quarta-feira, 20 de novembro de 2019

O talento e a omnipresença de Zé Tiago no Mafra

Zé Tiago é natural de Gaia e passou pela formação do Boavista
Zé Tiago é um daqueles casos de um jogador com grande talento mas que não consegue aparecer na I Liga. Chegou aos 26 anos ao segundo escalão pela porta do Sp. Covilhã, passou por Desp. Aves e Académica, mas é no Mafra que desde a época passada me divirto a vê-lo jogar.


Canhoto, experiente (31 anos) e dotado de baixo centro de gravidade (1,67 m), qualidade técnica apurada e visão de jogo periférica, é o organizador de jogo da formação do oeste. Depois de ter atuado quase sempre a extremo às ordens de Filipe Martins durante a temporada transata, ainda que com grande tendência para aparecer por dentro, com Vasco Seabra passou definitivamente para a zona central, onde goza de grande liberdade de movimentos.

Com um toque de bola açucarado e grande critério na tomada de decisão, aparece muito no chamado espaço entrelinhas, a zona cinzenta entre a linha defensiva e a linha média do adversário, onde não precisa de muito tempo para definir com qualidade numa fase já adiantada das jogadas de ataque. Porém, o seu raio de ação não se esgota nos últimos 40 metros da faixa central. Bem pelo contrário. Também gosta de recuar para procurar a bola, tocá-la, ganhar confiança e começar a organizar o jogo a partir de uma zona mais recuada. Mas também aparece nos flancos a criar superioridade numérica junto do lateral e do extremo, assim como na área a dar uma alternativa às movimentações do ponta de lança em plena zona de finalização. No fundo, dá a ideia de estar em todo o lado, como se fosse omnipresente.

Embora se sinta bastante confortável em ataque posicional, contexto que lhe permite desfrutar mais do talento e cultura tática que possui, também tem uma participação importante nas saídas rápidas da equipa mafrense para o ataque, conduzindo a bola com qualidade e entregando-a no timing ideal ao companheiro mais adequado com grande precisão.  


Por o Mafra precisar dele com as ideias e as pernas fresca, Vasco Seabra poupa-o um pouco das tarefas defensivas, colocando-o ao lado do ponta de lança no sistema de 4x4x2 que adota para o processo defensivo, não o obrigando a correrias desenfreadas, ainda que Zé Tiago não se alheie completamente da missão coletiva de defender. É o que acontece com os craques.




















Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...