sexta-feira, 2 de março de 2012

Liga ZON Sagres | Benfica 2-3 FC Porto



Esta noite, no Estádio da Luz, o FC Porto venceu o Benfica por 3-2 e conseguiu desta forma assumir a liderança isolada da Liga ZON Sagres. Cardozo marcou ambos os tentos das águias, e Hulk, James Rodríguez e Maicon marcaram para os dragões.



Eis a constituição das equipas:

Benfica



Os encarnados não venceram nos últimos três jogos, sendo dois deles para a Liga ZON Sagres, e por isso, perderam a liderança isolada.
Javi Garcia, que falhou os últimos encontros devido a lesão, já está recuperado. O plantel está na máxima força e não há impedimentos.


FC Porto



Os dragões tiveram um Fevereiro vitorioso a nível interno, no qual recuperaram os cinco pontos de desvantagem que tinham para o Benfica.
Danilo, Mangala e Varela são os ausentes, todos lesionados.


O jogo começou equilibrado, com as equipas a encaixarem uma na outra e a começarem a serem criados os duelos individuais que iriam permanecer ao longo da partida como Janko/Luisão, Maicon/Nolito, Lucho/Javi, Fernando/Aimar, Hulk/Emerson ou Djalma/Maxi Pereira, mas logo aos 7’, numa das suas habituais diagonais, Hulk rematou forte de fora da área e levou a bola ao ângulo superior da baliza de Artur.

A meio da primeira parte, Cardozo conseguiu ficar isolado praticamente já na pequena área, no entanto, o remate foi demasiado fraco e Helton conseguiu agarrar o esférico. Nesta fase, os encarnados conseguiam jogar mais próximos da área contrária, a arrancarem faltas e cartões aos dragões, e a cheirar o empate.

Aos 35’, Lucho González assistiu Janko que no cara-a-cara com Artur permitiu a sua defesa. Na recarga, o guarda-redes do Benfica voltou a negar o golo, desta vez a Álvaro Pereira.
Dois minutos depois, na cobrança de um livre directo, João Moutinho atirou à trave.

A cinco minutos do intervalo, na sequência de um canto a favor das águias, Maxi Pereira rematou à entrada da área, a bola bate em Witsel e sobra para Cardozo que em zona frontal rematou forte para o 1-1.

Logo a abrir a segunda metade, após um livre marcado por Pablo Aimar para o interior da área, o avançado paraguaio do Benfica apareceu em boa posição para cabecear para o fundo das redes, dando vantagem aos lisboetas.

Pouco depois, “El Mago” saiu lesionado e foi Rodrigo que o substituiu. Tacticamente tudo na mesma, com o jovem espanhol a substituir o experiente argentino no apoio ao ponta-de-lança.

Aos 58’, Vítor Pereira trocou Rolando por James Rodríguez, com o colombiano a entrar para a posição de extremo-esquerdo, Djalma passa para lateral-direito e Maicon para central.

Cinco minutos em campo bastaram ao jovem prodígio sul-americano para empatar a partida, com um grande remate a passe de Fernando.

Aos 70’, Garay, também com queixas físicas, foi substituído por Miguel Vítor.

Como se não bastasse a vantagem perdida e as lesões de Aimar e do central argentino, Emerson foi expulso por acumulação de cartões amarelos e adivinhava-se uma recta final de partida bastante complicada para os encarnados. Curiosamente, foi Gaitán a ocupar o espaço que antes era do lateral brasileiro.

A cinco minutos dos descontos, Kléber entrou para o lugar de João Moutinho, com Vítor Pereira a arriscar imenso para os instantes finais, com dois avançados de raiz, passando a jogar num 4-4-2.
Ainda assim, logo a seguir à substituição, num livre lateral apontado por James Rodríguez direccionado para o interior da área, Maicon (em posição irregular) conseguiu antecipar-se a Artur e cabecear para a baliza, fazendo o 2-3.

Mesmo a chegar aos 90’, Jorge Jesus arrisca tudo e coloca em campo Nélson Oliveira, retirando Javi Garcia. Nesta altura, mesmo não havendo táctica que resistisse, o internacional português colou-se a Cardozo e Rodrigo na frente de ataque.
Na resposta, Hulk foi substituído por Defour, para ajudar a segurar o meio-campo.

Sem nada mais a acrescentar, o FC Porto acabou mesmo por vencer esta grande partida, onde se viu bom futebol, um ritmo muito intenso, onde também se incluem muitas faltas que rondaram as cinquenta (47).
Os dragões entraram melhor, colocarem-se em vantagem, o Benfica respondeu bem, criou as suas oportunidades, e numa altura em que os nortenhos até estava a soltar a pressão, os encarnados empataram no fim da primeira parte, e no começo da segunda, fizeram o 2-1.
Com o golo sofrido, o FC Porto viveu um período bastante complicado, em que viu as suas tentativas de sair para o ataque bloqueadas, até que James entrou, encontrou espaço e empatou a partida.
Com as lesões, fadiga de alguns jogadores, reforço anímico dos azuis e brancos e expulsão de Emerson, as coisas ficaram bastante difíceis para os lisboetas que a cinco minutos do fim sofreram um golo, em que o seu marcador, Maicon, estava em posição irregular.
Foi um encontro no qual podiam ter acontecido os três resultados possíveis, ambas as formações tiveram períodos em que estiveram em vantagem e controlaram e dominaram as operações, no entanto, o desfecho do jogo foi favorável aos dragões.

Analisando os atletas em campo, Artur não esteve mal, mas pareceu mal posicionado no 0-1 e deixou-se antecipar no lance do 2-3 apesar do pormenor de Maicon estar adiantado.
Maxi Pereira viveu uma noite complicada com Djalma a dar-lhe problemas, não subiu tanto como é costume e defendeu bem. Luisão participou indirectamente no lance do 2-1 bloqueando os movimentos dos jogadores do FC Porto que procuravam aliviar a bola, e Garay fez um bom jogo apesar de ter saído por lesão. Emerson foi batido por Hulk no 0-1 mas deu bastante bem conta do seu “incrível” recado durante o resto da partida.
Javi Garcia foi sempre pressionado por Lucho mas notou-se que com ele o Benfica tem outra consistência, Witsel não conseguiu ser regular na ligação entre sectores, Gaitán teve os seus períodos bons mas sem grande regularidade e Nolito foi muito irrequieto.
Aimar marcou as bolas paradas das quais deram os golos encarnados, no entanto, foi sempre muito marcado por Fernando que o acompanhou em todo o campo e não conseguiu assim pôr em prática o seu melhor futebol, e Cardozo, embora tendo falhado o empate a meio da primeira parte num lance que parecia fácil, bisou na partida. Rodrigo entrou bem mas desapareceu do jogo.

Quanto aos jogadores do FC Porto, Helton esteve seguro e não teve culpa nos golos encaixados.
Maicon nunca deu profundidade ao flanco direito a atacar, a defender teve dificuldades mas a sua exibição foi muito melhor quando passou para defesa-central. Rolando e Otamendi não estiveram mal, e Alvaro Pereira defendeu bem mas não atacou tanto como costume.
Fernando fez um grande jogo, João Moutinho atirou à trave de livre directo e durante a partida, sobretudo na primeira parte, dedicou-se muito a tarefas mais defensivas, compensando os posicionamentos do trinco brasileiro dos dragões que por vezes saiu do seu posto para acompanhar Aimar, e Lucho apareceu próximo do ponta-de-lança em algumas ocasiões, mas não pegou no jogo como lhe se pedia nos primeiros vinte minutos do segundo tempo.
Djalma esteve muito bem, Hulk marcou um grande golo e apagou-se, e Janko não teve grandes oportunidades e fez muitas faltas. James Rodríguez entrou e mudou completamente o rumo dos acontecimentos, foi o homem do jogo com um golo e uma assistência.


Com este resultado, fica assim disposta a classificação da Liga ZON Sagres:

3 comentários:

  1. Olá!

    Já coloquei seu blog entre os meus parceiros , espero que você faça o mesmo.

    Sucesso!

    ResponderEliminar
  2. E entao DAVID....sou do blog FUTEEURO....mesmo vc nao tendo banner eu vou adicionar seu link...ai vc adiciona meu banner(pois eu tenho)...blz?

    ResponderEliminar
  3. Preciso da vossa ajuda, será que podem meter gosto nesta página?

    http://www.facebook.com/QuadroTatico

    Temos também um fórum, criado há pouco mas com muitas mensagens, passem por lá:

    http://w11.zetaboards.com/QuadroTatico/index/

    ResponderEliminar