domingo, 4 de abril de 2021

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Silves na II Divisão B

Silves competiu por quatro vezes na antiga II Divisão B
Fundado a 4 de abril de 1919, o Silves Futebol Clube nasceu da vontade de um conjunto de personalidades de Silves, que procuraram replicar os exemplos de Portimão e Lagos, onde tinham nascido Portimonense e Esperança, criando uma coletividade desportiva na sua cidade.
 
Com um emblema no qual se podem observar o castelo como símbolo representativo e linhas sinuosas em alusão ao rio Arade, a agremiação algarvia é presença habitual nos campeonatos nacionais desde 1950, competiu oito vezes na II Divisão Nacional, quatro na II Divisão B e 36 na III Divisão Nacional. No entanto, desde 2009 que compete na I Distrital da AF Algarve.
 
Vale por isso a pena recordar os dez jogadores com mais jogos pelo Silves na II Divisão B.
 

10. Zé Manuel (38 jogos)

Zé Manuel
Avançado veloz e possante nascido na Guiné-Bissau, mas desde tenra idade em Portugal, passou por Estrela da Amadora e Samora Correia na II Divisão no final da década de 1988 antes de rumar ao Algarve para representar o Silves em 1988.
Após duas campanhas no Estádio Dr. Francisco Vieira em que marcou 12 golos na antiga II Divisão, foi utilizado nas 38 jornadas (sempre como titular) da edição inaugural da II Divisão B, em 1990-91, e somou nove remates certeiros. Esperança de Lagos (dois), Olivais e Moscavide (dois), Sintrense (três), Atlético e Quarteirense foram as vítimas de Zé Manuel, que assim contribuiu para a obtenção do 10.º lugar, a melhor classificação de sempre dos silvenses na competição.
No final dessa temporada mudou-se para o Esperança de Lagos, tendo ainda passado por Portimonense e Juventude Évora antes de pendurar as botas.
 
 

9. João Paulo (38 jogos)

João Paulo Grave
Disputou 38 jogos tal como Zé Manuel, mas amealhou mais 154 minutos em campo – 3420 contra 3266.
Médio defensivo natural de Silves, começou a jogar na categoria de seniores com a camisola do Esperança de Lagos, mas ingressou no clube da terra no verão de 1989.
Após um ano a jogar na antiga II Divisão, foi utilizado nas 38 jornadas (sempre a titular) da edição inaugural da II Divisão B, em 1990-91, tendo apontado cinco golos, diante de Alverca, Loures, Olivais e Moscavide, Lusitano Évora e Santa Clara, ajudando os barlaventinos a alcançar um honroso 10.º lugar.
Valorizado pela boa campanha, deu o salto para a II Liga, patamar competitivo em que representou Olhanense, Louletano, Amora e Nacional.
 
 

8. Carlos Ferreira (39 jogos)

Carlos Ferreira
Lateral direito nascido em França e que concluiu a formação no Silves depois de ter passado pelas camadas jovens do Pinhelense e do Portimonense, ascendeu à equipa principal precisamente na época de estreia da II Divisão B, em 1990-91, tendo disputado três jogos (todos a titular).
Na temporada seguinte foi mais além, tendo atuado em 21 encontros (15 a titular), mas não evitou a descida à III Divisão.
No entanto, permaneceu no Estádio Dr. Francisco Vieira e alcançou a subida à II Divisão B em 1994-95, patamar em que foi utilizado em 12 partidas (todas a titular) na temporada que se seguiu, voltando a mostrar-se impotente para impedir a despromoção
Em 1997, após a descida aos distritais da AF Algarve, esteve um ano no Messinense, regressando ao Silves logo a seguir para se sagrar campeão distrital em 2000-01 e vencedor da Série F da III Divisão em 2004-05.
Aos 34 anos, participou pela quarta e última vez na II Divisão B, tendo disputado três jogos (dois a titular), voltando a descer de divisão naquela que foi a derradeira época da carreira.
 
 

7. José Miguel (47 jogos)

José Miguel
Médio formado no Silves, ascendeu à equipa principal em 1991-92, precisamente uma época em que os barlaventinos militavam na II Divisão B, tendo disputado 22 jogos (todos a titular) e apontado três golos, diante de Lusitano Évora, Esperança de Lagos e Juventude Évora, ainda assim insuficientes para evitar a despromoção.
Após a descida de divisão permaneceu no clube, tendo em 1994-95 subido à II B, patamar em que atuou em 25 partidas (18 a titular) e faturou por duas vezes, frente a Quarteirense e Oriental, mostrando-se mais uma vez impotente para impedir a despromoção.
No verão de 1996 mudou-se para o Lagoa, mas um ano depois regressou ao Estádio Dr. Francisco Vieira para jogar uma época nos distritais da AF Algarve, rumando depois ao Armacenenses.
 
 

6. Saraiva (48 jogos)

Saraiva
Lateral esquerdo formado no Silves, ascendeu à equipa principal em 1986-87, tendo festejado a subida à II Divisão Nacional logo na época de estreia.
Após três anos a competir na II Divisão, estreou-se na recém-criada II Divisão B em 1990-91, tendo disputado 26 jogos (22 a titular), ajudando os barlaventinos a obter um honroso 10.º lugar.
Na época que se seguiu atuou em 22 partidas (todas como titular), mas foi impotente para evitar a despromoção.
Após a descida à III Divisão mudou-se para o Lagoa, mas haveria de regressar ao Estádio Dr. Francisco Vieira poucos meses depois, voltando aos lagoenses em 1993-94.
 
 

5. Carlos Alberto (51 jogos)

Carlos Alberto
Médio proveniente do Vasco da Gama de Fátima já depois de ter passado pela formação de Académica, União de Leiria e Farense, reforçou o Silves no verão de 1990.
Na primeira época no emblema barlaventino disputou 22 jogos (18 a titular) na II Divisão B e apontou dois golos, frente a Esperança de Lagos e Oriental, contribuindo para a obtenção do 10.º lugar.
Já em 1991-92 foi utilizado em 29 encontros (27 a titular) e marcou um golo ao Amora, mas mostrou-se impotente para evitar a descida de divisão.
Após a despromoção mudou-se para o Fátima, tendo ainda representado o União de Lamas antes de voltar ao Estádio Dr. Francisco Vieira em 1994-95 para jogar na III Divisão.
 
 

4. Bráulio (54 jogos)

Braúlio
Jogador que cobria várias posições no ataque, nasceu na cidade angolana de Malange, mas radicou-se em Portugal ainda em tenra idade, tendo feito quase toda a formação no Silves e ascendido à equipa principal em 1993-94.
Na segunda época de sénior festejou a subida à II Divisão B, patamar competitivo em que em 1995-96 disputou 32 jogos (29 a titular) e apontou quatro golos, diante de Atlético, Praiense (dois) e Montijo, ainda assim insuficientes para evitar a despromoção.
Após mais uma temporada no Estádio Dr. Francisco Vieira, que culminou na descida aos distritais da AF Algarve, deu o salto para o Portimonense, tendo ainda passado pelo Louletano antes de voltar a casa no verão de 2005 – pelo meio, tornou-se no primeiro jogador a faturar no Estádio Algarve.
De volta ao clube que o projetou, no regresso dos silvenses à II B, atuou em 22 encontros (19 a titular) e somou quatro remates certeiros, frente a Benfica B, Torreense, Vitória de Setúbal B e Oriental, voltando a não evitar a despromoção.
Após a descida de divisão permaneceu mais uma época no clube, tendo posteriormente rumado ao Imortal. Haveria ainda de regressar ao Silves em 2010-11 e 2015-16 para jogar nos distritais algarvios.
 
 

3. Carlos Sequeira (66 jogos)

Carlos Sequeira
Não podia faltar um guarda-redes nesta lista. Nascido na cidade moçambicana de Nampula, mas desde bastante jovem em Portugal, concluiu a formação no Silves e subiu à equipa principal em 1988-89.
Entretanto passou pelo Imortal em 1990-91, mas na época seguinte regressou ao Estádio Dr. Francisco Vieira para se estrear na II Divisão B, tendo disputado 32 jogos e sofrido 63 golos no campeonato, não conseguindo evitar a descida à III Divisão.
Entretanto passou pelo União de Tomar (que já tinha representado nas camadas jovens) e voltou ao Imortal antes de regressar ao Silves no verão de 1994, festejando nessa época de retorno a subida à II B, patamar em que disputou 34 encontros e sofreu 40 golos em 1995-96, voltando a ser despromovido.
Após a descida de divisão mudou-se para o Portimonense, tendo voltado a vestir a camisola do clube em que despontou entre 2001 e 2003.
 
 

2. Pinto (69 jogos)

Pinto
Defesa central nascido em Portimão, fez a formação no Portimonense e no Silves e só conheceu dois clubes durante as quase duas décadas de carreira: Silves e Esperança de Lagos.
Um ano após ser lançado na equipa principal dos silvenses disputou 19 jogos (16 a titular) na edição inaugural da II Divisão B, em 1990-91, contribuindo para a obtenção do 10.º lugar, a melhor classificação do clube nesse patamar competitivo.
Na época seguinte atuou em 25 encontros (24 a titular) e marcou um golo ao Lusitano VRSA, ainda assim insuficiente para evitar a despromoção.
Em 1995-96 voltou à II B para ser utilizado em 25 partidas (todas como titular) e marcar um golo à Camacha, voltando a mostrar-se impotente para impedir a descida à III Divisão.
Entre 1997 e 2002 esteve ao serviço do Esperança de Lagos, voltando a vestir a camisola do Silves entre 2002 e 2005, sempre na III Divisão, despedindo-se do clube com a promoção à II Divisão B.
 
 

1. Côco (75 jogos)

Côco
Médio defensivo batalhador natural de Armação de Pêra, fez quase toda a formação no Armacenenses, clube no qual começou a jogar na categoria de seniores em 1983, tendo passado sete anos nos distritais da AF Algarve.
Em 1989 deu o salto para o Silves e em 1990-91 estreou-se na II Divisão B, tendo disputado 24 jogos (20 a titular) e marcou um golo ao União de Almeirim, contribuindo para a obtenção do 10.º lugar.
Na temporada seguinte atuou em 19 partidas (17 a titular) e marcou um golo ao Alverca, insuficiente para evitar a despromoção.
No entanto, Côco haveria de permanecer no clube até 1997, tendo sido utilizado em 32 encontros (todos como titular) e apontado três golos, diante de Barreirense, Portimonense e Odivelas, em 1995-96, voltando a mostrar-se impotente para evitar a descida à III Divisão.
Após uma passagem de dois anos pelo Lagoa, voltou a Silves em 1999-00 para jogar nos distritais algarvios, regressando depois aos lagoenses.












Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...