sábado, 24 de outubro de 2020

Hell in a Cell. Os 10 melhores combates de sempre

Combate Hell in a Cell foi criado em 1997 e teve mais de 40 edições
O Hell in a Cell ganhou um pay-per-view próprio a partir de 2009, mas a sua história na WWE remonta a 1997, quando teve lugar o primeiro de mais de 40 combates no interior da robusta e fechada estrutura de aço que cobre o ringue e ainda parte da zona adjacente.

O Hell in a Cell foi inspirado no combate The Last Battle of Atlanta, que a 23 de outubro de 1983 opôs Tommy Rich e Buzz Sawyer, da Georgia Championship Wrestling (GCW). Nessa luta, ao contrário do que era habitual nos tradicionais combates de jaula, havia um telhado, pelo que escapar não era uma opção – a vitória teria de ser obtida por pinfall ou quando um dos intervenientes não respondesse à contagem de dez.


Durante muitos anos o The Last Battle of Atlanta foi considerado uma espécie de mito. O vídeo do combate esteve na posse da World Championship Wrestling (WCW), que em 2001 foi adquirida pela WWE, que por sua vez o tornou pela primeira vez público em setembro de 2016.


A 5 de outubro de 1997, Shawn Michaels e The Undertaker digladiaram-se no primeiro (e para muitos, o melhor) duelo deste género na WWE – ainda WWF na altura -, numa contenda que serviu para apurar o candidato principal ao WWF Championship.

Daí para cá, os Hell in a Cell matches têm-se sucedido na WWF/WWE. No total, são já mais de quatro dezenas. Vale por isso a pena conhecer a nossa lista de dez melhores, por ordem cronológica.


Badd Blood: In Your House (1997)
Hell in a Cell match para determinar o candidato principal ao WWF World Heavyweight Championship no Survivor Series: 
Shawn Michaels vs. The Undertaker
O primeiro Hell in a Cell match da história. Cerca de dois meses antes, no SummerSlam, Shawn Michaels foi designado árbitro de um combate entre The Undertaker e Bret Hart pelo WWF World Heavyweight Championship e acabou por ter interferido deliberadamente para custar a derrota ao Deadman.
Como resultado, HBK e Undertaker defrontaram-se no In Your House: Ground Zero, mas o duelo terminou em no contest depois de ambos terem atacado os árbitros.
Estava previsto que o confronto seguinte entre ambos fosse num Steel Cage match, porém, foi construída uma estrutura coberta e maior para receber o combate.
Paralelamente, o antigo manager de The Undertaker, Paul Bearer, que ficou com a cara queimada devido a uma bola de fogo lançada pelo Deadman no In Your House 14: Revenge of the 'Taker, comparou esse incidente ao que queimou a casa funerária que consequentemente matou os pais de The Undertaker e possivelmente o seu meio-irmão mais novo. Bearer culpou Undertaker pela morte dos pais e disse ter provas de que o meio-irmão dele, Kane, estava vivo e ia à WWF para desafiar o Deadman.



King of the Ring 1998
Hell in a Cell match: 
Mankind vs. The Undertaker
No pay-per-view anterior, Steve Austin venceu o alter ego de Mick Foley, Dude Love, após a interferência de The Undertaker, num combate atribulado arbitrado por Vince McMahon e no qual estava em jogo o WWF Championship.
No dia seguinte, no Raw is War, Kane bateu The Undertaker para se tornar no novo candidato principal e, uma semana depois, Kane, Mankind (outro alter ego de Foley) e The Undertaker atacaram Austin e colocaram-no dentro de um caixão.
No episódio de 15 de junho do Raw is War, Mankind e Kane formaram equipa frente a Stone Cold Steve Austin e The Undertaker no segundo Hell in a Cell match da história. A contenda terminou em no-contest, depois de o Deadman ter aliado Paul Bearer (na altura aliado de Mankind e Kane) no interior da cela, enquanto Austin atacou Kane no topo da estrutura.
Tudo isto levou à marcação do terceiro Hell in a Cell da história, 13 dias depois, no pay-per-view King of the Ring, com Mankind e The Undertaker como intervenientes.



No Way Out 2000
Hell in a Cell Title vs. Career match pelo WWF Championship: 
Triple H (c) vs. Cactus Jack
Dois meses e meio antes, Triple H bateu o seu sogro Vince McMahon no Armageddon num No Holds Barred match depois de Stephanie McMahon, com quem o The Game casou após droga-la no inicio de 1999, ter traído o pai e passado para o lado daquele que, afinal, era o seu marido.
Isto levou ao início da Era McMahon-Helmsley, até porque Vince McMahon e o filho Shane deixaram repentinamente a empresa após o combate. Stephanie e, por precaução, Triple H, ficaram a cargo da WWF.
A partir desse momento o casal foi derrubando os seus rivais com a ajuda dos recém-reunidos D-Generation X, o que levou a um pole match entre Mankind e The Rock, em que o primeiro a agarrar no contrato manteria o seu emprego. Mankind perdeu e por isso foi despedido.
Na edição de 3 de janeiro de 2000 do Raw is War, Triple H venceu The Big Show para reconquistar o WWF Championship, que tinha perdido em novembro no Survivor Series. Ainda nessa noite, Foley surgiu a partir do público para ajudar The Rock num combate handicap contra os DX para prevenir que The Rock fosse despedido.
Uma semana depois, Mankind foi recontratado e juntou-se a The Rock e aos The Acolytes para defrontar os quatro membros dos DX, porém, Triple H deu a vitória à sua equipa ao fazer o assentamento em Mankind após um Pedigree.
Entretanto foi anunciado que Triple H iria defender o seu título no Royal Rumble contra Mankind, mas este anunciou numa edição do SmackDown! que não estava preparado para defrontar o The Game. No entanto, logo a seguir disse que tinha um substituto e anunciou… Cactus Jack, alter ego de Foley que já não era visto na WWF há quase dois anos.
No Rumble, ambos mediram forças numa Street Fight e Triple H levou a melhor, mas na noite seguinte o The Game deu a Cactus Jack uma nova oportunidade pelo título no No Way Out e até lhe deu a escolher a estipulação. Cactus Jack escolheu um Hell in a Cell match e acordou em retirar-se em caso de derrota.



Armageddon 2000
Hell in a Cell match pelo WWF Championship: 
Kurt Angle (c) vs. The Rock vs. Stone Cold Steve Austin vs. Triple H vs. The Undertaker vs. Rikishi
Menos de dois meses antes, Kurt Angle conquistou o WWF Championship ao vencer The Rock no pay-per-view No Mercy num No Disqualification match.
Nas semanas seguintes Angle reteve o título ao bater The Undertaker no Survivor Series e ao bater The Rock, Rikishi e Stone Cold Steve Austin num Fatal Four Way match no Rebellion.
Posto isto, o comissário do SmackDown!, Mick Foley, anunciou que Kurt Angle iria defender o seu título no Hell in a Cell match de seis homens frente a Triple H e aos quatro adversários que havia derrotado nas semanas anteriores. Vince McMahon ainda tentou que os seis recusassem participar, mas não conseguiu.



No Mercy 2002
Hell in a Cell match pelo WWE Championship: 
Brock Lesnar (c) vs. The Undertaker
No mês anterior, Brock Lesnar defendeu o título frente a The Undertaker no Unforgiven, mas o combate terminou em no contest após o árbitro ter sido atacado durante uma brawl entre os dois lutadores.
Quatro dias depois, no SmackDown!, o Deadman venceu Matt Hardy, que tinha interferido no combate pelo WWE Championship no Unforgiven. Após este duelo, Lesnar atacou Undertaker com o cinturão.
Na semana seguinte, Hardy desforrou-se e venceu Undertaker num Falls Count Anywhere match após interferência de Lesnar, que aplicou um F-5 no Phenom e ainda lhe partiu a mão. Nessa noite, Lesnar foi informado pelo manager Paul Heyman de que a General Manager do SmackDown!, Stephanie McMahon, agendou um Hell in a Cell match com título em jogo no pay-per-view No Mercy, com Undertaker novamente como pretendente.
No entanto, ainda havia mais episódios para alimentar a rivalidade entre os dois. No episódio de 10 de outubro do show azul, Lesnar e Heyman escoltaram até à arena uma mulher, Tracy, que acusou Undertaker de o ter enganado, por alegadamente ter dormido com ela durante três meses sem lhe dizer que era casado e que a esposa dele, Sara, estava grávida. Undertaker disse que nunca tinha visto Tracy antes e tentou convencer a mulher pelo telefone de que era inocente. Porém, Sara mostrou-se relutante e o Deadman descarregou as suas frustrações em Lesnar, ao ataca-lo com o gesso da sua mão partida.
Na semana que se seguiu, Undertaker admitiu que mentiu sobre não conhecer Tracy e disse que a tinha conhecido antes de conhecer Sara. Porém, Tracy discordou e disse a Stephanie que tinha estado com Undertaker dez dias antes. Entretanto, Lesnar e Heyman exigiram a Stephanie que proibisse Undertaker de utilizar o gesso durante o combate marcado para o No Mercy. Em retaliação, Undertaker utilizou o gesso para atacar novamente Lesnar, deixando-o a sangrar. Ainda assim, Stephanie deu permissão ao Deadman para utilizar o gesso.



Vengeance 2005
Hell in a Cell match pelo World Heavyweight Championship: 
Batista (c) vs. Triple H
O último capítulo de uma rivalidade intensa entre dois ex-aliados. Em janeiro Batista venceu o Royal Rumble e escolheu defrontar na Wrestlemania 21 o até então amigo Triple H e ir atrás do World Heavyweight Championship em detrimento de lutar pelo WWE Championship de JBL.
Na Wrestlemania, Batista venceu, assim como venceu no pay-per-view seguinte, o Backlash.
Entretanto, teve lugar o Gold Rush Tournament para determinar o candidato principal pelo cinturão do Animal. Nesse torneio, Triple H foi eliminado logo na primeira ronda, tendo sido forçado a desistir por Chris Benoit. Porém, quem venceu o torneio foi Edge, que havia eliminado Shawn Michaels e Kane.
Batista reteve o título ante o Rated-R Superstar após um Batista Bomb no episódio de 23 de maio do Monday Night Raw, mas no final do combate foi brutalmente atacado por Triple H, que utilizou a marreta e desafiou o campeão para um Hell in a Cell match no Vengeance. A seguir a lançar o desafio, o The Game aplicou um Pedigree em Batista, que acabou por aceitar a proposta.



Hell in a Cell match: 
The Undertaker vs. Edge
The Undertaker e Edge tinham-se defrontado por quatro vezes em PPV pelo World Heavyweight Championship no decorrer desse ano. No primeiro, na Wrestlemania XXIV, o Deadman conquistou o título depois de garantir a title shot numa Elimination Chamber no PPV No Way Out.
No segundo, no Backlash, Undertaker defendeu o cinturão com sucesso, ao fazer Edge desistir com uma submissão sufocante, o Gogoplata. No entanto, a então General Manager do SmackDown e então noiva de Edge, Vickie Guerrero, retirou o título a Undertaker e baniu o Gogoplata para “proteger as estrelas do SmackDown”.
Os dois voltaram a medir forças pelo título vago no Judgment Day e Undertaker voltou a ganhar, mas por countout, o que levou Vickie a argumentar que as regras da WWE não permitiam que alguém conquistasse um título por countout ou desqualificação. A decisão foi então adiada para o One Night Stand, a 1 de junho, num combate TLC, estipulação em que Edge sempre se sentiu muito à vontade. Mais: se Undertaker perdesse, teria de abandonar a WWE. E Undertaker perdeu mesmo, fruto das interferências de Curt Hawkins, Zack Ryder, Chavo Guerrero e Bam Neely, todos membros de La Familia.
Edge acabou por perder o título para CM Punk, que se mudou para o Raw, mas virou agulhas para o WWE Championship de Triple H. E foi precisamente o The Game a arruinar o casamento do canadiano com Vickie, ao revelar um romance secreto entre Edge e a mulher que lhe preparava o casamento, Alicia Fox. Interferências por parte das duas mulheres custaram a derrota ao Rated-R Superstar num combate pelo cinturão no The Great American Bash, mas Vickie anunciou um castigo ainda mais pesado a Edge: a readmissão de Undertaker, contra o qual teria de lutar num Hell in a Cell match no SummerSlam.



Hell in a Cell match com Shawn Michaels como árbitro convidado:
The Undertaker vs. Triple H
Depois de dez meses sem fazer qualquer aparição, o Deadman fez o seu regresso na edição de 30 de janeiro de 2012 do Monday Night Raw, confrontando e desafiando Triple H para uma desforra na WrestleMania XXVIII, porque não queria que a sua saída de maca ficasse como a sua última imagem.
Após Triple H recusar o desafio no Raw da semana seguinte, Shawn Michaels apareceu no episódio de 13 de fevereiro a instigá-lo a aceitar. The Undertaker voltou à carga uma semana depois, referindo-se ao The Game como cobarde, comparando a qualidade e a carreira dele à de Shawn Michaels. Enraivecido por esses comentários, Triple H finalmente aceitou o desafio e propôs que o combate fosse um Hell in a Cell match. Entretanto, Shawn Michaels anunciou que seria o árbitro.



Hell in a Cell match: 
Brock Lesnar vs. The Undertaker
Cerca de um mês depois, no Night of Champions, foi marcado um derradeiro combate entre Lesnar e Undertaker, num Hell in a Cell match, reeditando assim uma contenda que teve lugar 13 anos antes no pay-per-view No Mercy 2002.



Falls Count Anywhere Hell in a Cell match: 
Kevin Owens vs. Shane McMahon
No episódio que se seguiu do SmackDown, Shane deu mais uma oportunidade pelo título a Owens e também lhe permitiu escolher o árbitro para o duelo. Owens escolheu Baron Corbin, que acabou por abandonar o combate a meio. Shane McMahon passou a assumir a função de árbitro e Styles voltou a tirar partido da confusão para bater Owens e reter novamente o cinturão.
Duas semanas depois, Shane atacou Owens depois de este ter falado nos filhos do membro da família McMahon. Consequentemente, Shane foi suspenso por tempo indefinido por ordem do seu pai, Vince McMahon.
Na semana seguinte, Vince chamou Owens, reintegrou Shane e marcou um Hell in a Cell match entre ambos para o Hell in a Cell. Owens aceitou, com a condição de que Vince o deixaria atacar um McMahon mesmo sem ser provado. Após chegarem a acordo e apertarem as mãos, Owens atacou Vince com uma cabeçada, um Super Kick e um Frog Splash. O presidente da WWE deixou o ringue em mau estado, com a ajuda da filha Stephanie.
Uma semana depois, Shane prometeu que a Owens que lhe daria a tareia da sua vida no Hell in a Cell. Na mesma noite, Owens apareceu via satélite, pediu desculpas por atacar Vince e culpou Shane pelas suas ações.
No episódio de 26 de setembro do Smackdown, Owens chamou Shane ao ringue, mas foi confrontado por Sami Zayn, que disse que o Owens foi longe demais. Os dois começaram a brigar, mas o General Manager Daniel Bryan interrompeu-os e agendo um combate entre ambos, que Owens venceu depois de o árbitro interromper o combate após um Powerbomb na borda do ringue. Depois do combate, Owens atacou Zayn, mas Shane apareceu e foi atrás de Owens, mas este atirou Zayn para cima de Shane e fugiu pelo meio do público.
Na semana seguinte, Shane alterou ligeiramente a estipulação do combate que iria ter com Kevin Owens, tornando-o num Falls Count Anywhere Hell in a Cell match. Shane também chamou Owens ao ringue, mas sem sucesso. Porém, Shane continuou a falar e foi surpreendido por Owens, que surgiu do meio dos fãs. Os dois começaram a lutar no meio do público e foram até à área concessionada, onde Owens aplicou um Powerbomb em cima de uma mesa. Owens voltou ao ringue e fez uma promo, mas Shane foi ao encontro dele para continuar a briga, que acabou com Owens a executar um Superkick e um Pop Up Powerbomb.









Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...