segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Kevin Kampl: O motor do Leverkusen

Kamp alia talento a grande capacidade de trabalho
Quando se fala em Leverkusen, os primeiros nomes que vêm à cabeça são os dos goleadores, Javier Chicharito Hernández e Stefan Kiessling, ou o do grande especialista em livres diretos, Hakan Çalhanoglu. Muito menos mediático, o internacional esloveno Kevin Kampl é igualmente talentoso e merece ser referido como umas das principais figuras da equipa.

Depois de ter sido formado no clube, andou pelas divisões secundárias alemãs até chegar ao Salzburgo, onde foi campeão com Roger Schmidt – o seu atual técnico na Alemanha -, melhor jogador do campeonato austríaco em 2013/14, chamou à atenção da seleção do seu país e se mostrou à Europa.

Na altura era um extremo, daqueles desconcertantes e desequilibradores, de boa e rápida execução, também sempre à procura de tabelar com os colegas e de aparecer na zona central. As características continuam lá, mas em Leverkusen – já depois de uma passagem pouco feliz no Dortmund – Kampl fixou-se mesmo no miolo do 4x4x2 de Schmidt.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

As pinceladas de Julio Velázquez

Julio Velázquez está a criar um Belenenses bem à espanhola
Diego Velázquez foi um conhecido pintor espanhol no século XVII, tendo como principal obra Las Meninas (1656). 360 anos depois, outro Velázquez, Julio, também espanhol mas treinador de futebol de profissão, vai dando umas pinceladas muito próprias no futebol do Belenenses.

O antigo técnico do Villarreal e Bétis, numa das primeiras entrevistas que concedeu como timoneiro dos azuis do Restelo, já tinha deixado o aviso: para ele 3x5x2, 4x2x3x1, 4x4x2 e 4x3x3 são apenas números de telefone. O que para ele importa é a dinâmica coletiva.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

WWE | Royal Rumble 2016

Triple H sai da reforma para vencer o Royal Rumble e o Título Mundial da WWE



Data: 24 de janeiro de 2016
Arena: Amway Center
Localidade: Orlando, Flórida

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Bonfim tem mais encanto na hora da vitória

Hassan estreou-se a titular e marcou o primeiro golo do jogo

Liga | Vitória 2-1 Académica


Cinco jogos depois, o Vitória voltou a sorrir no Bonfim. Fê-lo pela segunda vez nesta temporada, ao décimo encontro caseiro. Porque o adversário se chamava Académica, poderá até dizer-se que aprendeu a lição, mas não evitou sofrer até ao fim, perante um adversário que ainda não venceu na condição de visitante.

Apesar de se tratar de um clássico do futebol português, as bancadas do reduto sadino mostraram-se despidas, o que não inspirou propriamente os jogadores das duas equipas. Assistiu-se a um mau jogo de futebol, sobretudo na primeira parte, onde houve muitas faltas, muitas bolas divididas, mas escassas oportunidades de golo. Numa dessas raras ocasiões, Hassan marcou. Foi essa a diferença entre ambos os conjuntos na etapa inicial: um marcou, o outro não.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Repensando o futebol sénior no distrito de Setúbal

Distrito de Setúbal tem apenas quatro equipas nos nacionais
Quem vive no distrito de Setúbal e gosta de acompanhar os clubes locais, tem razões para estar frustrado. Afinal, a região que outrora foi um viveiro de grandes futebolistas e que se fazia representar em bom número na I divisão, atualmente está reduzida ao Vitória no que ao futebol profissional diz respeito. E os próprios sadinos, diga-se de passagem, vivem com graves problemas financeiros e sob consequente ameaça de extinção, o que a confirmar-se, deixaria um vazio enorme no futebol a sul do Tejo.

Custa ver históricos como Fabril e Amora em patamares tão baixos, o Barreirense pouco estabilizado no Campeonato de Portugal e o Pinhalnovense a correr o risco de voltar aos distritais quase duas décadas depois. A salvar a honra do convento está um Cova da Piedade em ascensão. Veremos se ainda conseguirá atingir a Liga 2 ou se falhará essa meta como os de Pinhal Novo.

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

O novo menino bonito da Cidade Berço

Miguel Silva é uma das grandes revelações da Liga 2015/16
Depois de, nos últimos anos, com Rui Vitória ao leme, o Vitória de Guimarães ter servido de montra para centrais (Paulo Oliveira), médios (Tiago Rodrigues, André André e Bernard) e extremos (Ricardo Pereira e Hernâni), eis que com Sérgio Conceição é exibido o novo menino bonito da cidade berço: João Miguel Silva, guarda-redes, 20 anos.

Apesar da tenra idade, o jovem guardião assumiu a titularidade na baliza dos minhotos e tem dado nas vistas. E não tem sido apenas por defesas vistosas – nos distritais e nas camadas jovens também as há – ou pela empatia criada com os adeptos, entoado cânticos de apoio aos vimaranenses. João Miguel Silva vai mostrando que é mais do que um guarda-redes de engate, que tem talento, que é especial, e que pode, a par de André Moreira (cedido pelo Atlético Madrid ao União da Madeira), ser um dos grandes guarda-redes português desta nova geração de ouro do nosso futebol.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Vitória sem bata no laboratório de Sánchez

O Vitória foi surpreendi com três golos de bola parada

Liga | Boavista 4-0 Vitória


No futebol, há dois jogos dentro de um só jogo. O da bola corrida, e o da bola parada. No da bola corrida, geralmente a equipa mais valiosa exibe de uma forma mais clara a sua superioridade, traduzindo esse ascendente no número de ataques, remates, cantos e até posse de bola. No da bola parada, a diferença de forças dilui-se e uma equipa menos apta no jogo jogado, mas com um ou dois bons executantes, pode ter argumentos para chegar ao golo.

Esta tese ajuda a explicar o descalabro sadino no Bessa. Logo aos três minutos, um Boavista que para o campeonato não marcava há quatro jogos e não vencia há doze, adiantou-se no marcador face a um positivamente surpreendente Vitória através de um livre executado de forma soberba por Renato Santos.

sábado, 16 de janeiro de 2016

O suplente conformado

Marcelo Boeck é suplente no Sporting desde 2011
Marcelo Boeck chegou ao Sporting no verão de 2011, depois de uma excelente temporada ao serviço do Marítimo (onde foi suplente nas três épocas anteriores), com o intuito de oferecer uma concorrência mais forte a Rui Patrício.

O guarda-redes brasileiro, hoje com 31 anos, nunca conseguiu roubar a titularidade ao português, mas a sua presença até foi positiva para Patrício, uma vez que este nunca relaxou, evoluiu imenso e tornou-se mesmo num dos melhores da Europa na sua posição.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

A batuta do maestro André

André Horta é um jogador em ascensão na Liga portuguesa
Suk deixou o Vitória mas quem gosta de acompanhar os valores emergentes do futebol português pode continuar a seguir os encontros dos sadinos. A saída do sul-coreano para o FC Porto deverá até promover pequenas alterações no estilo de jogo e deixar espaços abertos para que outros jogadores tenham as suas oportunidades.

Se os setubalenses praticavam essencialmente um futebol de transições, sempre à procura da velocidade e poderio físico do asiático, sem ele, a julgar pelo que se viu segunda-feira em Paços de Ferreira, vão tentar atacar através de um estilo de jogo mais apoiado, de posse e circulação.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Era pós-Suk começa com passos em falso

Rúben Semedo foi um dos melhores do Vitória em Paços

Liga | Paços de Ferreira 2-1 Vitória


No primeiro encontro após a venda (ainda não oficializada) de Suk para o FC Porto, o Vitória começou com dois passos em falso, ao sofrer um golo logo aos 3 minutos, através de Bruno Moreira. Um passo em falso de Gorupec, ao colocar em jogo o avançado pacense, outro de Venâncio, que viu o autor do golo fugir-lhe à marcação.  

Havia a expetativa em saber como os sadinos iam reagir a situação tal adversa sem o seu maior solucionador de problemas da primeira volta e depois de terem sido goleados pelo Sporting na última jornada, mas estes mostraram excelente atitude.