quinta-feira, 1 de outubro de 2020

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Vasco da Gama de Vidigueira na III Divisão

Vasco da Gama da Vidigueira disputou III Divisão - Série F em 2012-13
Fundado a 1 de outubro de 1945, por um grupo de jovens que pretendia desenvolver a prática desportiva na vila da Vidigueira, Clube de Futebol Vasco da Gama, cujo nome visa honrar aquele que foi o primeiro conde de Vidigueira e o descobridor do caminho marítimo para a Índia, participou pela primeira vez nos campeonatos nacionais em 2012-13, quando disputou a III Divisão.

A formação alentejana beneficiou do quarto lugar na I Distrital da AF Beja na época anterior e das recusas em subir de Praia de Milfontes e Ferreirense para alcançar uma presença histórica nos patamares nacionais, tendo ficado integrado na Série F.


Após ter concluído a primeira fase em sexto lugar, o que lhe valeu o direito de participar na fase de promoção à edição inaugural do Campeonato de Portugal, concluiu a derradeira etapa também na sexta posição, o que ditou a queda nos distritais e a ausência na Taça de Portugal na época seguinte.

Alguns anos depois, em 2018-19, o Vasco da Gama da Vidigueira voltou aos campeonatos nacionais para participar no Campeonato de Portugal, mas voltou a cair nos distritais bejenses ao fim de uma temporada.

No total, 33 futebolistas jogaram pelo emblema alentejano na III Divisão. Vale por isso a pena recordar os dez que o fizeram por mais vezes.


10. Williams (20 jogos)

Williams
Disputou 20 jogos tal como Zé Feio, mas amealhou mais 142 minutos em campo – 1890 contra 1748.
Extremo que vinha a fazer carreira na zona de Lisboa, tendo passado pela formação de Real SC e Mafra e jogado nos seniores de Odivelas e Alta de Lisboa, trocou os minhotos do Fão pelo Vasco da Gama de Vidigueira no verão de 2012.
Pela formação alentejana atuou em 20 partidas (19 como titular) e marcou dois golos, diante de Mineiro Aljustrelense e Atlético Reguengos, não evitando a despromoção aos distritais da AF Beja.
Depois prosseguiu a carreira no Sp. Espinho e no Malveira, no Campeonato de Portugal.


9. Mário Verdades (22 jogos)

Mário Verdades
Médio nascido em Canidelo, Vila Nova de Gaia, mas radicado no Baixo Alentejo desde tenra idade, fez grande parte da formação no Vasco da Gama de Vidigueira, ainda que em júnior tivesse passado pelo Desportivo de Beja.
Os primeiros quatro anos de sénior foram passados na equipa principal dos vidigueirenses. Depois passou por Barrancos e Moura, tendo regressado à Vidigueira a meio da época 2011-12.
Na temporada seguinte representou os vascaínos na III Divisão, tendo atuado em 22 jogos (21 a titular) e marcado um golo ao Monte do Trigo, mas foi impotente para evitar a despromoção.
Depois prosseguiu a carreira em outros clubes nos distritais da AF Beja, ainda que pelo meio se tivesse aventurado no futsal.
  

8. Paulo Alves (23 jogos)

Paulo Alves
Médio de elevada estatura (1,88 m) e com formação dividida entre Odivelas e Académica, rumou ao Vasco da Gama da Vidigueira no seu primeiro ano de sénior para jogar na III Divisão.
Em 2012-13 disputou 23 encontros (21 a titular) no campeonato, não conseguindo evitar a descida aos distritais da AF Beja.
Depois mudou-se para o Nogueirense, do Campeonato de Portugal, e, entretanto, experimentou os campeonatos de Chipre e Angola. Desde 2015 que não joga futebol.



7. Ricardo Calado (24 jogos)

Ricardo Calado
Defesa central que passou pela formação do Portimonense e que entrou no futebol sénior pela porta do Farense, trocou o Despertar pelo Vasco da Gama da Vidigueira no verão de 2012, mantendo-se na III Divisão.
Titular nas 24 partidas que disputou no campeonato ao serviço dos vidigueirenses, não impediu a descida de divisão, mas continuou no clube por mais uma época após a despromoção, na I Distrital da AF Beja.
Depois regressou ao Algarve, para representar o Guia e depois o Imortal.


6. Aragão (24 jogos)

Aragão
Disputou 24 jogos tal como Ricardo Calado, mas amealhou mais 26 minutos em campo – 2129 contra 2103.
Guarda-redes formado no Estoril e internacional português sub-18, jogou de quinas ao peito ao lado de Pedro Mendes, Josué, André Almeida, Rui Fonte e Wilson Eduardo, entre outros. Porém, sentiu algumas dificuldades na transição para os seniores, tendo passado sem grande sucesso por Oeiras, Mineiro Aljustrelense e pelos espanhóis do Jerez e do Badajoz.
No verão de 2012 transferiu-se para o Vasco da Gama de Vidigueira, onde teve a época mais produtiva da carreira, tendo participado em 24 encontros (23 a titular) e sofrido 45 golos, não evitando a queda nos distritais.
Depois deixou de jogar futebol, apesar de ter apenas 22 anos na altura.



5. José Verdades (25 jogos)

José Verdades
Defesa e irmão mais velho de Mário Verdades, começou a jogar na Filarmónica Baleizão em 2000-01, rumando ao Vasco da Gama de Vidigueira na época seguinte, quando o clube militava na II Divisão Distrital da AF Beja. E por lá se manteve até 2005.
Entretanto passou por Portel, Piense e Serpa, tendo regresso à Vidigueira no verão de 2007 para mais quatro anos no emblema vascaíno. Em 2011-12 mudou-se para o Cuba, mas a meio dessa temporada voltou aos vidigueirenses.
Na época seguinte disputou 25 jogos (23 a titular) e marcou um golo Juventude de Évora na III Divisão, não evitando a despromoção.
Após a descida de divisão manteve-se no clube até 2016, ainda que tivesse tido uma curta passagem pelos Oriolenses em 2014-15.


4. José Maria Navas (25 jogos)

José Maria Navas
Disputou 25 jogos tal como José Verdades, mas amealhou mais 25 minutos em campo – 2102 contra 2077.
Defesa central/médio defensivo natural de Moura, fez toda a formação e iniciou o trajeto no futebol sénior com a camisola do Moura.
No verão de 2012 transferiu-se para o Vasco da Gama de Vidigueira, tendo atuado em 25 partidas e apontado um golo ao Castrense na III Divisão – Série F, não evitando a despromoção.
Embora estivesse habituado a jogar em campeonatos nacionais até então, tem-se mantido no clube desde a descida aos distritais da AF Beja e, entretanto, conquistou o estatuto de capitão.


3. Abílio (28 jogos)

Abílio
Embora se chame Vítor Manuel Vicente Silva Teixeira, no futebol tem Abílio como nome de guerra.
Jogador possante (1,86 m), polivalente e experiente, foi formado e iniciou o seu trajeto como sénior no Cuba, passou por Portel, Monte do Trigo, Ferreirense, Serpa, Desportivo de Beja e Piense antes de ingressar no Vasco da Gama da Vidigueira no verão de 2010, à beira de completar 32 anos.
Após dois anos no Distritalão da AF Beja, participou em 28 jogos (todos como titular) na Série F da III Divisão em 2012-13, não evitando a despromoção.
Depois prosseguiu a carreira no Castrense.


2. Zé Cláudio (30 jogos)

Zé Cláudio
Médio de baixa estatura formado e estreado no futebol sénior pelo Desportivo de Beja, passou por Ourique, Moura, Vasco da Gama de Sines, Mineiro Aljustrelense, Serpa e Castrense nos campeonatos nacionais e Despertar e Ferreirense nos distritais da AF Beja antes de se mudar para a Vidigueira no verão de 2012.
Nessa temporada participou em 30 partidas (29 a titular) na III Divisão, não evitando a despromoção, numa época em que comemorou o 32.º aniversário.
Haveria de se manter no clube até 2015, rumando depois ao Piense.
Atualmente tem 40 anos e já está comprometido com o Albernoense para 2020-21.



1. Mané (31 jogos)

Mané
Ponta de lança possante (1,86 m) de ascendência guineense, estava a fazer grande parte do seu trajeto no futebol em clubes da zona de Lisboa, nomeadamente CAC da Pontinha, Oriental e União de Tires.
Ainda assim, chegou ao Vasco da Gama de Vidigueira no verão de 2012, proveniente do Mineiro Aljustrelense. Titular indiscutível nos vascaínos, atuou em 31 jogos (30 a titular) e marcou seis golos no campeonato, diante de Castrense, Monte do Trigo, Sesimbra (dois), Lagoa e Juventude de Évora, insuficientes para evitar a despromoção – Mané só não foi o melhor marcador dos vidigueirenses nessa época porque Zé Feio somou oito remates certeiros.
Após a descida aos distritais rumou ao Lourinhanense.

















Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...