terça-feira, 24 de março de 2020

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Cova da Piedade na II Liga

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Cova da Piedade na II Liga
Fundado a 28 de janeiro de 1947 na sequência da fusão entre o União Piedense Futebol Clube (também conhecido por epíteto “Espanhóis”, devido às cores dos equipamentos) e o Sporting Clube Piedense, o Clube Desportivo da Cova da Piedade viveu o momento mais alto da sua história em 2016, quando se sagrou vencedor do Campeonato de Portugal e ascendeu pela primeira vez a uma liga profissional, a II Liga.


Três anos antes, os piedenses competiam nos campeonatos distritais da Associação de Futebol de Setúbal, mas foi nas antigas II Divisão (Zona Sul) e III Divisão que passou grande parte da sua história. Em 1947-48 e em 1970-71 sagraram-se mesmo campeões da III Divisão.

Em três épocas completas na II Liga, o emblema do concelho de Almada tem conseguido, com maior ou menor dificuldade, obter a permanência, tendo alcançado em 2017-18 a melhor classificação de sempre no segundo escalão, o 9.º lugar, numa temporada em que João Barbosa, primeiro, e Bruno Ribeiro, depois, assumiram o comando técnico. No entanto, esta época não estava a correr bem ao Cova da Piedade, que por altura da paragem do campeonato devido à pandemia de covid-19 ocupava um dos lugares de descida, a sete pontos da zona de salvação.

Neste período, 84 futebolistas representaram o clube na II Liga. Vale por isso a pena recordar a lista dos 10 que o fizeram por mais vezes.


10. Miguel Rosa (48 jogos)

Miguel Rosa



9. Sori Mané (49 jogos)

Sori Mané



8. Adilson (55 jogos)

Adilson
Adilson chegou ao Cova da Piedade no verão de 2016 como um lateral/extremo direito experiente, já com rodagem de II Liga ao serviço de Atlético, União da Madeira, Olhanense e Varzim, além de ter passado sem sucesso Belenenses na I Liga em 2014-15. No fundo, o reforço adequado para encarar a primeira época do clube numa liga profissional.
Em 2016-17 acabou por ser utilizado mais vezes como extremo do que lateral, uma vez que o lado direito da defesa esteve entregue a Chico Gomes, tendo disputado 26 jogos (17 como titular). Na temporada seguinte foi titular indiscutível, tendo cumprido 29 partidas (27 como titular).
Apesar de ter sido muito utilizado, não ficou no emblema piedense em 2018-19, tendo rumado ao Loures.


7. Ballack (61 jogos)

Ballack
Tem nome de médio alemão, mas é um extremo cabo-verdiano. Ballack foi contratado ao Benfica de Castelo Branco em janeiro de 2017 e nunca foi propriamente um titular indiscutível durante os dois anos e meio que passou no Cova da Piedade.
Na primeira meia época efetuou 10 jogos (cinco a titular) na II Liga. Em 2017-18, na primeira temporada completa, esteve em 29 partidas (14 como titular) e apontou dois golos. No ano seguinte, perdeu algum gás, mas ainda assim participou em 22 encontros (14 como titular). Em mais de seis dezenas de desafios, deu nas vistas pela rapidez e pelo pé esquerdo capaz de causar desequilíbrios, mas também pela irregularidade.
No verão do ano passado colocou um ponto final na sua ligação ao clube, tendo rumado ao Real SC.



6. Hugo Firmino (68 jogos)

Hugo Firmino
O homem dos grandes golos. Formado no concelho de Almada, nos vizinhos Almada e Beira-Mar Almada, chegou ao emblema mais representativo da cidade no verão de 2017, depois de passagens por vários clubes dos distritais, III Divisão e II Divisão B, pelo futebol angolano e por três clubes da II Liga: oriental, União da Madeira e Gil Vicente.
Nos dois anos em que vestiu a camisola azul e grená, foi quase sempre um titular indiscutível numa das alas do ataque. Em 2017-18 participou em 35 jogos (31 como titular) no campeonato, tendo apontado dois golos. Na época seguinte foi utilizado em 33 das 34 partidas da II Liga (31 a titular) e faturou por sete vezes.
No verão do ano passado deixou o Municipal José Martins Vieira para ingressar no futebol romeno, mas ao fim de pouco tempo no Universitatea Cluj regressou a Portugal pela porta do Estoril.



5. Soares (70 jogos)

Soares
Os caminhos do Cova da Piedade e de Soares cruzaram-se quando os piedenses tinham acabado de vencer o Campeonato de Portugal e o médio brasileiro tinha sido despromovido à II Liga pela União da Madeira, depois de já ter representado os madeirenses, Portimonense e Arouca no primeiro escalão. Ou seja, o encaixe perfeito entre um jogador experiente e um clube estreante nas ligas profissionais.
Sem grande surpresa, Soares foi titular indiscutível durante as duas épocas que passou no emblema do concelho de Almada, 2016-17 e 2017-18, tendo sido titular em 69 dos 70 encontros que disputaram.
No verão de 2018 voltou ao Arouca, um clube que já tinha representado por empréstimo de FC Porto e Rio Ave. Hoje é titular indiscutível do Gil Vicente, na I Liga.


4. Pedro Alves (76 jogos)

Pedro Alves
O único jogador desta lista restrita que esteve na subida do Cova da Piedade à II Liga e que jogou pelo clube no segundo escalão. Embora tivesse jogado por Belenenses, Estrela da Amadora e Vitória de Setúbal na I Liga, viveu talvez alguns dos momentos de maior brilho na carreira nos piedenses, que representou entre 2014 e 2018.
No jogo que deu o título do Campeonato de Portugal ao clube do concelho de Almada, foi o herói no desempate por grandes penalidades diante do Vizela, tendo defendido dois penáltis. E nas duas épocas seguintes foi fundamental para garantir a permanência. Em 2016-17 foi mesmo totalista no campeonato, tendo cumprido os 3780 minutos (42 jogos) da competição. Na temporada que se seguiu, a última da carreira, foi por quatro vezes ao banco, mas foi titular nas restantes 38 partidas.
Após pendurar as luvas tornou-se treinador de guarda-redes, tendo já desempenhado esse cargo no Belenenses SAD e no Sporting, enquanto elemento da equipa técnica de Silas.


3. Dieguinho (77 jogos)

Dieguinho
Mais um jogador com passado de I Liga que reforçou o Cova da Piedade na época de estreia na II Liga. O extremo brasileiro chegou ao Municipal José Martins Vieira oriundo do Estoril, clube ao qual esteve ligado entre 2012 e 2016, ainda que tivesse estado emprestado a Beira-Mar e Portimonense pelo meio.
Durante as três épocas que representou os piedenses foi sempre um dos principais desequilibradores e goleadores da equipa, ao ponto de ser o melhor marcador de sempre do clube no segundo escalão, com 19 golos. Em 2016-17 cumpriu 32 jogos (31 como titular) e marcou seis golos e em 2017-18 efetuou 30 partidas (27 como titular) e faturou por 12 vezes.
Na última época esteve apenas em 15 encontros (oito como titular) e marcou um golo, mas com a atenuante de ter estado algum tempo fora dos convocados por se encontrar em final de contrato e por já se saber que se tinha comprometido com o Belenenses SAD.
Nos azuis tem sentido dificuldades de afirmação, tendo alternado entre a equipa principal e os sub-23.


2. Robson (88 jogos)

Robson
Médio brasileiro com ascendência japonesa, reforçou o Cova da Piedade na estreia da II Liga quando já tinha sete épocas de experiência no segundo escalão, ao serviço de Oliveirense, Moreirense, Portimonense, Penafiel, Tondela e Freamunde.
Dotado de alguma qualidade de passe, foi presença assídua no onze nas duas primeiras temporadas, tendo disputado 39 jogos (33 como titular) e marcado cinco golos em 2016-17 e 37 encontros (35 como titular) e três remates certeiros em 2017-18.
Em 2018-19 esteve cedido ao Eastern, de Hong Kong, mas nesta época voltou aos piedenses e logo como um dos capitães. Levava 12 jogos (11 como titular) na II Liga até à interrupção das competições devido à pandemia de covid-19.



1. Evaldo (113 jogos)

Evaldo
Não só é o recordista de jogos pelo Cova da Piedade na II Liga como um dos jogadores mais mediáticos que alguma vez vestiu o equipamento azul e grená. Evaldo chegou a Almada com um currículo no qual constavam passagens por FC Porto, Marítimo, Sp. Braga, Sporting, Deportivo da Corunha, Gil Vicente e Moreirense, tendo sido campeão nacional pelos portistas em 2003-04, vencedor da Taça Intertoto pelos bracarenses em 2008 e semifinalista da Liga Europa pelos leões em 2011-12.
Apesar de já se encontrar em final de carreira, foi um brioso profissional durante as três épocas que representou os piedenses, dando bastante consistência ao corredor esquerdo e envergando a braçadeira de capitão. 112 dos 113 que disputou pelo clube na II Liga foram na condição de titular, tendo marcado cinco golos.
Tudo apontava para que o lateral esquerdo brasileiro continuasse ao serviço do Cova da Piedade nesta época, até porque tinha acabado de renovar contrato por mais uma época, mas à última hora foi notificado para não se apresentar nos exames médicos. Acabou por rescindir unilateralmente depois de ter sido impedido de treinar com os sub-23, tendo rumado ao Torreense.

















Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...