenses 2-1 Sporting B


Esta noite, no Estádio do Restelo, em Lisboa, o Belenenses venceu o Sporting B por 2-1, num jogo em atraso da 14ª jornada da Segunda Liga. Carlos Mané inaugurou o marcador para os leões, mas Desmarets e Diawara assinalaram a reviravolta.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...