sábado, 5 de dezembro de 2020

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Juventude de Évora no Campeonato de Portugal

Dez jogadores que jogaram pelo Juventude de Évora em 2015-16
Promovido ao Campeonato de Portugal por decisão da Federação Portuguesa de Futebol em virtude de se encontrar no primeiro lugar da I Divisão Distrital da AF Évora à data da suspensão das competições devido à pandemia, o Juventude Sport Clube está de regresso a um patamar competitivo no qual competiu por uma vez, em 2015-16.

Fundado a 5 de dezembro de 1918, o emblema eborense conta com um longo e rico historial nos campeonatos nacionais, nos quais foi presença assídua desde a década de 1930 até 2013, quando terminou a III Divisão.


No palmarés do emblema alentejano cabem ainda dois títulos de campeão nacional da III Divisão, em 1950-51 e 2009-10.

Voltando ao Campeonato de Portugal, 42 futebolistas jogaram pelo Juventude de Évora no terceiro escalão. Vale por isso a pena recordar os dez que o fizeram por mais vezes.


10. Sebastien (25 jogos)

Sebastien
Atacante móvel nascido em Paris, mas desde tenra idade radicado no Alentejo, chegou pela primeira ao Juventude Évora em 2009-10, depois de ter passado pelos vizinhos União de Montemor e Lusitano Évora, contribuindo logo nessa época com 20 golos para a promoção das águias azuis à II Divisão B.
Na temporada seguinte voltou a estar em evidência, transferindo-se depois para o Fátima.
Após passagens por Oriental, Benfica Castelo Branco e novamente União de Montemor regressou ao Sanches de Miranda em 2015-16, apontando 12 golos em 25 jogos (24 a titular) na estreia do Juventude no Campeonato de Portugal. Lusitano VRSA (dois golos), Pinhalnovense (três), Barreirense (quatro), Castrense, Almancilense e Louletano foram as vítimas do extremo/ponta de lança luso-francês, que ainda assim não conseguiu evitar a despromoção.
Após a descida de divisão, Sebastien rumou ao Pinhalnovense.



9. Octávio Andrade (26 jogos)

Octávio Andrade
Médio ofensivo/avançado natural de Évora, até fez formação no Lusitano e no Canaviais e estreou-se no futebol sénior ao serviço do Atlético Reguengos, mas o destino colocá-lo-ia no Juventude em 2015-16 para a época de estreia dos eborenses no Campeonato de Portugal.
Nessa temporada disputou 26 jogos (15 a titular) e marcou um golo, logo na jornada inaugural, na receção ao Castrense.
Após a descida de divisão manteve-se no clube nos distritais da AF Évora por mais dois encontros, tendo depois rumado ao vizinho e rival Lusitano.



8. Pedro Amendoeira (27 jogos)

Pedro Amendoeira
Defesa central eborense de elevada estatura (1,91 m) produto da formação do Juventude, estreou-se na equipa principal ainda júnior de primeiro ano, em abril de 2011, quando as águias azuis militavam na II Divisão B.
Entretanto esteve nas descidas à III Divisão em 2012 e aos distritais em 2013, mas também na promoção ao Campeonato de Portugal em 2015. Já titular indiscutível, disputou 28 jogos (todos no onze inicial) e marcou um golo ao Cova da Piedade no terceiro escalão do futebol nacional em 2015-16, não evitando a despromoção.
Depois mudou-se para o Canaviais, mas voltou ao Sanches de Miranda em 2017-18, antes de rumar ao vizinho Lusitano.



7. Wigor (28 jogos)

Wigor
Avançado brasileiro capaz de fazer todas as posições do ataque, chegou ao Juventude Évora no verão de 2014 após cinco anos nas divisões secundárias portuguesas, tendo passado em clubes alentejanos como União de Montemor e Atlético Reguengos. Antes, no Brasil, foi companheiro de equipa do antigo atacante benfiquista Jonas na Portuguesa.
Na primeira época ajudou os eborenses a conquistar o título distrital da AF Évora e na em 2015-16 atuou em 28 partidas (13 a titular) e apontou um golo, ao Castrense, não conseguindo evitar a despromoção.
Depois rumou a norte para representar o Sampedrense, dos distritais da AF Viseu.


6. Rúben Freire (28 jogos)

Rúben Freire
Disputou 28 jogos tal como Wigor, mas amealhou mais 1162 minutos em campo – 2459 contra 1297.
Lateral/extremo esquerdo formado no clube, estreou-se pela equipa principal com apenas 16 anos, em agosto de 2009, num jogo da Taça de Portugal diante do Portomosense, numa altura em que os eborenses militavam na III Divisão.
Esteve na subida à II Divisão B em 2010, nas descidas à III Divisão em 2012 e aos distritais no ano seguinte e na promoção ao Campeonato de Portugal em 2015. Em 2015-16, na última época ao serviço do clube, disputou 28 jogos (todos a titular) e marcou três golos no terceiro escalão do futebol português, diante de Louletano (dois) e Lusitano VRSA.
O Juventude foi despromovido, mas Rúben Freire tem continuado no Campeonato de Portugal com as camisolas de Sertanense, Mafra, Loures e Amora.


5. Luís Tavares (30 jogos)

Luís Tavares
Mais um avançado móvel, este natural da cidade da Praia, capital de Cabo Verde. Depois de uma primeira passagem pelo Juventude no segundo semestre de 2011, regressou ao Sanches de Miranda em 2015-16 para jogar no Campeonato de Portugal, patamar em que já tinha atuado com as camisolas de Mafra, União de Montemor e 1º Dezembro.
Quase sempre titular, Luís Tavares disputou 30 jogos (28 a titular) e marcou três golos, apontados a Atlético Reguengos (dois) e Castrense pelas águias azuis no terceiro escalão do futebol português.
Após a despromoção manteve-se no Campeonato de Portugal por mais dois anos e meio, tendo atuado por Alcanenense, Praiense, Sintrense e Peniche.


4. Xande (31 jogos)

Xande
Outro jogador que tem feito carreira essencialmente em clubes alentejanos. Em 2010 deixou o futsal pela equipa principal de futebol do Sp. Viana do Alentejo e três anos depois chegou ao Juventude Évora.
Após duas épocas nos distritais da AF Évora, a segunda marcada pela promoção ao Campeonato de Portugal, atuou em 27 encontros (20 a titular) e marcou quatro golos no terceiro escalão do futebol portuguêsLouletano e Atlético Reguengos, com dois golos, foram as vítimas deste avançado.
Após a descida de divisão voltou ao Sp. Viana do Alentejo, mas no verão de 2019 regressou ao Sanches de Miranda para contribuir para nova promoção do Juventude ao Campeonato de Portugal.
Novamente nos patamares nacionais em 2020-21, leva quatro jogos (dois a titular) e dois golos, apontados diante de Mineiro Aljustrelense e Moura, no arranque desta temporada.




3. Markinho (31 jogos)

Markinho
Disputou o mesmo número de jogos de Xande, mas amealhou mais 749 minutos em campo - 2737 contra 1988.
Lateral direito/médio de ascendência cabo-verdiana, mas nascido em Setúbal, chegou ao Sanches de Miranda em janeiro de 2013 e por lá se manteve durante cerca de cinco anos.
Nesse período desceu à III Divisão e conquistou o título distrital da AF Évora, tendo a possibilidade de jogar no Campeonato de Portugal em 2015-16, quando atuou em 31 partidas, todas na condição de titular e grande parte com o estatuto de capitão.
Após a descida de divisão manteve-se no clube por mais ano e meio. Desde início de 2018 que tem alternado a carreira entre clubes da zona de Évora, como Estrela de Vendas Novas e Redondense, e os suíços do Stade Nyonnais.


2. Djerman (32 jogos)

Djerman Évora
Médio cabo-verdiano de características ofensivas, chegou a Portugal aos 24 anos pela porta do Mafra, em 2012, mas depois radicou-se no Alentejo, onde representou Redondense, Sp. Viana do Alentejo, Atlético Reguengos e, em 2015-16, o Juventude Évora.
Nessa temporada no terceiro escalão do futebol português, atuou em 32 partidas (31 a titular) e apontou quatro golos, diante de Atlético Reguengos (dois), Cova da Piedade e Barreirense.
Após a descida de divisão voltou ao Sp. Viana do Alentejo. Em fevereiro de 2017 foi notícia devido a uma paragem cardíaca sofrida no centro de saúde de Viana do Alentejo, para onde tinha sido levado após sentir uma indisposição no treino da equipa. Esteve na unidade de cuidados intensivos e, embora tenha recuperado, não voltou a jogar futebol.



1. Luís Carapinha (38 jogos)

Luís Carapinha
Médio ofensivo natural de Borba, jogou em dois históricos do distrito de Portalegre, o Campomaiorense e O Elvas, antes de se mudar para o Juventude no verão de 2014.
Na época de estreia no Sanches de Miranda contribuiu para a conquista do título distrital da AF Évora e em 2015-16 foi titular nas 32 partidas do Campeonato de Portugal, tendo apontado um golo ao Atlético Reguengos, ainda assim insuficiente para evitar a despromoção.
Haveria de continuar no clube e ganhar o estatuto de capitão, tendo contribuindo para nova subida ao terceiro escalão do futebol português em 2020.
De regresso ao Campeonato de Portugal em 2020-21, soma já seis encontros (todos a titular) na competição neste início de temporada.











Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...