quinta-feira, 5 de novembro de 2020

Quatro jogadores do Estrela da Amadora para as ligas profissionais terem em conta

Estrela da Amadora lidera a Série G do Campeonato de Portugal
O Estrela da Amadora está de volta aos campeonatos nacionais e empenhado em chegar a breve prazo aos maiores palcos do futebol português. Líder da Série G do Campeonato de Portugal com os mesmos dez pontos (em 12 possíveis) do Sporting B e com confronto marcado com o Farense na terceira eliminatória da Taça de Portugal, a formação tricolor tem conciliado acutilância ofensiva com solidez defensiva, como demonstram os 13 golos marcados e apenas dois sofridos ao cabo dos primeiros seis encontros oficiais da temporada.
 
Embora a equipa seja composta quase exclusivamente nova, tendo herdado poucos jogadores do Sintra Football, o treinador Rui Santos já conseguiu montar um coletivo forte em todos os momentos do jogo, com alguma variabilidade de soluções na hora de atacar: umas vezes de forma mais apoiada e organizada, noutras à procura da profundidade.
 
Perante o que foi mostrado nos primeiros jogos da época, deixamos aqui quatro sugestões de nomes que poderão surgir nas ligas profissionais a breve prazo.
 


Comecemos pelo eixo defensivo, que tem como patrão o gigante cabo-verdiano
Yuran Fernandes
Yuran Fernandes
, uma viga de 1,98 m. Comecemos por dizer o óbvio: é imponente no jogo aéreo, ganha a maioria dos duelos e é um perigo à solta nas bolas paradas ofensivas, tendo já apontado um golo – de cabeça, claro está! – nesta temporada.
Embora pareça ter pouca mobilidade, possui níveis de agilidade e de reflexos muito satisfatórios para o tamanho que tem, não tendo tido muitos problemas no controlo da profundidade neste arranque de época, apesar de a defesa do Estrela jogar habitualmente subida.
Canhoto, mostra-se também sereno com bola. Muitas vezes é do seu pé esquerdo que saem passes longos em profundidade à procura da velocidade dos atacantes.
Nunca é tarde para sonhar, mas, aos 26 anos, ainda vai a tempo de fazer um trajeto interessante nas ligas profissionais.
 

 


Sérgio Conceição
Continuando na defesa, mas passando para a lateral direita, encontramos Sérgio Conceição, filho do treinador do FC Porto e uma das agradáveis surpresas deste Estrela da Amadora. Embora não tenha tido grande utilização na época passada ao serviço da Académica, vai mostrando atributos que rapidamente o deverão recolocar nas ligas profissionais.
Ainda que atue numa posição mais recuada, tem um estilo e uma linguagem corporal que fazem lembrar o pai, pela forma como faz movimentos verticais na ala direita e pela agressividade positiva que coloca em campo, mas também pela maneira como corre.
Aos 23 anos, tem mostrado no emblema da Reboleira que é um lateral ofensivo, que sobe com qualidade, mas também com assertividade, dando grande consistência ao corredor direito. Em termos ofensivos vai mostrando já um grande entendimento com o extremo Luís Mota, não fazendo parecer que têm apenas alguns meses a treinar e a jogar juntos. Além disso, é o habitual homem das bolas paradas dos tricolores.
 
 

Luís Mota
Tal como referido, Sérgio Conceição mostra um grande entendimento com o extremo Luís Mota, canhoto que habitualmente atua sobre o corredor direito. As comparações são sempre ingratas, mas, salvo as devidas proporções, faz lembrar o estilo do suíço Xherdan Shaqiri: é baixo (1,66 m), entroncado, canhoto e rápido.
Talvez o principal desequilibrador do Estrela da Amadora neste arranque de temporada, já leva dois golos em cinco jogos. O facto de ter sido suplente não utilizado no último jogo, na receção ao Oriental, não apaga os bons desempenhos dos encontros anteriores.
Uma das grandes valências deste antigo extremo de Real SC, Sintrense, Sacavenense e 1º Dezembro é a versatilidade que oferece em termos ofensivos, uma vez que tanto pode colaborar com qualidade para ataques mais organizados, aparecendo por dentro e contribuindo para o funcionamento do jogo interior com diagonais a partir da direita; como pode surgir em velocidade no espaço vazio, dando à equipa uma solução para atacar a profundidade.
Tem 27 anos e vai acabar a época com 28 anos, uma idade considerada por muitos como avançada para chegar ao futebol profissional, mas se conseguir manter este nível durante os próximos meses, não será tarde para sonhar.
 

 

Paollo Madeira
Por fim, na frente de ataque está outra das revelações da equipa, o avançado brasileiro Paollo Madeira, que na época anterior tinha apontado 29 golos em apenas 17 jogos na II Divisão Distrital da AF Algarve ao serviço do Farense 1910, uma espécie de equipa B dos leões de Faro.
Apesar da estampa física (1,87 m), não é daqueles pontas de lanças que se limitam a estar na área adversária à espera de cruzamentos. Dotado de um bom poder de desmarcação, oferece profundidade ao eixo do ataque, conseguindo aparecer várias vezes em boa posição nas costas dos centrais e na cara do guarda-redes. Por outro lado, também sabe utilizar o corpo para proteger a bola.
No início da temporada parecia destinado ao estatuto de suplente do experiente goleador Diego Zaporo, mas um golo na visita ao São Roque na primeira eliminatória da Taça de Portugal e um bis numa receção ao Sp. Ideal no campeonato garantiram-lhe a titularidade nos dois jogos que se seguiram.
Tem ainda arestas a limar e terá de mostrar regularidade ao longo da temporada no patamar competitivo em que está inserido, mas a confiar no que já mostrou no Estrela, somado aos números que apresentou nos distritais algarvios e ao facto de ter apenas 24 anos, está aqui um avançado para seguir com muita atenção.
 
 

 
Além destes, obviamente que há outros jogadores que podem ambicionar dar o salto na carreira. O central Zé Pedro tem mostrado assertividade e feito boa dupla com Yuran, o lateral esquerdo Edu Duarte tem sido consistente a fazer o corredor ainda que sem a mesma qualidade ofensiva de Sérgio Conceição na direita, o médio defensivo Latón tem exibido grande capacidade para ganhar duelos, recuperar a bola e posicionar-se de forma a deixar a equipa equilibrada, o médio ofensivo Chapi Romano não tem sido muito regular mas denota boa visão de jogo e o extremo Diogo Leitão tem sacado alguns coelhos da cartola na ala esquerda embora se eclipse durante bastante tempo ao longo dos jogos.




   





Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...