terça-feira, 26 de novembro de 2019

Os 11 jogadores mais valiosos da atualidade nascidos no distrito de Setúbal

Dez jogadores que, no total, estão avaliados em 126 milhões de euros
Foi o único distrito de Portugal continental a gerar um Bola de Ouro, Luís Figo, mas não se ficou pelo antigo extremo de Sporting, Barcelona, Real Madrid e Inter de Milão. Também Albano e António Simões (Seixal), Octávio Machado (Palmela), Paulo Futre e Ricardo (Montijo), José Augusto e Fernando Chalana (Barreiro), Carlos Manuel, Diamantino Miranda e Manuel Fernandes (Moita), entre outros, foram alguns dos que nasceram naquele que outrora foi considerado um viveiro de craques.


O futebol no distrito de Setúbal perdeu força ao longo das décadas. O Vitória de Setúbal deixou de ser um crónico candidato às competições europeias, os dois históricos do Barreiro andam num constante sobe e desce entre campeonatos nacionais e distritais, Montijo e Seixal reergueram-se recentemente nas cinzas sob nova designação e o Amora procura consolidar um lugar no Campeonato de Portugal. O Cova da Piedade tem dado recentemente um ar de sua graça, mas o sonho de promoção à I Liga torna-se rapidamente uma miragem a cada época desportiva.

Porém, desengane-se quem pensa que deixaram de nascer craques no distrito de Setúbal. Eles andam aí. Eis a lista dos 11 jogadores mais valiosos da atualidade, segundo o transfermarkt. No total, é um conjunto de futebolistas que está avaliado em 132,5 milhões de euros.
Aylton Boa Morte


11. Aylton Boa Morte (1,5 milhões de euros)

Natural do Laranjeiro, em Almada, este sobrinho do antigo internacional português Luís Boa Morte tem vindo a dar cartas no Portimonense, equipa em que vai assumindo o papel de titular indiscutível, aos 26 anos. Extremo tal como o tio, deu os primeiros passos no futebol federado no Cova da Piedade, tendo ainda representado Amora e Beira-Mar de Almada nas camadas jovens. Iniciou-se no futebol sénior noutro emblema do distrito de Setúbal, o Pinhalnovense, mas foi evoluindo noutras paragens até atingir a I Liga ao serviço do Estoril. No entanto, mudou-se para Portimão em janeiro de 2019.


10. Gonçalo Silva (1,5 milhões de euros)

Gonçalo Silva
Formado no Barreirense quando o Campo da Verderena ainda era um duro pelado e servia várias vezes por semana de superfície de um mercado de levante, este defesa central foi percorrendo todos os escalões do clube da terra até chegar à equipa principal ainda com idade de júnior, em 2009-10. Porém, o Vitória de Guimarães mostrou estar atento e recrutou-o na época seguinte, emprestando-o em seguida ao Lousada. Seguiram-se várias temporadas na II Liga ao serviço de Atlético e Sp. Braga B, mas depois de duas temporadas sem oportunidades no plantel principal dos minhotos, rumo ao Belenenses (SAD), onde se estabeleceu no patamar maior do futebol português e conquistou o estatuto de capitão que hoje enverga, aos 28 anos.


9. Marco Matias (1,5 milhões de euros)

Marco Matias
Natural do Barreiro tal como Gonçalo Silva, também se iniciou bem cedo nas camadas jovens do Barreirense. Porém, este extremo conseguiu captar a atenção do Sporting ainda numa fase precoce, tendo estado ligado ao emblema de Alvalade até ao segundo ano de sénior. Após concluir a formação, esteve emprestado a Varzim, Fátima e Real, mas não conseguiu garantir o bilhete de regresso. À semelhança do conterrâneo, foi recrutado em 2010-11 pelo Vitória de Guimarães, onde vingou após dois empréstimos ao Freamunde. No verão de 2014 transferiu-se para o Nacional da Madeira, onde protagonizou uma temporada brilhante, com 21 golos em todas as competições. Após uma época na Choupana, rumou ao Sheffield Wednesday, no segundo escalão do futebol inglês, onde permaneceu durante quatro temporadas. Depois de algum tempo sem clube, assinou recentemente pelo… Belenenses SAD de Gonçalo Silva, aos 30 anos.


8. André Horta (4,5 milhões de euros)

Natural de Almada, não teve o trajeto habitual de começar no clube da terra antes de chegar a um grande. André Horta começou a jogar no futebol de formação do Benfica antes de completar 10 anos, mas saiu do centro de estágios do Seixal após o primeiro ano de juvenil e assinou pelo Vitória de Setúbal, clube que o catapultou para o futebol profissional ainda com idade de júnior. Após época e meia na equipa principal dos sadinos, regressou ao Benfica, onde foi campeão nacional. Depois foi cedido ao Sp. Braga e transferiu-se para os norte-americanos dos Los Angeles FC, mas no verão de 2019 deixou o soccer para regressar aos minhotos. Aos 23 anos, vai brilhando nos relvados portugueses.



Rúben Vezo

7. Rúben Vezo (6 milhões de euros)

Com ascendência cabo-verdiana, Rúben Vezo nasceu em Setúbal e foi lá que se iniciou no futebol, nas escolas de Os Pelezinhos. Dois anos depois, chegou ao principal clube da cidade, o Vitória, onde prosseguiu a sua formação até atingir a equipa sénior. Tinha acabado de completar 18 anos quando José Mota o convocou pela primeira vez, mas teve de esperar mais ano e meio para ser lançado às feras. Meia temporada no plantel principal dos sadinos, logo no primeiro ano de sénior, foi o que bastou para que o jovem central captasse o interesse do Valencia, que o contratou em janeiro de 2004. Desde então que permanece no futebol espanhol, estando agora, aos 25 anos, ao serviço do Levante.    


6. Bruno Martins Indi (6,5 milhões de euros)


Bruno Martins Indi
Filho de um guineense e de uma portuguesa, nasceu no Barreiro a 8 de fevereiro de 1992, mas aos três meses emigrou com os pais para Roterdão, na Holanda. E foi nesse país que se fez futebolista, primeiro no Spartaan ’20, depois no gigante Feyenoord, clube que o catapultou para o futebol profissional e para a seleção holandesa, pela qual se estreou aos 20 anos. Quis o destino que em 2014 este central canhoto tivesse regressado a Portugal para exercer a sua profissão, pela porta do FC Porto, então orientado por Julen Lopetegui, que o contratou por 7,7 milhões de euros. Porém, após duas épocas abaixo das expetativas no Dragão foi emprestado aos ingleses do Stoke City, que em 2017 o contrataram em definitivo também por 7,7 milhões de euros.


5. Ricardo Horta (9 milhões de euros)

Ricardo Horta
Irmão mais velho de André Horta, nasceu na Sobreda, no concelho de Almada, mas foi no Ginásio Corroios onde se iniciou no futebol. Tal como o mano, também foi muito cedo para o Benfica e acabou igualmente por rumar ao Vitória de Setúbal quando as oportunidades escassearam no centro de estágios do Seixal. Após duas boas temporadas nos juniores, foi entrando aos poucos na equipa sénior e revelou-se na época 2013-14, sob a orientação de José Couceiro, tendo apontado sete golos no campeonato. Seguiram-se duas épocas nos espanhóis do Málaga, teve dificuldades em afirmar-se, e depois regressou a Portugal pela porta do Sp. Braga. Aos 25 anos, é uma das figuras do emblema minhoto e reclama um regresso à seleção nacional, pela qual jogou uma vez em setembro de 2014, num encontro de má memória diante da Albânia (0-1), em Aveiro.

4. Rúben Vinagre (10 milhões de euros)

Lateral esquerdo de grande projeção ofensiva natural da Charneca de Caparica, concelho de Almada, deu os primeiros passos no futebol no Barreirense, onde não estou muito tempo, pois o Sporting chegou-se à frente. Porém, passou duas épocas no Belenenses antes de se afirmar na Academia de Alcochete. Ainda com 16 anos emigra para o Monaco e duas temporadas depois muda-se para os ingleses do Wolverhampton, clube pelo qual foi campeão do Championship e pelo qual tem jogado (aos poucos) na Premier League. Bastante razoável, tendo em conta que tem apenas 20 anos. Pelo meio, conquistou dois Campeonatos da Europa, o de sub-17 em 2016 e o de sub-19 em 2018.



3. Mário Rui (15 milhões de euros)

Mário Rui
Os craques do distrito de Setúbal não se esgotam na chamada margem sul, também os há no litoral alentejano. Natural de Sines, Mário Rui tem sido presença regular nas convocatórias de Fernando Santos e, depois de ter estado no Mundial 2018, ao que tudo indica estará igualmente no Euro 2020. O lateral esquerdo iniciou-se no clube da terra, o Vasco da Gama, mas rapidamente foi recrutado pelo Sporting. Após cinco anos em Alcochete, transferiu-se para o Valencia e de lá para o Benfica, onde concluiu a formação. Estreou-se no futebol sénior pela porta do Fátima e no final dessa época, em 2011, sagrou-se vice-campeão mundial de sub-20 e rumou ao futebol italiano. Vinculou-se ao Parma, que o emprestou a Gubbio 1910, Spezia e Empoli, clube pelo qual haveria de assinar em definitivo. Seguiram-se aventuras na AS Roma e no Nápoles, onde é opção regular de Carlo Ancelotti.


2. Rafael Leão (22 milhões de euros)

Rafael Leão
Nascido em Almada, este avançado de ascendência angolana deu os primeiros toques na bola no Amora e de lá seguiu para a Associação Foot 21, um clube da Damaia que existiu durante apenas cinco anos. Num ápice, saltou para o Sporting, apesar da cobiça do Benfica, tendo feito praticamente toda a formação no emblema de Alvalade. Em 2016 sagra-se campeão europeu de sub-17 e no ano a seguir estreia-se pela equipa B e pela equipa principal, tendo marcado na estreia, num jogo diante do Oleiros para a Taça de Portugal. No final da época 2017-18 alega justa causa para rescindir unilateralmente com os leões na sequência da invasão à Academia do clube, em Alcochete, e assina pelos franceses do Lille. Após ter sido uma das revelações da liga francesa, transferiu-se para o AC Milan, onde procura afirmar-se, aos 20 anos.   


1. João Cancelo (55 milhões de euros)

João Cancelo
Natural do Barreiro, João Cancelo foi dos tais que se iniciou no futebol federado no campo pelado da Verderena, propriedade do Barreirense. Foi lá que o lateral cresceu até 2007, quando se mudou para o Benfica. Após ter percorrido vários escalões jovens das águias, estreou-se pela equipa B ainda com idade de júnior. Numa fase em que já tinha sido convocado por Jorge Jesus para alguns jogos do plantel principal, viu a mãe praticamente morrer ao lado dele num acidente de viação e ficou afastado dos relvados durante algum tempo. Voltou forte, estreou-se pela equipa principal do Benfica, mas face à escassez de oportunidades transferiu-se para o Valencia, onde despontou. Tornou-se internacional AA, jogou na Liga dos Campeões e depois de um empréstimo ao Inter de Milão transferiu-se para a Juventus, clube pelo qual foi campeão italiano ao lado de Cristiano Ronaldo. Durou apenas uma temporada em Turim porque Pep Guardiola levou-o para o Manchester City. Aos 25 anos, já jogou em três das principais ligas europeias e movimentou 120 milhões de euros em transferências.











Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...