quinta-feira, 13 de agosto de 2020

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Loures no Campeonato de Portugal

Dez futebolistas que ficaram na história do Grupo Sportivo de Loures
Fundado a 13 de agosto de 1913 por um grupo de indivíduos muito ligados ao Sporting e que gostavam de jogar à bola no Casaréus - onde é hoje a Praça da Liberdade, junto à Câmara Municipal -, o Grupo Sportivo de Loures tem vivido o melhor período da sua história nos últimos anos.

Depois de ter alternado entre a antiga III Divisão e os distritais da AF Lisboa praticamente desde a década de 1960, com exceção de uma participação na também extinta II Divisão B em 1990-91, o emblema da zona saloia ascendeu em 2013 ao então recém-criado Campeonato Nacional de Seniores – e entretanto rebatizado Campeonato de Portugal – e desde então que tem competido no terceiro escalão do futebol português.

Em sete participações – vai para a oitava em 2020-21 -, o Loures obteve a melhor classificação da sua história logo na época de estreia na competição, tendo obtido o 1.º lugar na Série G, o que lhe valeu o apuramento para a fase de promoção. Porém, nessa segunda etapa não foi além do oitavo lugar (em oito equipas).

No total, 179 futebolistas jogaram pelo emblema lourense no Campeonato de Portugal. Vale por isso a pena recordar os 10 que o fizeram por mais vezes.


10. Tiago Santos (52 jogos)

Tiago Santos
Extremo formado no Benfica ao lado de Rúben Amorim, João Pereira, Tiago Gomes e Manuel Fernandes, passou por Casa Pia, Real SC e meia dúzia de anos pelo futebol espanhol antes de reforçar o Loures no verão de 2014.
Em duas épocas no Campo José da Silva Faria, disputou um total de 52 jogos (38 a titular) no Campeonato Nacional de Seniores. A temporada 2014-15 foi especialmente produtiva, uma vez que apontou uma dezena de golos – 1º Dezembro, Fabril (três), Sacavenense, Cova da Piedade, Malveira (dois), União de Montemor e Sintrense foram as vítimas de Tiago Santos.
Depois mudou-se para o Sacavenense e, entretanto, passou por Casa Pia e Pêro Pinheiro até deixar de jogar em 2019.



Gonçalo Silva

9. Gonçalo Silva (52 jogos)

Disputou 52 jogos tal como Tiago Santos, mas amealhou mais 804 minutos em campo – 3911 contra 3107.
Médio de características ofensivas formado em grande parte no Belenenses, chegou a Loures no verão de 2017, já com quatro anos de experiência no Campeonato de Portugal ao serviço de Pinhalnovense e Malveira.
Em dois anos no clube, atuou num total de 52 encontros (45 a titular) e marcou cinco golos – ao 1º Dezembro, Alcanenense e Lusitânia em 2017-18 e a Benfica Castelo Branco e Mação na temporada seguinte.
Em 2019-20 voltou ao Pinhalnovense e para a próxima época já está vinculado com o Oriental Dragon.


8. Bruny (53 jogos)

Bruny
Defesa central/médio defensivo cabo-verdiano de elevada estatura (1,87 m), chegou ao futebol português em 2014 pela porta do Sp. Viana do Alentejo e mudou-se para o Loures três anos depois.
Sempre bastante utilizado, disputou 26 jogos (24 a titular) e marcou um golo ao Eléctrico em 2017-18, contribuindo para o oitavo lugar na Série D. E na época seguinte atuou em 27 partidas (21 a titular), ajudando a assegurar a permanência.
Em 2019 mudou-se para o Oliveira do Hospital.


7. Saavedra (54 jogos)

Saavedra
Médio que jogou na II Liga por Barreirense e Trofense e que entre 2008 e 2014 esteve emigrado no Chipre (sete anos) e na Grécia (um), regressou ao futebol português precisamente pela porta do Loures, aos 34 anos.
Durante duas temporadas no emblema da zona saloia disputou um total de 54 jogos (51 a titular) e apontado dois golos, ambos em 2015-16. Coruchense e Eléctrico foram as vítimas de Saavedra.
Em 2016 mudou-se para o Sacavenense, clube que tem representado desde então, à exceção de meia época na União de Santarém em 2019-20.


6. André Frias (55 jogos)

André Frias
Lateral esquerdo formado no Odivelas e no Belenenses, passou por Mafra, Caldas e 1º Dezembro antes de chegar ao Campo José da Silva Faria no verão de 2016.
Quase sempre opção inicial, atuou num total de 55 jogos (49 a titular) e marcou um golo ao Caldas em novembro de 2017, contribuindo para dois campeonatos bastante tranquilos para o Loures.
Depois mudou-se para o 1º Dezembro, passou pelo Pêro Pinheiro e já está comprometido com o Belenenses para 2020-21.


5. Nuno Hidalgo (57 jogos)

Nuno Hidalgo
Guarda-redes formado no Loures ao lado de André Almeida e no Sporting na companhia de Cédric e Mário Rui, tem conciliado o futebol de 11 e o futebol de praia e mostrado que é um dos bons guardiões do Campeonato de Portugal.
Na época de estreia do remodelado terceiro escalão, em 2013-14, começou no Loures, disputou 12 jogos e sofreu oito golos e em janeiro mudou-se para o Benfica Castelo Branco, clube que quase levou à II Liga.
Após ano e meio na Beira Baixa, regressou ao emblema da zona saloia no verão de 2015 para contribuir para duas épocas tranquilas, tendo atuado num total de 45 encontros e sofrido 39 golos, assumindo ainda funções como coordenador e treinador de guarda-redes de toda a formação do clube.
Depois voltou ao Torreense, clube que já tinha representado nas camadas jovens e na II Divisão B, e em 2019-20 defendeu a baliza do Sintrense.


4. Ivo Miranda (72 jogos)

Ivo Miranda
Médio de características ofensivas que jogou ao lado de Miguel Veloso, Manuel Fernandes, Tiago Gomes e Sílvio na formação do Benfica, chegou pela primeira vez ao Loures quando o clube se preparava para competir nos distritais da AF Lisboa, no verão de 2012, depois de passagens por Cacém, Peniche, Fanhões, Alta de Lisboa, Sacavenense e Casa Pia.
Após ajudar o emblema da zona saloia a conquistar o título distrital e a garantir a participação na edição inaugural do Campeonato de Portugal, disputou 29 jogos (26 a titular) e marcou oito golos no recém-reformulado terceiro escalão, contribuindo para o apuramento para a fase de promoção da zona sul – Casa Pia (dois golos), O Elvas, Operário, Oriental, Praiense, Benfica Castelo Branco e Pinhalnovense foram as vítimas de Ivo Miranda.
Entretanto o centrocampista passou por União de Montemor e Sacavenense, mas regressou ao Campo José da Silva Faria no verão de 2015 para mais dois anos no clube. Nesse período atuou em mais 43 partidas (22 a titular) no Campeonato de Portugal e marcou três golos, todos em 2015-16, diante de Coruchense, Sintrense e Sacavenense, ajudando os lourenses a alcançar a permanência em ambas as temporadas.
Depois voltou ao Sacavenense e, à exceção de meia época no Malveira, desde 2017 que joga no Alta de Lisboa.



3. Ivo Dias (75 jogos)

Ivo Dias
Central que passou pelos juniores do Loures, regressou ao clube para reforçar a equipa sénior em 2011-12, proveniente do Mafra. Na época seguinte representou o Pescadores de Costa da Caparica, mas no verão de 2013 voltou ao emblema da zona saloia para competir no então recém-criado Campeonato Nacional de Seniores.
Em 2013-14 foi um dos esteios da equipa que chegou à fase de promoção, tendo atuado em 29 jogos (28 a titular) e marcado dois golos, diante de Sp. Ideal e Sintrense.
Entretanto passou dois anos na Malveira, mas regressou ao Campo José da Silva Faria no verão de 2016 para mais duas épocas nos lourenses. Entre 2016 e 2018 disputou mais 46 partidas (45 a titular), ajudando a assegurar a permanência em ambas as temporadas.
Depois passou por Torreense e Malveira e desde o verão de 2019 que veste a camisola do Atlético.


2. Pedro Augusto (77 jogos)

Pedro Augusto
Ponta de lança formado no Benfica ao lado de Sílvio, Tiago Gomes e Manuel Fernandes, passou por clubes da zona de Lisboa como Atlético do Cacém, Oriental, Igreja Nova e Casa Pia antes de reforçar pela primeira vez o Loures no verão de 2012.
Na primeira época no emblema da zona saloia contribuiu para a conquista do título distrital e na segunda disputou 25 jogos (19 a titular) e faturou por quatro vezes no Campeonato de Portugal, frente a Operário, O Elvas, Pinhalnovense e Oriental, ajudando os lourenses a alcançar a fase de promoção à II Liga.
Em 2014-15 vestiu a camisola do Sacavenense, mas depois regressou a Loures para jogar mais duas temporadas no terceiro escalão, tendo participado em mais 52 encontros (41 a titular) e apontado sete golos, diante de Sacavenense, Sintrense (dois) e Coruchense em 2015-16 – numa época em que também marcou ao Boavista na Taça de Portugal – e frente a Malveira, Fabril e Casa Pia em 2016-17.
Depois voltou ao Sacavenense e desde 2018 que está ligado à União de Santarém.



1. João Job (85 jogos)

João Job
Jogador polivalente, capaz de cobrir várias posições da defesa e do meio-campo, reforçou o Loures no verão de 2013 depois de ter passado pela formação do Benfica e pelas equipas seniores de Real SC e Sanjoanense (de São João da Talha).
Na época de estreia, no Campeonato de Portugal, disputou 32 jogos (todos a titular) e marcou dois golos, diante de Sp. Ideal e O Elvas, ajudando o emblema da zona saloia a atingir a fase de promoção.
Em 2014-15 representou o Benfica Castelo Branco, mas depois voltou ao Campo José da Silva Faria para atuar em mais 53 encontros (52 a titular) e apontar sete golos, diante de Coruchense (dois), Sintrense e Sacavenense em 2015-16 e frente a Real SC e Atlético (dois) na época seguinte.
Depois mudou-se para o Sacavenense, clube que representa desde 2017.
















Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...