sábado, 16 de novembro de 2019

Três jogadores do Alverca para I e II ligas terem em conta

Alverca procura regressar às ligas profissionais 15 anos depois
Carrasco do Sporting na Taça de Portugal e plenamente integrado na luta pelos lugares de acesso ao playoff de promoção na Série D do Campeonato de Portugal, o Alverca está a ter um protagonismo como há muito não se via.

Além dos resultados, a equipa orientada por Vasco Matos e com a administração da SAD liderada por Artur Moraes pratica um futebol de qualidade e recheada de jovens talentos que muito prometem dar que falar no futebol português.


Provavelmente muitos mais deverão atingir os campeonatos profissionais, mas deixamos aqui três sugestões de jogadores para os clubes da Primeira e da Segunda Liga terem em conta a breve prazo.


Ronaldo
Comecemos pela defesa, setor que tem como patrão o central brasileiro Ronaldo, 21 anos, formado no Cruzeiro, internacional jovem brasileiro e com passagem pelos sub-23 do Sporting. Embora não seja muito alto (1,84 m), é forte fisicamente, ganha grande parte dos duelos e é difícil de ultrapassar.
Apesar da juventude, exibe noção dos espaços que deve ocupar, tendo em conta a coordenação com a linha defensiva, movimentações dos adversários diretos e proteção da baliza. Também protege bem o espaço nas costas da defesa.
Ofensivamente oferece qualidade na construção, mostrando-se confortável a conduzir a bola, até mesmo no meio-campo ofensivo. Além disso, é uma das armas dos ribatejanos nas bolas paradas, ao ponto de já ter marcado por duas vezes nesta época.



Luan
À frente do setor mais recuado atua outro jovem brasileiro, Luan, 22 anos, que forma dupla com o capitão Rafa Castanheira no duplo pivot defensivo do meio-campo. Com passagem pelos sub-23 do Estoril, foi um dos heróis da vitória sobre o Sporting na Taça de Portugal, tendo apontado o segundo golo.
Bastante alto (1,92 m), utiliza o corpo para ganhar os duelos e proteger a bola e a pernas longas para fazer desarmes improváveis, ainda que por vezes seja algo imprudente na abordagem dos lances.
Embora tenha características defensivas, sabe construir e participa ativamente no processo ofensivo elaborado da equipa de Vasco Matos. Se lhe for concedida liberdade para subir no terreno, conduz a bola com qualidade e não tem medo de armar o remate de fora da área.
Por tudo isto, tem um perfil que tanto encaixa numa ideia de jogo mais apoiada como num futebol mais físico e baseado em transições.



Alex Apolinário
Como não há duas sem três, mais um brasileiro: Alex Apolinário, outro dos heróis do Alverca na eliminatória com o Sporting. Com carimbo das academias de Cruzeiro e Athletico Paranaense, tem 23 anos e muita margem de progressão.
Este médio ofensivo é sobretudo um jogador potente, muito forte fisicamente (1,80 m), dotado de grande velocidade e um pé esquerdo fulminante. Para se ter a noção das características, diria que é uma espécie de mini-Hulk.
Por ter um futebol mais físico do que técnico, dá a entender que a sua melhor posição não deverá ser numa zona tão congestionada do campo, como fosse um monolugar de Fórmula 1 na baixa lisboeta à hora de ponta. A qualidade está lá, como comprovam os quatro golos que já apontou nesta temporada, mas seria interessante vê-lo exprimir o seu futebol a partir da ala direita, em diagonais para o meio, ou a atacar a profundidade como avançado de uma equipa que atue com um bloco mais baixo e procure explorar o espaço nas costas da defesa adversária.














Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...