quinta-feira, 2 de julho de 2020

A minha primeira memória de… um jogo entre Real Madrid e Getafe

Encontro de 21 de abril de 2009 marcado por cenas de violência
A minha primeira memória de um confronto entre Real Madrid e Getafe é relativa a um jogo que tinha tudo para passar discreto nos anais da história. À entrada para esse jogo de 21 de abril de 2009, os merengues estavam a seis pontos do líder Barcelona, quando faltavam apenas sete jornadas para o fim da edição de 2008-09 da I Liga espanhola. Já o Getafe estava quatro pontos acima da zona de despromoção, ocupada por Recreativo Huelva, Espanyol e Numancia.

Num encontro bem disputado, o Getafe adiantou-se no marcador aos 10 minutos, por Roberto Soldado, avançado formado precisamente no Real Madrid.


Mas a jogar em casa, os madridistas, então orientados por Juande Ramos, empataram à beira do intervalo, por intermédio do avançado argentino Gonzalo Higuaín.

À entrada para os últimos dez minutos, o extremo uruguaio Juan Ángel Albín voltou a dar vantagem aos visitantes (83’), mas Guti empatou logo a seguir (86’).

Se a reta final estava a ser frenética, mas ainda ficou ao minuto 87, quando o impensável aconteceu. Numa jogada de ataque do Getafe já na área do Real Madrid, Pepe derrubou o médio Javier Casquero e foi expulso. Frustrado, o internacional português pontapeou duas vezes o adversário, uma na canela e outra na parte inferior das costas, puxou-lhe o cabeça e pisoteou-o. E quando já estava a ser travado por companheiros de equipa, atingiu Albín a soco. E a caminho dos balneários, ainda foi veemente nos protestos para com um dos árbitros assistentes.


Como resultado desta atitude, Pepe levou dez jogos de castigo, falhando o que restava jogar dessa época e o início da temporada seguinte.

Não assisti ao encontro, mas lembro-me de se falar muito do ocorrido nos dias que se seguiram. E por muito que se tivesse tornado um jogador mais leal e limpo, a carreira de Pepe ficou marcada por este acontecimento. “Fiquei extremamente marcado pelo que se passou frente ao Getafe. Mas eu não vou mudar a minha forma de jogar, a verdade é que ali tentei encontrar uma explicação, mas não encontro, mas faz parte do passado”, recordou Pepe em 2017.


Em 2019, quando passaram dez anos do incidente, Casquero revelou que o assunto estava esquecido, mas que ainda não lhe tinha chegado o… pedido de desculpas. “Por mim, está esquecido. Cada um faz o que quer com a sua vida. A mim, se me tivesse dito em privado 'olha, desculpa, perdi a cabeça', já estava. Posso entender que no terreno de jogo, num momento de frustração, alguém perca as estribeiras e pontapeie tudo o que encontra. Mas depois as pulsações baixam e somos pessoas, companheiros, desculpamo-nos e já está. É uma ação feia e má de um profissional contra um companheiro de profissão. O que nunca compreendi é que tenha querido pedir-me desculpa apenas através de um meio de comunicação. Parecia que precisava que todos soubessem... Até porque eu me ia encarregar de dizer publicamente que me tinha pedido desculpa. Não tinha de chegar a esse circo, bastava algo tão normal como um pedido de desculpas entre duas pessoas”, comentou.

Relativamente ao jogo, o Real Madrid ainda conseguiu chegar à vitória, com um golo de Higuaín aos 90 minutos a valer o triunfo.












http://sistema-tactico.blogspot.com/2018/09/sevilha-onze-historico.html


E para o caro leitor, qual é o primeiro jogo entre Real Madrid e Getafe de que tem memória? E quais foram os melhores e mais marcantes jogos entre os dois clubes?

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...