quarta-feira, 1 de abril de 2020

Os 11 jogadores com mais jogos pelo Farense na II Liga

10 dos 11 jogadores com mais jogos pelo Farense na II Liga
Vice-líder da II Liga com dois terços do campeonato já decorridos, o Farense ocupa um lugar privilegiado na corrida pela promoção ao patamar maior do futebol português, onde não marca presença desde 2001-02.

Embora já não esteja entre a elite há 17 anos, os algarvios já participaram por 23 vezes na I Divisão, registo que os coloca entre os 20 clubes com mais presenças. As primeiras remontam à década de 1970, mas foi nos anos 1990 que os leões de Faro mais marca deixaram no principal escalão, tendo alcançado o quinto lugar em 1994-95 e a sexta posição em 1991-92 e 1992-93. Essas façanhas fizeram parte de uma passagem de 12 épocas consecutivas entre os grandes.


Na II Liga, o Farense contabiliza seis presenças – a contar com a época que está a decorrer, tendo utilizado um total de 133 jogadores na competição. Vale por isso a pena recordar os 11 futebolistas com mais jogos pelo Farense no segundo escalão.


11. Hernâni (58 jogos)

Hernâni
Na época de regresso às ligas profissionais após dez anos de ausência, 2013-14, o Farense foi ao mercado contratar o luso-cabo-verdiano Hernâni, um extremo experimentadíssimo na II Liga, patamar em que representou Desp. Aves, Beira-Mar, Santa Clara, Penafiel e Leixões.
A aposta deu frutos, pois o jogador disputou 34 jogos (26 a titular) e marcou cinco golos nessa temporada, ajudando os algarvios a obter um honroso 10.º lugar. Na época seguinte também estava a ser bastante utilizado, mas após 24 encontros (20 a titular) e dois golos mudou-se no mercado de inverno para o Varzim, tendo contribuído para a promoção dos poveiros ao segundo escalão.
No ano passado pendurou as botas ao serviço do Pedras Rubras e atualmente é treinador dos juniores do Leixões.



10. Hugo Ventosa (58 jogos)

Embora tivesse disputado o mesmo número de jogos de Hernâni, amealhou mais 971 minutos de competição na II Liga.
Lateral direito que o Farense pescou no Campeonato de Portugal ao Moura no verão de 2014, não sentiu grandes dificuldades em afirmar-se como titular. Em 2014-15 disputou 28 jogos (25 a titular), na época seguinte foi utilizado em 30 partidas (28 a titular) e marcou um golo.
Depois da descida de divisão em 2016 voltou ao Campeonato de Portugal para representar o Operário. Entretanto ajudou o Mafra a ascender à II Liga e está desde fevereiro ao serviço do Alverca.



9. Carlos Ponck (58 jogos)

Carlos Ponck
Médio defensivo cabo-verdiano recrutado ao vizinho Quarteirense no verão de 2014, estabeleceu-se de pedra e cal no onze do Farense, tendo sido titular nos 37 encontros que disputou na época de estreia, afirmando-se como uma peça imprescindível para Pedro Correia e Abel Xavier, os dois treinadores que estiveram à frente da equipa.
Na temporada seguinte manteve a importância, tendo disputado 21 encontros (20 a titular) até janeiro, quando o Benfica o contratou e o emprestou ao Paços de Ferreira.
Depois de se ter afirmado na I Liga com as camisolas de Desp. Chaves e Desp. Aves, transferiu-se há menos de um ano para o   Istambul Basaksehir, uma das principais formações turcas da atualidade.


8. Carlitos (61 jogos)

Carlitos
Lateral direito de baixa estatura (1,68 m), Carlitos reforçou o Farense na época de regresso aos algarvios às ligas profissionais, em 2013-14, depois de 12 temporadas com a camisola da Naval, aportando experiência à equipa.
Na primeira época na capital do Algarve foi quase sempre titular, tendo participado em 33 encontros (32 a titular). Na segunda dividiu a titularidade com o já referido Hugo Ventosa, participando em 25 partidas (24 a titular).
Depois dos dois anos em Faro retirou-se do futebol profissional, tendo voltado aos relvados em 2016 para jogar nos distritais da AF Coimbra ao serviço do Tocha, clube em que fez toda a formação e que o lançou no futebol sénior.


7. Neca (62 jogos)

Neca
Outro jogador que acrescentou experiência ao Farense na época de regresso dos algarvios às ligas profissionais. O médio internacional português já tinha quase 34 anos e uma carreira repleta de vivências em clubes como Belenenses e Vitória de Setúbal quando chegou a Faro pela primeira vez, mas foi a tempo de inscrever o seu nome na história do clube.
Em 2013-14 até sentiu algumas dificuldades para se impor como titular indiscutível, tendo efetuado 27 jogos (20 a titular) e apontado um golo. Porém, na época seguinte apareceu revigorado e disputou 35 partidas (30 a titular) e somou oito remates certeiros.
Em 2015-16 representou o Pinhalnovense, mas logo depois voltou ao Algarve para ajudar o Farense a regressar às ligas profissionais. Na temporada de regresso esteve em 22 desafios (16 a titular) e marcou seis golos, enquanto na segunda jogou 26 vezes (21 na condição de titular) e faturou por duas vezes no Campeonato de Portugal, contribuindo para a promoção à II Liga.
Com a missão cumprida, pendurou as botas no verão de 2018, aos 38 anos.



6. Vítor São Bento (63 jogos)

Vítor São Bento
Pescado no Santa Eulália Vizela, da III Divisão, Vítor São Bento era um guarda-redes desconhecido quando chegou ao Farense, no verão de 2013.
Na primeira época e meia viveu na sombra de Ivo Gonçalves e de Ricardo Neves, mas depois assumiu a titularidade e não mais a largou. Depois de apenas um jogo em 2013-14 e 20 em 2014-15, não deu hipóteses à concorrência na terceira temporada, participando em 43 dos 46 encontros da II Liga.
Embora os algarvios tivessem descido de divisão, o guardião afirmou-se e deu o salto para o Nacional, da I Liga. Pouco jogou na Choupana, é verdade, mas as boas exibições no São Luís levaram-no ao patamar maior do futebol português. Hoje joga no Skoda Xanthi, da I liga grega.



5. Harramiz (71 jogos)

Harramiz
Um nome que traz más memórias aos adeptos do Farense. Mas já lá vamos. O atacante santomense chegou ao São Luís no verão de 2014 por empréstimo do Benfica, clube pelo qual só tinha jogado pela equipa B, depois vários anos nos campeonatos não profissionais ao serviço de três clubes alentejanos: O Elvas, Mineiro Aljustrelense e União Montemor. O impacto foi imediato, tendo disputado 33 jogos (25 a titular) e marcado oito golos em 2014-15.
Na época seguinte disputou 39 encontros (35 a titular) e marcou por cinco vezes, o marcou a época dos leões de Faro pelas piores razões, ainda que não tenha sido o principal culpado. Tudo porque foi utilizado num encontro frente ao Benfica B, algo que não podia, pois estava emprestado pelas águas. Assim sendo, os algarvios perderam dois pontos na secretaria e acabaram despromovidos, salvando assim o… Benfica B. “Foi um erro, um falhanço da estrutura do clube, gerado por uma confusão em relação à situação contratual do Harramiz. Aconteceu connosco como antes já aconteceu com o Real Madrid, o Sporting de Braga ou outros clubes. E o Real Madrid não tem uma estrutura superior e mais profissional do que a nossa?”, afirmou o presidente do Farense na altura, António Barão.
Depois dessa época Harramiz desvinculou-se do Benfica e mudou-se para o Sp. Covilhã. Tem feito carreira na II Liga e atualmente joga com as cores do Leixões.



4. Hugo Luz (74 jogos)

Hugo Luz
Natural de Faro, o lateral esquerdo Hugo Luz começou a jogar futebol nas camadas jovens do Farense e de lá saiu para os escalões de formação do FC Porto em 1998, mas voltou aos leões de Faro 15 anos depois, apos ter jogado na equipa principal dos dragões às ordens de José Mourinho e passagens por Gil Vicente, Estrela da Amadora, Maia, Olhanense e pelos romenos do Vaslui.
No verão de 2012 deixou a Roménia para regressar ao ponto de partida, ajudando o Farense a subir à II Liga numa época em que participou em 24 encontros.
Nas duas temporadas seguintes foi dono e senhor do lado esquerdo da defesa dos algarvios, tendo amealhado um total de 74 jogos, dos quais 73 a titular, contribuindo para que a equipa permanecesse tranquilamente no segundo escalão.
No verão de 2015 interrompeu a carreira, tendo voltado em 2016-17 para representar o Armacenenses, o último clube que representou. Hoje é mediador de seguros, aeroabastecedor da BP no Aeroporto de Faro e está a tirar um curso universitário na área de desporto na Universidade do Algarve.


3. Diogo Silva (76 jogos)

Diogo Silva
Mais um elemento experiente que o Farense recrutou aquando do regresso às ligas profissionais, em 2013-14. No currículo do possante central Diogo Silva constavam passagens pela II Liga, por clubes como Portimonense, Santa Clara e Naval.
O defesa não foi titular indiscutível durante as três temporadas que passou no São Luís, mas ainda assim superou sempre as duas dezenas de jogos. Em 2013-14 somou 29 (23 a titular), dividindo o protagonismo no eixo defensivo com Lameirão e o espanhol Ubay. Na época seguinte foi titular nos 29 jogos que disputou, tendo formado dupla com Lameirão, mas na terceira e última voltou a perder influência, não indo além de 20 partidas (18 a titular), por culpa de Roni e Delmiro.
Após a descida de divisão prosseguiu a carreira no Campeonato de Portugal, mas ao serviço do Oliveirense. Atualmente está vinculado ao Sacavenense.


2. Gualter Bilro (80 jogos)

Gualter Bilro
Um dos jogadores mais emblemáticos do Farense na última década. Embora tenha nascido em Valongo, começou a jogar futebol nas camadas jovens dos leões de Faro, que o catapultaram para o FC Porto em juvenil, em 2002.
Após subir a sénior fez grande parte da carreira do Algarve m clubes como Quarteirense, Lagoa, Louletano e Beira-Mar Monte Gordo, até voltar ao Farense no verão de 2010 para disputar a antiga II Divisão B. Na primeira época no São Luís desceu à III Divisão, mas nas seguintes subiu à II B e à II Liga.
Embora nunca tivesse jogado numa liga profissional, impôs-se com naturalidade no onze dos algarvios no papel de médio mais defensivo, afirmando-se como titular em 2013-14, ao participar em 30 jogos (26 a titular). Na temporada que se seguiu não foi além de 20 encontros (16 como titular), vivendo na sombra de Carlos Ponck, mas recuperou espaço em 2015-16, tendo estado presente em 31 partidas (25 a titular), ainda que sem evitar a descida de divisão.
Após a despromoção prosseguiu o seu trajeto no Campeonato de Portugal ao serviço do Almancilense. Depois esteve no futebol islandês e voltou ao Algarve para representar o 11 Esperanças, nos distritais. Atualmente concilia a fase final da carreira de futebolista com o cargo de treinador nos infantis do Farense.



1. Irobiso (104 jogos)

Christian Irobiso
Embora tenha nascido em Lagos, na Nigéria, Christian Irobiso tem feito praticamente toda a carreira em Portugal. Depois de ter começado o seu trajeto no futebol profissional no Paços de Ferreira e de ter jogado nos campeonatos de Eslováquia e República Checa, chegou a Faro em janeiro de 2015.
Embora tenha reforçado o Farense apenas na segunda metade da época, foi a tempo de participar em 23 encontros (16 a titular) e marcar seis golos. Na temporada seguinte participou em 39 partidas (25 a titular) e faturou novamente por seis vezes. Na altura atuava preferencialmente como extremo esquerdo.
Após a descida de divisão manteve-se na II Liga ao serviço do Cova da Piedade, mas em 2017-18 regressou ao Farense, desta feita no Campeonato de Portugal, para contribuir para o regresso às ligas profissionais com oito golos em 30 jogos (22 a titular).
De volta à II Liga, foi maioritariamente titular na época passada, ao participar em 30 desafios (20 a titular) e marcar seis golos, numa fase em que já tinha deixado os flancos para passar a jogar no eixo do ataque. Porém, em 2019-20 estava a sentir dificuldades para se impor no onze, pois Sérgio Vieira tem preferido Fabrício Simões. Até à pausa das competições devido à pandemia de covid-19, levava 15 jogos no campeonato (sete a titular) e dois golos.



















Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...