terça-feira, 19 de janeiro de 2021

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Mondinense no Campeonato de Portugal

Dez jogadores que ficaram na história do Mondinense
Fundado a 19 de janeiro de 1924, o Mondinense Futebol Clube tem passado grande parte da sua existência nos campeonatos distritais da AF Vila Real, mas disputou por uma dezena de vezes a antiga III Divisão e está a competir pela terceira vez no Campeonato de Portugal.
 
Seis vezes campeão distrital e vencedor de três taças da associação de futebol vila-realense, a formação de Mondim de Basto regressou esta temporada ao anteriormente designado por Campeonato Nacional de Seniores e procura assegurar a permanência pela primeira vez.
 
Em três presenças, mais de 60 futebolistas jogaram pelo Mondinense no Campeonato de Portugal. Vale por isso a pena recordar os dez que o fizeram por mais vezes.
 
 

10. Henrique (27 jogos)

Henrique
Extremo natural de Amarante, concluiu a formação no Vizela e transitou para o Vila Real na passagem para sénior, tendo ainda passado pelo Celoricense antes de reforçar o Mondinense no verão de 2013.
Dois anos depois contribuiu para a conquista do título distrital e para a consequente promoção ao Campeonato de Portugal, patamar em que atuou em 27 partidas (19 a titular) e apontou seis golos, diante de Fafe, Torcatense (dois), Arões (dois) e Varzim B, não conseguindo evitar a despromoção.
Depois da descida de divisão rumou ao Resende, dos distritais da AF Viseu.
 
 

9. Rui Jorge (27 Jogos)

Rui Jorge
Disputou o mesmo número de jogos de Henrique, mas amealhou mais 390 minutos em campo – 2258 contra 1868.
Médio polivalente natural de Guimarães e com formação dividida entre Vitória e Desp. Aves, chegou a jogar pelos avenses na II Liga, mas depois rodou no Vieira e no Desp. Aves B antes de reforçar o Mondinense no verão de 2017.
Ao serviço do emblema de Mondim de Basto atuou em 27 jogos (25 a titular) no Campeonato de Portugal e apontou três golos, frente a AD Oliveirense, Merelinense e São Martinho, não conseguindo evitar a despromoção.
Desde então que tem jogado no anteriormente designado Campeonato Nacional de Seniores. Depois de Pedras Salgadas e Pedras Rubras, está desde o início desta temporada no Berço.
 

 

8. Dani (28 Jogos)

Dani
Médio ofensivo com faro para o golo natural de Cabeceiras de Basto, começou a jogar no Cabeceirense, passando ainda pelo Celoricense antes de se juntar ao Mondinense no verão de 2013.
Dois anos depois contribuiu para a conquista do título distrital da AF Vila Real e consequente subida ao Campeonato de Portugal, patamar em que disputou 28 jogos (22 a titular) e apontou quatro golos, diante de Arões, Fafe, AD Oliveirense e Torcatense, não evitando a despromoção.
Após a descida de divisão permaneceu mais uma temporada no clube, rumando depois ao Cerva, clube ao qual ainda está vinculado.
 
 
 

7. Miguel Moreira (29 Jogos)

Miguel Moreira
Médio de características defensivas natural de Lousada e que chegou a jogar na formação do Vitória de Guimarães ao lado de Pedro Mendes, Alex e Duda, jogou a nível sénior em clubes como Lousada, Marco, Cinfães e Sp. Espinho antes de reforçar o Mondinense no verão de 2015, aos 35 anos.
Naquela que foi a última temporada da carreira, participou em 29 jogos (22 a titular) e marcou um golo ao Felgueiras no Campeonato de Portugal, não evitando a despromoção aos distritais da AF Vila Real.
 


 

6. Tuca (29 Jogos)

Tuca
Disputou o mesmo número de jogos de Miguel Moreira, mas amealhou mais 505 minutos em campo – 2564 contra 2059.
Defesa central possante (1,93 m) e natural de Mondim de Basto, passou pelas camadas jovens do Vitória de Guimarães, mas concluiu o percurso formativo no Gil Vicente, tendo feito parte de uma geração gilista que chegou a sonhar com a conquista do título nacional de juniores.
No primeiro ano de sénior começou pelo Amarante, clube pelo qual já tinha passado, mas em janeiro voltou ao Mondinense, emblema que já tinha representado durante a formação, tendo disputado quatro jogos (todos a titular) até ao final dessa época de 2015-16, que culminou com a descida aos distritais.
Em 2016-17 vestiu a camisola do Gouveia, mas na temporada que se seguiu voltou a casa para participar em mais 22 partidas (todos a titular), voltando a não evitar a despromoção.
Haveria de se manter no clube até final de janeiro de 2019, rumando depois ao Cinfães.
Porém, regressou uma vez mais ao Mondinense no início da presente temporada, levando já três encontros (todos como titular).
 

 

5. Marcos Pinto (29 jogos)

Marcos Pinto
Disputou o mesmo número de jogos de Tuca e Miguel Moreira, mas amealhou mais minutos em campo: 2610.
Defesa central natural de Amarante e formado maioritariamente no clube local, passou por Lixa, Celoricense, Rebordosa, Tirsense, Sp. Espinho e Pedras Rubras antes de rumar a Mondim de Basto no verão de 2015, aquando da subida ao Campeonato de Portugal.
No inicialmente designado por Campeonato Nacional de Seniores atuou em 29 partidas e apontou três golos, diante de Arões e Torcatense (dois), insuficientes para evitar a despromoção.
Depois continuou no CNS ao serviço de Sanjoanense e Pedras Salgadas. Hoje, aos 29 anos, atua no Alpendorada, nos distritais da AF Porto.
 
 
 

4. Beja (30 Jogos)

Rui Beja
Lateral direito natural de Vila das Aves e formado no Desportivo das Aves, concluiu a formação e iniciou o trajeto como futebolista sénior no Vila Real, de onde saiu em setembro de 2014 para o Mondinense, ajudando o clube a conquistar o título distrital da AF Vila Real e consequentemente a garantir a promoção ao Campeonato de Portugal.
Em 2015-16 disputou 30 jogos (28 a titular) ao serviço da formação de Mondim de Basto no terceiro escalão nacional, mas não conseguiu evitar a despromoção.
Depois mudou-se para o Farense e, entretanto, emigrou para Andorra.
 
 

3. João Padi (44 jogos)

João Padi
Extremo/ponta de lança natural de Mondim de Basto e formado no Mondinense, ascendeu à equipa principal em 2015, tendo coincidido com o irmão gémeo nos seniores do clube.
Na estreia no Campeonato de Portugal, em 2015-16, disputou 16 jogos (dois a titular) e marcou um golo ao Arões, mas foi impotente para evitar a despromoção.
Na temporada seguinte manteve-se no clube e conquistou o título distrital da AF Vila Real, tendo regressado ao anteriormente designado por Campeonato Nacional de Seniores para atuar em mais 28 partidas (20 a titular) e apontar um golo ao Minas Argozelo, voltando a não evitar a descida aos distritais.
Desde essa despromoção que tem jogado nos distritais, ao serviço de Atei e Vila Real na AF Vila Real e do Marco 09 na AF Porto.
 

 

2. João Miguel (57 jogos)

João Miguel
Médio ofensivo natural de Cabeceiras de Basto, jogou ao lado do guarda-redes Eduardo na formação de Sp. Braga e como futebolista sénior passou por Infesta, Marinhas e Cabeceirense antes de ingressar pela primeira vez no Mondinense entre 2007 e 2011, para competir na III Divisão e nos distritais da AF Vila Real.
Seguiram-se três anos no Celoricense antes de regressar a Mondim de Basto em 2014 para ajudar a formação transmontana a conquistar o título distrital e consequentemente a subir ao Campeonato de Portugal.
Em 2015-16 atuou em 29 partidas (22 a titular) no terceiro escalão do futebol português e apontou três golos, frente a Trofense, São Martinho e Arões, ainda assim insuficientes para evitar a despromoção.
Porém, continuou no clube, sagrou-se uma vez mais campeão distrital e em 2017-18 participou em 28 jogos (26 a titular) no Campeonato de Portugal e marcou dois golos, diante de Atlético dos Arcos e Bragança, voltando a não evitar a despromoção.
Depois mudou-se para o Cerva, dos distritais da AF Vila Real.
 
 

1. Rooney (57 jogos)

Rooney
Disputou o mesmo número de jogos de João Miguel, mas amealhou mais 546 minutos em campo -  4398 contra 3852.
Avançado natural de Castelões de Cepeda, concelho de Paredes, foi formado no Penafiel, mas quando subiu a sénior rumou ao Mondinense. Pelo emblema transmontano disputou 29 jogos (28 a titular) e apontou seis golos em 2015-16, frente a Varzim B, Torcatense (dois), Trofense, São Martinho e Arões, ainda assim insuficientes para evitar a despromoção aos distritais.
Após a descida de divisão mudou-se para o Cinfães, mas na época que se seguiu voltou a Mondim de Basto, tendo participado em 28 encontros (22 a titular) e faturou por quatro vezes, diante de Bragança, Fafe, Vilaverdense e Montalegre, voltando a mostrar-se impotente para evitar a despromoção.
Após nova descida de divisão rumou ao Gondomar e em 2019-20 representou o Vila Meã nos distritais da AF Porto.
 












Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...