sexta-feira, 5 de outubro de 2018

Treinador mais jovem da I Distrital quer Charneca nos oito primeiros

Renato Fernandes tem prova de fogo aos 28 anos
Renato Fernandes é uma das novidades entre os treinadores da I Distrital. O técnico de 28 anos, o mais jovem da competição, chega ao leme do Charneca de Caparica depois de uma longa travessia no clube enquanto jogador nos escalões de formação, treinador nas camadas jovens e adjunto da equipa sénior.

“Estive em todos os escalões de formação, exceto o futebol 7, e nos seniores. Surgiu esta oportunidade de ser treinador principal dos seniores, também pela estrutura do clube e porque grande parte do plantel se mantém. Vamos tentar fazer uma época dentro daquilo que são os objetivos do clube”, começou por contar a O Blog do David o novo timoneiro dos canários, que terminaram as últimas três temporadas na primeira metade da tabela.

Habituado a treinar crianças e adolescentes ou a trabalhar na sombra de um treinador principal nos seniores, como aconteceu na época passada com José Manuel – atual adjunto da equipa principal do Cova da Piedade -, o benjamim dos bancos da I Distrital considera “perfeitamente normal” orientar jogadores mais velhos do que ele. “Não temos uma relação hierárquica em que eu mando e eles obedecem. Não faria sentido. No início da época ficou bem claro que o nosso modelo de jogo e de treino seria sempre repartido. Encaramos isto como um compromisso, como um pacto”, explicou.

“Não tenho disponibilidade para casos de indisciplina”

Mesmo sem acreditar que a sua autoridade possa ser posta em causa, o jovem técnico já sabe como reagir se ocorrerem atos de indisciplina. “Logo no primeiro dia manifestei que não tenho muita disponibilidade para casos de indisciplina. Haverá sempre uma linha que não poderá ser ultrapassada, que é a linha entre treinador e jogador, e se essa linha for ultrapassada, serei muito radical, porque neste momento o Charneca é uma equipa que tem um conjunto de soluções. Caso houvesse algum problema, a única resolução seria a saída. Os jogadores percebem qual é o lugar deles e qual é o meu, eu também, e o que tentamos é trabalhar juntos para conseguir os objetivos. Dificilmente terei algum problema de autoridade no balneário”, revelou, seguro de si.

Charneca de Caparica quer ficar na primeira metade da tabela classificativa
É com este espírito e um plantel que transita quase todo da época passada que Renato Fernandes aponta à primeira metade da tabela, depois de os canários terem terminado duas das três últimas edições do campeonato em 7.º lugar, com o ponto alto a ser atingido em 2016/17: a quarta posição. “O Charneca tem concluído as últimas épocas nesses lugares e é um objetivo. Sabemos do que tem sido o apetrecho das várias equipas. Acho que será, porventura, uma das épocas mais competitivas da I Distrital, e isso já tem alguns reflexos em resultados da Taça AFS, com equipas a poder ganhar em qualquer campo. Sabemos que há três ou quatro candidatos a poder subir de divisão, mas depois há equipas com muita qualidade que se reforçaram muito bem e têm um bom conjunto de jogadores. Queremos fazer um campeonato acima de tudo tranquilo, sabendo que não podemos aspirar a lugares de subida de divisão, e tentar fazer uma campanha engraçada na Taça AFS”, vaticinou o ex-treinador dos juvenis B do emblema do concelho de Almada, que aponta o Fabril “acima de todos os outros” como favorito à subida, mas sem esquecer o “crónico candidato” Barreirense, o U. Santiago que contratou “jogadores de divisões superiores” e as “duas equipas que vieram da II Distrital, mas que têm grande poderio na contratação de jogadores”, o Cova da Piedade B e o Oriental Dragon.

Sobre a Taça, na memória ainda está a presença de há dois anos na final, algo “difícil de voltar a acontecer”. “Implica um contexto muito específico de eliminatórias e adversários até à final, mas nunca se sabe. Calhámos num grupo complicado, só com equipas de I Distrital”, considerou, aludindo à concorrência de Fabril, Moitense, Sesimbra e U. Santiago.

Ao cabo dos dois primeiros jogos, a formação do concelho de Almada soma um empate caseiro com o Sesimbra (2-2) e uma derrota tangencial no terreno do Fabril (1-2). Este domingo, o Charneca recebe o Moitense, num duelo entre equipas que somam apenas um ponto.


Núcleo duro mantém-se, mas a assimilação das ideias ainda “está a 30 ou 40%”

“A principal novidade do plantel é que conseguimos manter grande parte do plantel. Fizemos algumas aquisições que podem ser mais-valias, que vieram substituir jogadores que não se mantiveram. Não queria estar a individualizar, mas jogadores como o Fábio Santos e Penha (ambos ex-Amora) vêm acrescentar alguma qualidade”, contou Renato Fernandes, quando questionado acerca da composição do plantel.

Apesar da permanência do núcleo duro, “a assimilação das ideias está ainda a 30 ou 40 por cento”. “E não podia ser mais do que isto, pois temos cerca de 30 treinos, mas estou muito satisfeito”, vincou, bastante prestável.









Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...