quinta-feira, 11 de março de 2021

Os 10 melhores combates de sempre pelo WWE Championship

WWE Championship tem conhecido diversos designs ao longo dos anos
Instituído a 25 de abril de 1963, o WWE Championship é o mais antigo e um dos mais prestigiados títulos da World Wrestling Entertainment (WWE), apesar das sucessivas mudanças de design e das pequenas alterações de nome de que tem sido alvo.
 
Com Buddy Rogers como primeiro detentor, o cinturão esteve 2803 dias consecutivos na posse de Bruno Sammartino e foi conquistado 13 vezes por John Cena, recordistas de duração e número de reinados.
 
Vale por isso a pena recordar os dez melhores combates de sempre pelo WWE Championship.
 
 
WWF World Heavyweight Championship:
Bret Hart (c) vs. Shawn Michaels
Por vezes, não é necessária uma grande história por detrás de um grande combate, e esta é a prova viva. Simplesmente Shawn Michaels era o campeão intercontinental e a WWF decidiu que no main-event do Survivor Series ia haver um confronto de campeões, com o WWF World Heavyweight Championship em jogo.
Há quem diga que a qualidade do combate ajudou a transformar o produto da então WWF para sempre, fazendo com lutadores oriundos de tag teams e sem corpos de culturistas recebessem mais oportunidades.
 
 
 
Monday Night Raw (11 de julho de 1994) 
WWF World Heavyweight Championship:
Bret Hart (c) vs. The 1-2-3 Kid
Na WrestleMania X, Bret Hart conquistou o título ao derrotar Yokozuna no main-event e nos meses que se seguiram esteve envolvido em feuds com o seu irmão Owen, que o havia derrotado na Wrestlemania, e com Diesel.
No entanto, no Monday Night Raw de 20 de junho teve lugar um combate entre The 1–2–3 Kid e Nikolai Volkoff para determinar quem defrontaria o “Hitman” pelo título no episódio de 11 de julho. E quem surpreendentemente levou a vitória foi The 1–2–3 Kid, que habitualmente lutava na divisão de tag team, embora fosse um dos favoritos dos fãs.
 
 
 
Steel Cage match pelo WWF World Heavyweight Championship:
Bret Hart (c) vs. Owen Hart
Tudo começou quase um ano antes, quando Owen Hart foi eliminado de um dos tradicionais combates de equipas do Survivor Series, entre os Hart Brothers e uma fação liderada por Shawn Michaels, devido a uma falha de comunicação com o irmão Bret. Depois da luta, Owen interrompeu os festejos de vitória dos seus irmãos para atacar verbalmente Bret, criando aí uma ferida que haveria de se abrir no Royal Rumble 1994, quando Bret e Owen desafiaram os The Quebecers pelos títulos de tag team. Esse combate foi parado pelo árbitro devido a uma lesão de Bret, o que frustrou Owen, que atacou o irmão. Curiosamente, a noite acabou com Bret como covencedor do Royal Rumble match, a par de Lex Luger.
Em visível conflito, os dois manos mediram forças em ringue na Wrestlemania X, com a vitória a sorrir a Owen. No entanto, Bret redimiu-se na mesma noite ao bater Yokozuna para conquistar o WWF World Heavyweight Championship. Entretanto, a rivalidade entre irmãos continuou, com o cunhado de ambos, Jim Neidhart, a colocar-se do lado de Owen. E para resolver o problema de uma vez para todas, foi marcado um combate Steel Cage entre Bret e Owen para o SummerSlam, com o principal cinturão da companhia em jogo, e cuja qualidade do espetáculo mereceu a classificação de cinco estrelas por parte de Dave Meltzer.
 
 
 
In Your House 10: Mind Games (1996)
WWF World Heavyweight Championship:
Shawn Michaels (c) vs. Mankind
1996 foi um grande ano para Shawn Michaels. Primeiro venceu o Royal Rumble (pelo segundo ano consecutiva) e o direito de lutar pelo WWF World Heavyweight Championship na WrestleMania XII, tendo arrecadado o cinturão ao bater Bret Hart no prolongamento de um Iron Man match de 60 minutos.
Por outro lado, Mick Foley foi ganhando protagonismo na WWF com o seu alter-ego Mankind. Após ter feito a estreia na companhia no dia a seguir à WrestleMania XII, envolveu-se numa feud com The Undertaker. Após várias vitórias para cada um, Mankind saiu por cima da feud ao bater o Deadman o SummerSlam – evento no qual Shawn Michaels derrotou Vader – com a ajuda de Paul Bearer, que traiu o seu protegido, tornando-se assim no candidato principal ao título.
 
 
 
WWE Championship:
Kurt Angle (c) vs. Chris Benoit
No Armageddon 2002, Kurt Angle contou com a ajuda de Brock Lesnar para derrotar Big Show e conquistar o título da WWE pela terceira vez.
Antes do PPV, Angle tinha prometido levantar a suspensão de Lesnar e dar-lhe a primeira oportunidade pelo título, o que acabou por não acontecer, depois de se ter visto que tudo e tratava de uma manobra de Angle e Paul Heyman para tramar Lesnar.
Na edição de 19 de dezembro do SmackDown, Benoit esteve quase a fazer Angle desistir num combate pelo título, mas Big Show interferiu para atacar Benoit, com Lesnar a aparecer em cena para fazer o save, mas a acabar por ser atacado por Angle e Big Show.
Para a semana seguinte, estava agendado um combate pelo título entre Angle e Big Show, mas a General Manager do SmackDown, Stephanie McMahon, declarou que o campeão estava incapaz de competir depois de ter sido atacado por Lesnar após o show ter saído do ar na semana anterior. Então, a GM marcou um duelo entre Big Show e Chris Benoit para determinar o candidato principal para o title match do Royal Rumble, com Benoit a vencer, mas a ser dizimado depois por Big Show, Angle e a Team Angle (Charlie Haas e Shelton Benjamin).
 
 
 
WWE Championship:
John Cena (c) vs. CM Punk
(Se Cena não retivesse o título, seria despedido)
No episódio de 13 de junho do Raw, CM Punk beneficiou de uma distração causada por R-Truth para vencer o campeão John Cena num combate sem o título em jogo.
Uma semana depois, Punk tornou-se no candidato principal ao WWE Championship ao bater Alberto Del Rio e Rey Mysterio num Falls Count Anywhere match. Depois do combate, Punk revelou que o seu contrato expiraria na meia-noite de 17 de julho, imediatamente após o pay-per-view Money in the Bank terminar, e prometeu ganhar o título e deixar a companhia com o cinturão.
No episódio seguinte do Monday Night Raw, Punk ajudou R-Truth a vencer Cena num Tables Match e fez uma das mais famosas promos de sempre da WWE, autoproclamando-se o melhor do mundo [Best in the World], tecendo duras críticas a John Cena, Vince McMahon e a toda administração da companhia e prometendo defender o WWE Championship noutras companhias, como a Ring of Honor e a New Japan Pro Wrestling.
Como resultado, Punk foi suspenso e viu ser-lhe retirada a oportunidade de lutar pelo título. No entanto, Cena confrontou Vince McMahon e ameaçou deixar a companhia e devolver-lhe o WWE Championship caso Punk não fosse reintegrado. Vince McMahon cedeu, mas com uma condição: se Cena perdesse o título, seria despedido.
No episódio de 11 de julho do Monday Night Raw, Mr. McMahon tentou que CM Punk renovasse contrato para ter a certeza de que o WWE Championship ficava na WWE. O presidente da companhia concordou com todas as exigências de Punk e pediu-lhe desculpas, mas Cena interrompeu-os e atacou Punk. Em resposta, Punk rasgou o contrato.
E para apimentar tudo isto, um dado extremamente importante: o Money in the Bank realizou-se em Chicago, terra natal de Punk.
 
 
 
WWE Championship: 
John Cena (c) vs. Daniel Bryan 
(Triple H como árbitro convidado)
Após ter batido Mark Henry no Money in the Bank, foi dada a John Cena a oportunidade de escolher contra quem defenderia o WWE Championship no SummerSlam por parte do General Manager Brad Maddox. E Cena aceitou a sugestão do público e escolheu Daniel Bryan.
Não satisfeito com a escolha de Cena, Vince McMahon tentou fazer a vida negra a Bryan, colocando-o num gauntlet match. No episódio de 12 de agosto do Monday Night Raw, Maddox funcionou como árbitro convidado num combate entre Bryan e Wade Barrett e atribuiu a vitória a Barrett após ter contado muito rapidamente um assentamento. Maddox também se ofereceu para ser o árbitro do duelo entre Cena e Bryan no SummerSlam, mas Triple H intercedeu e anunciou que ele próprio seria o árbitro.
 
 
 
WWE World Heavyweight Championship:
Brock Lesnar (c) vs. Seth Rollins vs. John Cena
Brock Lesnar conquistou o título ao derrotar John Cena no SummerSlam 2014. Cena teve a sua desforra no mês seguinte, no Night Of Champions, mas acabou por ganhar por via desqualificação depois de Seth Rollins ter interferido e tentado fazer o cash-in do contrato Money in the Bank.
No PPV que se seguiu, o Hell in a Cell, Cena bateu Randy Orton num Hell in a Cell match para ganhar uma futura oportunidade pelo título, mantendo o estatuto de candidato principal no TLC, ao vencer Rollins num Tables match. Mais tarde no mesmo evento, foi anunciado que Cena ia desafiar Lesnar no Royal Rumble.
No último Raw de 2014, Rollins atacou o guest host Edge e ameaçou aplicar-lhe um Curb Stomp se Cena não tomasse a decisão de reempossar a The Authority, fação que tinha perdido o perder no Survivor Series após uma equipa liderada por Cena ter vencido um combate de eliminação. Cena, ainda que de forma relutante, acabou por declarar o regresso da The Authority.
Na edição de 5 de janeiro de 2015 do Monday Night Raw, Triple H adicionou Seth Rollins ao combate pelo título como retribuição pelo regresso da The Authority e despediu os membros da Team Cena que contribuíram para a perda de poder no Survivor Series (Dolph Ziggler, Ryback e Erick Rowan).
Na semana seguinte, Lesnar, Cena e Rollins assinaram o contrato e estiveram envolvidos numa brawl, com Rollins a aplicar um Curb Stomp tanto a Cena como a Lesnar. Porém, Cena teve a sua participação em perigo, pois Triple H forçou-o a lutar num handicap match frente a Rollins, Big Show e Kane para segurar não só a presença no title match como como para garantir os regressos de Ziggler, Ryback e Rowan, no último Raw antes do Royal Rumble. Cena acabou por vencer com um roll-up em Rollins após distração causada por Sting, mas foi Lesnar a sair por cima ao aparecer para atacar Rollins e aplicar F-5 a Kane e Big Show.
 
 

WWE Championship:
AJ Styles (c) vs. John Cena
No TLC de dezembro de 2016, AJ Styles reteve o título ao vencer Dean Ambrose num Tables, Ladders, and Chairs match.
Nove dias depois, no SmackDownDolph Ziggler derrotou Ambrose, The Miz e Luke Harper num four-way elimination match para ter direito a uma oportunidade pelo WWE Championship no SmackDown de 27 de dezembro, mas antes de a ter foi confrontado por Baron Corbin, que o desafiou para colocar a title shot em jogo. O duelo entre Ziggler e Corbin terminou em double count-out, antes de Styles ter atacado ambos com uma cadeira.
Como consequência, o título esteve em jogo num combate ameaça tripla entre Styles, Ziggler e Corbin, mas antes, John Cena regressou após quase três meses de ausência e desafiou o vencedor dessa luta para um title match no Royal Rumble. Styles acabou por reter o cinturão e Cena apareceu para lhe apertar a mão.
Na edição de 17 de janeiro do SmackDown, Styles defrontou The Miz, num duelo que terminou em no contest depois de Cena, que se encontrava na mesa de comentadores, ter sido atacado pelo campeão. Seguiu-se uma brawl que foi encerrada com Cena a aplicar o Attitude Adjustment tanto em The Miz como em Styles.
 
 
 
WWE Championship:
Daniel Bryan (c) vs. AJ Styles
Daniel Bryan fez o regresso aos ringues no início de 2018, mas não estava a ter propriamente um ano bem-sucedido, tendo perdido para os The Bludgeon Brothers no Extreme Rules e para The Miz no SummerSlam e no Hell in a Cell.No entanto, Daniel Bryan venceu The Miz no Super Show-Down para se tornar no candidato principal ao WWE Championship. No episódio de 30 de outubro do SmackDown Live defrontou o então campeão AJ Styles, mas foi derrotado.
Contudo, Bryan voltou a ter uma oportunidade pelo título no SmackDown Live de 13 de outubro, tendo batido Styles depois de um golpe baixo e continuou a atacar o adversário depois do combate, virando heel.
Uma semana depois, Bryan explicou as suas ações, afirmando que estava a seguir os seus sonhos e queixou-se dos fãs não o terem apoiado durante a recuperação da sua lesão, batizando-se de “New Daniel Bryan”. Entretanto, foi marcada uma desforra entre Bryan e Styles com o título em jogo para o TLC.
 









Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...