terça-feira, 7 de julho de 2020

Os 10 jogadores com mais jogos pelo Desportivo das Aves na II Liga

Dez jogadores históricos do Clube Desportivo das Aves
Despromovido à II Liga depois de uma época para esquecer no patamar maior do futebol português, o Clube Desportivo das Aves vai regressar a um patamar competitivo no qual é recordista de participações: 25. Em 2020-21 somará a 26.ª e evitará assim que o Penafiel se colasse à liderança deste ranking.

Desde que a II Liga foi implementada, em 1990-91, os avenses só não competiram no segundo escalão em cinco ocasiões, mas por uma boa causa, pois competiam na I Liga. Foi assim em 2000-01, 2006-07 e entre 2017-18 e 2019-20. Porém, a estreia entre a elite do futebol português tinha acontecido antes, em 1985-86, então no culminar de uma ascensão meteórica, que no espaço de um ano levou o clube do concelho de Santo Tirso desde a III Divisão à I.

Embora tenha terminado por três vezes em zona de promoção, o melhor que o emblema da Vila das Aves conseguiu na II Liga foi o segundo lugar, alcançado em 2005-06 e 2016-17. E em 1999-00 e 2011-12 encerrou o campeonato no último degrau do pódio.

Agora que está confirmada a 26.ª participação do Desp. Aves na II Liga, vale a pena recordar os dez futebolistas com mais jogos pelo clube nesse patamar competitivo.


10. Quim (165 jogos)

Quim
Guarda-redes histórico do futebol português, internacional AA por 32 vezes e com passagens bem-sucedidas por Sp. Braga e Benfica, chegou à Vila das Aves à beira dos 38 anos, no verão de 2013, e desde logo que se assumiu como titular indiscutível.
Em quatro temporadas na II Liga, atuou em 165 jogos (todos a titular) e sofreu o mesmo número de golos. Apesar da idade avançada, apenas falhou 11 jogos ao longo desse período, ajudando os bracarenses a ascenderem à I Liga em 2017. Em 2013-14 e 2014-15 foi eleito melhor guarda-redes da competição.
Na época seguinte despediu-se da carreira ao disputar 14 jogos no patamar maior do futebol português, tornando-se o mais velho a participar na competição (aos 42 anos, dois meses e um dia), vencendo a Taça de Portugal no último jogo do seu trajeto como futebolista.
Após pendurou as botas assumiu as funções de diretor e depois de treinador de guarda-redes nos sub-23 e na equipa principal no Desportivo das Aves.



9. Túbia (174 jogos)

Túbia
Extremo angolano proveniente do Interclube, reforçou o Desportivo das Aves em dezembro de 1991 e ficou pelo clube até ao verão de 1997.
Ao longo de cinco temporadas e meia na II Liga atuou em 174 partidas, 153 das quais na condição de titular, tendo apontado 31 golos.
A temporada mais produtiva foi a de 1994-95, quando somou 12 remates certeiros que se revelaram decisivos para evitar a despromoção à II Divisão B. Porém, a melhor em termos coletivos foi a época seguinte, quando os avenses terminaram o campeonato em quarto lugar, a quatro pontos da zona de promoção, embora Túbia só tivesse marcado três golos.
Em 1997 mudou-se para a União de Leiria, tendo ajudado os leirienses a sagrarem-se campeões da II Liga e consequentemente a subir à I Liga.


8. Pedro Pereira (177 jogos)

Pedro Pereira
Extremo formado no Sp. Braga e já com alguma experiência de I Liga adquirida ao serviço dos bracarenses e do Estrela da Amadora, reforçou o Desportivo das Aves no verão de 2019, assumindo-se como uma peça importante na equipa nos anos que se seguiram.
Em 177 partidas na II Liga, foi titular em 154, tendo apontado 32 golos. Não conseguiu subir de divisão, mas esteve na obtenção do 3.º lugar em 2011-12 às ordens de Paulo Fonseca e no quarto lugar que valeu o acesso à liguilha de acesso à I Liga dois anos depois. Em 2013-14 foi mesmo a melhor temporada da carreira, tendo apontado 12 golos.
Pelo meio, rumou ao Gil Vicente no verão de 2012, mas voltou à Vila das Aves em janeiro de 2013.
No verão de 2015, após uma época em que atuou em 45 partidas, deixou definitivamente os avenses e assinou pelo Freamunde. Entretanto passou por Fafe e Merelinense e desde 2018-19 que atua no Vilaverdense, clube pelo qual já está comprometido para 2020-21.



7. Rui Faria (187 jogos)

Rui Faria
Guarda-redes de baixa estatura (1,78 m) e formado no Desportivo das Aves, subiu a sénior em 1999-00, ganhou rodagem no Serzedelo durante a época seguinte e voltou a Vila das Aves em 2001-02 para um longo percurso de 14 temporadas consecutivas.
Nem sempre titular indiscutível, disputou 187 jogos pelo emblema avense (186 a titular) e sofreu 194 golos na II Liga. Em 2002-03 teve a primeira época de grande utilização, mas guarda-redes como Pinho (2003-04), Nuno Espírito Santo (2006-07), Hélder Godinho (2010-11), Marafona (2011-12 e 2012-13) e Quim (2013-14 e 2014-15) remeteram-no maioritariamente para o banco de suplentes noutras épocas.
Após deixar o clube em 2015, prosseguiu a carreira no Campeonato de Portugal ao serviço de Tirsense, Oliveirense e Fafe. Depois tornou-se treinador de guarda-redes e regresso ao Desportivo em 2018-19 para integrar a equipa técnica dos sub-23.



6. Octávio (190 jogos)

Octávio
De regresso aos extremos, ora aqui está mais um, mas que não significa somente mais um. É um histórico do Desportivo das Aves, que esteve em duas promoções à I Liga durante os 11 anos que representou o clube, entre 1998 e 2009.
Proveniente do Leixões, raramente foi titular indiscutível na Vila das Aves, mas foi sempre muito utilizado, ora como parte do onze inicial (121 jogos) ora como suplente utilizado (69). Durante o seu trajeto na II Liga pelos avenses, apontou 14 golos.
Pelo meio, somou um total de 40 jogos (15 a titular) e dois golos durante as duas épocas que disputou o patamar maior do futebol português com a camisola do Desportivo das Aves, em 2000-01 e 2006-07.
Haveria de deixar o clube apenas aos 37 anos, em 2009, encerrando depois a carreira no Marinhas, na III Divisão.
Depois tornou-se treinador e foi adjunto na equipa principal do Desportivo das Aves em 2012-13 e 2017-18.


5. Leandro (194 jogos)

Leandro
Finalmente um jogador que não seja guarda-redes ou extremo. Lateral direito natural da zona do Alto Minho, no verão de 2005 saltou diretamente do Monção, da III Divisão, para o Desportivo das Aves, então na II Liga.
Logo na época de estreia foi titular em metade dos jogos do campeonato (17), disputou outros sete, marcou um golo ao Moreirense e contribuiu para a promoção à I Liga.
Seguiu-se uma temporada entre a elite do futebol português na qual cumpriu 24 jogos (16 a titular) em 30 possíveis e depois voltou ao segundo escalão para oito anos a um bom nível, quase sempre com dono do lado direito da defesa.
Em mais 170 encontros (155 a titular) na II Liga, marcou dois golos, ambos em 2007-08, diante de Olhanense e Beira-Mar.
Haveria de terminar a aventura na Vila das Aves em 2015, aos 26 anos, para regressar ao Vianense, onde viria a encerrar a carreira.
Entretanto tornou-se treinador, conduziu os sub-23 do Desportivo das Aves às vitórias na Liga Revelação e na Taça Revelação em 2018-19 e na época seguinte chegou a assumir interinamente o comando técnico da equipa principal.


4. Sérgio Nunes (201 jogos)

Sérgio Nunes
Defesa central que chegou bastante jovem ao Desportivo das Aves, com 20 anos acabadinhos de fazer, depois de ter despontado no Leixões, teve duas passagens pelo clube.
Na primeira passagem, entre 1994 e 1997, disputou 69 jogos (65 a titular) e marcou três golos na II Liga, frente ao Alverca em 1995-96 e diante de Penafiel e Beira-Mar em 1996-97.
Depois passou por União de Leiria, clube pelo qual se estreou na I Liga, e por Benfica e Santa Clara, antes de regressar à Vila das Aves no verão de 2004. Seguiram-se mais 132 encontros (131 a titular) e nove golos pelos avenses no segundo escalão – Paços de Ferreira e Desp. Chaves em 2004-05, Feirense e Sp. Covilhã na caminhada da promoção à I Liga em 2005-06, Fátima e Penafiel em 2007-08 e União de Leiria, Gil Vicente e Estoril em 2008-09.
Pelo meio, atuou em 28 partidas e apontou um golo ao Vitória de Setúbal no patamar maior do futebol português em 2006-07.
Despediu-se do clube em 2010, para rumar ao Freamunde, então também na II Liga.



3. Vítor Manuel (206 jogos)

Vítor Manuel
Médio natural da Vila das Aves e formado no Desportivo das Aves, estreou-se pela equipa principal aos 17 anos, então na II Divisão, quando não havia ainda II Liga.
Nas três primeiras edições desde a criação do segundo escalão como o conhecemos, disputou 95 jogos (84 a titular) e marcou 16 golos, tendo estado particularmente inspirado em 1992-93, quando somou uma dezena de remates certeiros, um registo que o ajudou a catapultar para o Belenenses, clube pelo qual se estreou na I Liga.
Entretanto passou por Campomaiorense, Farense e Varzim antes de voltar aos avenses no verão de 2002. Quase sempre titular no meio-campo na equipa de Santo Tirso, disputou 111 partidas (97 a titular) e marcou 18 golos, que a juntar aos 16 que já tinha faturado na primeira passagem pelos avenses, totalizam 34 que fazem dele o melhor marcador de sempre do clube na II Liga.
Em 2006 ajudou o Desportivo das Aves a subir à I Liga e após um ano no patamar maior do futebol português, no qual disputou 13 jogos (seis a titular) e marcou um golo ao Nacional, decidiu pendurar as botas, à beira dos 37 anos.



2. Quim Costa (224 jogos)

Quim Costa
Lateral esquerdo natural de Fafe e formado no Fafe, saltou do clube da terra para o Desportivo das Aves no verão de 1994, iniciando na altura um percurso de uma década no emblema avense.
Durante esse período foi quase sempre dono e senhor do lado esquerdo da defesa, tendo atuado em 224 jogos (214 como titular) e marcou três golos na II Liga. O Ovarense e o Torreense em 1994-95 e o Paços de Ferreira em 1996-97 foram as vítimas de Quim Costa.
Porém, o ponto alto da passagem do jogador pela Vila das Aves foi a promoção à I Liga em 2000 e a consequente participação no patamar maior do futebol português em 2000-01, tendo atuado em 19 jogos (todos a titular) no campeonato.
Despediu-se do clube em 2004, para voltar ao Fafe.


1. Vitinha (229 jogos)

Vitinha
Voltemos aos extremos para falar de um jogador de baixa estatura (1,60 m) natural da Damaia, no concelho da Amadora, e que passou pelos juniores do Benfica, mas que chegou ao norte precisamente para atuar pelo Tirsense, vizinho e rival do Desportivo das Aves.
Após ter representado o Tirsense na I Divisão e de ter passado uma segunda vez pela União de Leiria, chegou à Vila das Aves no verão de 1991 e por lá ficou até 1999.
Durante esses oito anos disputou 229 partidas (183 a titular) e marcou 14 golos. Olhanense em 1991-92, Penafiel em 1992-93, Académico Viseu, Felgueiras e Portimonense em 1993-94, Ovarense e Torreense em 1994-95, Alverca em 1995-96, Beira-Mar (duas vezes), Tirsense e Desp. Beja em 1996-97 e União da Madeira e Maia em 1997-98.
Nunca subiu de divisão na Vila das Aves, mas esteve perto de o conseguir em 1995-96, quando os avenses ficaram a quatro pontos da zona de promoção.
Em 1999 deixou o clube aos 34 anos para dividir a última época da carreira entre Vianense (II Divisão B) e Ronfe (III).
Em 2002-03 voltou ao clube para assumir as funções de preparador físico na equipa principal, mas desde 2013-14 que tem um cargo no departamento de scouting.
















Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...