sábado, 27 de fevereiro de 2021

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Coruchense no Campeonato de Portugal

Dez jogadores que ficaram na história do Coruchense
Líder destacadíssimo da Divisão de Honra da AF Santarém, o Grupo Desportivo «O Coruchense» está na pole position para assegurar o primeiro lugar no campeonato e consequente subida ao Campeonato de Portugal.
 
Caso venham a regressar ao terceiro escalão após três anos de ausência, a formação de Coruche volta a uma prova na qual competiu por duas vezes, sendo que ambas (2015-16 e 2017-18) culminaram na descida de divisão.
 
O clube ribatejano, que também participou por seis vezes na II e 13 na III Divisão, procura regressar aos patamares nacionais.
 
Em 62 jogos no Campeonato de Portugal, o emblema tricolor somou 14 vitórias, 14 empates, 34 derrotas e um saldo de 54-95 em golos.
 
Ao longo dessas duas presenças, 58 futebolistas jogaram pelo Coruchense na competição. Vale por isso a pena recordar os dez que o fizeram por mais vezes.
 
 

10. Amâncio Fortes (26 jogos)

Amâncio Fortes
Extremo luso-angolano que jogou ao lado de Adrien Silva, Wilson Eduardo e Marco Matias nos iniciados do Sporting e de Tom Cleverley nos juvenis do Manchester United, passou pelo Fátima e por clubes de Angola, Indonésia, Espanha, Bulgária e Moldávia antes de ingressar no Coruchense no verão de 2015, já com a época a decorrer.
Uma das figuras da equipa ribatejana no Campeonato de Portugal em 2015-16, disputou 26 jogos (25 a titular) e apontou quatro golos, diante de 1º Dezembro, Sacavenense, Loures e Torreense, mas foi impotente para evitar a despromoção.
Depois prosseguiu o seu percurso como globetrotter do futebol, tendo voltado à Moldávia, passado pela Letónia e jogado em Portugal ao serviço de Casa Pia e Recreio de Águeda.
 
 

9. Igor Caetano (28 jogos)

Igor Caetano
Médio brasileiro de características ofensivas, chegou a Portugal no verão de 2014 para reforçar a União de Leiria, mas não chegou a estrear-se oficialmente pelos leirienses e rumou pouco depois ao Torreense.
No ano seguinte transferiu-se para o Coruchense, clube pelo qual disputou 28 jogos (22 a titular) no Campeonato de Portugal e apontou seis golos, frente a Loures (dois), Sacavenense (três) e Eléctrico, registo que fez dele um dos melhores marcadores da equipa – a par de Iaquinta – mas ainda assim insuficiente para ajudar o emblema tricolor a assegurar a permanência.
Após a descida de divisão rumou a Trás-os-Montes para representar o Mirandela.
 
 

8. Joel (28 jogos)

Joel Simões
Disputou o mesmo número de jogos de Igor Caetano, mas amealhou mais 223 minutos em campo – 2248 contra 2025.
Avançado ribatejano, natural de Salvaterra de Magos, reforçou pela primeira vez o Coruchense no início de 2014, já depois de ter passado por Cartaxo e Fazendense.
Na segunda temporada no Estádio Municipal Professor José Peseiro contribuiu para a conquista do título distrital e da Taça AF Santarém, ajudando o emblema tricolor a regressar aos campeonatos nacionais após 13 anos de ausência. No entanto, em 2015-16 não jogou no Campeonato de Portugal porque regressou ao Fazendense. 
Ainda assim, no verão de 2016 voltou a Coruche para se sagrar novamente campeão distrital, tendo em 2017-18 atuado em 28 jogos (25 a titular) no terceiro escalão do futebol português e apontou dois golos, diante de Fátima e Praiense, não conseguindo evitar a despromoção.
Após a descida de divisão permaneceu no clube até 2020, quando se transferiu para o Salvaterrense, clube onde iniciou a formação.
 
 
 

7. Branco (28 jogos)

Branco
Disputou o mesmo número de jogos de Joel Simões e Igor Caetano, mas amealhou mais minutos em campo: 2431.
Possante defesa central/médio defensivo (1,87 m) proveniente do Atlético, ingressou no Coruchense no verão de 2017 e rapidamente se assumiu como titular indiscutível, tendo na única época que passou no clube disputado 28 jogos (27 a titular) no Campeonato de Portugal e apontado dois golos, frente a Praiense e Fátima, insuficientes para evitar a despromoção.
Após a descida de divisão mudou-se para o Olímpico Montijo.
 
 
 

6. Mauro Andrade (28 jogos)

Mauro Andrade
Disputou o mesmo número de jogos de Branco, Joel Simões e Igor Caetano, mas amealhou mais minutos em campo: 2450.
Médio defensivo que passou pela formação do Belenenses, reforçou o Coruchense no verão de 2017, proveniente do Vilafranquense.
Na única temporada que esteve em Coruche foi titular nos 28 jogos que disputou no Campeonato de Portugal, mas mostrou-se impotente para evitar a despromoção.
Após a descida de divisão continuou a jogar em clubes do terceiro escalão do futebol português, nomeadamente Loures, Fátima, Torreense e Lusitano Évora.
 
 
 

5. Lucas Manoel (28 jogos)

Lucas Manoel
Disputou o mesmo número de jogos de Mauro Andrade, Branco, Joel Simões e Igor Caetano, mas amealhou mais minutos em campo: 2458.
Defesa central brasileiro possantíssimo (1,96 m), entrou no futebol português pela porta dos juniores do Nacional nas primeiras semanas de 2015, mas meio ano depois reforçou o Coruchense.
Na única temporada que passou no Estádio José Peseiro foi titular nos 28 encontros que disputou no Campeonato de Portugal, mas foi impotente para evitar a despromoção.
Após a descida de divisão transferiu-se para o Moura, clube em que fixou desde então, à exceção de uma curta passagem pelo Cesarense.
 
 

4. Cajarana (29 jogos)

Cajarana
Mais um jogador ribatejano, neste caso um defesa central/esquerdo natural do Cartaxo e que fez quase toda a formação no clube local, o Sport Lisboa e Cartaxo, pelo qual também se estreou no futebol sénior.
No verão de 2016 mudou-se para o Coruchense e logo na primeira temporada com a camisola tricolor conquistou o título distrital da AF Santarém e consequente subida ao Campeonato de Portugal, patamar em que disputou 29 jogos (todos como titular) em 2017-18, não conseguindo evitar a despromoção.
Após a descida de divisão permaneceu mais um ano do clube, tendo vencido a Supertaça distrital antes de rumar à União de Santarém.
 
 


3. Tiago Batista (29 jogos)

Tiago Batista
Disputou o mesmo número de jogos de Cajarana, mas amealhou mais um minuto em campo – 2506 contra 2505.
Mais um jogador natural do Cartaxo e que chegou a Coruche no verão de 2016 proveniente do Sport Lisboa e Cartaxo, tal como Pedro Soares, David Silva, Ricardo Henriques, Rafael Barbosa e o já mencionado Cajarana.
Na primeira época no Estádio José Peseiro sagrou-se campeão distrital da AF Santarém e conseguiu a consequente subida ao Campeonato de Portugal, patamar em que em 2017-18 atuou em 29 partidas (todas a titular) e apontou sete golos, registo que fez dele o melhor marcador da equipa nessa temporada, algo notável para um médio, mas que não impediu a descida de divisão. Vilafranquense, Alcanenense, Guadalupe (dois), Eléctrico, Sintrense e Lusitânia dos Açores foram as vítimas de Tiago Batista.
Após a despromoção permaneceu no terceiro escalão do futebol português, prova em que continuou a jogar com a camisola do Sertanense.
 
 
 

2. Assane (29 jogos)

Assane Baldé
Disputou o mesmo número de jogos de Tiago Batista e Cajarana, mas amealhou mais minutos em campo: 2549.
Defesa lateral com nacionalidades senegalesa e guineense, entrou no futebol português pela porta do Alcanenense em 2014-15, tendo na época seguinte continuado no Ribatejo, mas ao serviço do Coruchense.
Titularíssimo na equipa tricolor, participou em 29 encontros (28 no onze inicial), mas foi impotente para evitar a descida de divisão.
Após a despromoção rumou a norte para representar o Lusitano Vildemoinhos.
 
 


1. Márcio Semeano (46 jogos)

Márcio Semeano
O único jogador que esteve nas duas participações do Coruchense no Campeonato de Portugal.
Defesa central/médio defensivo ribatejano natural de Benavente, fez quase toda a formação e os primeiros anos de sénior no Grupo Desportivo Benavente, tendo ainda passado pelo Cartaxo antes de reforçar o Coruchense no verão de 2013.
Na segunda época com a camisola tricolor sagrou-se campeão distrital e ajudou o clube a regressar aos campeonatos nacionais após 13 anos de ausência, tendo em 2015-16 disputado 24 jogos (21 a titular) no Campeonato de Portugal, mas sem evitar a despromoção.
Na temporada que se seguiu voltou a conquistar o título distrital da AF Santarém e a assegurar nova subida de divisão, tendo participado em 22 encontros (todos como titular) no terceiro escalão do futebol português em 2017-18, mas sem evitar novamente a descida aos distritais ribatejanos.
Após mais uma despromoção permaneceu mais um ano no clube, tendo depois regressado ao Cartaxo e posteriormente ao Benavente.




 



Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...