terça-feira, 14 de julho de 2020

A minha primeira memória de… um jogo entre Liverpool e Arsenal

Quatro golos em Anfield: o jogo da vida de Andrei Arshavin
Quando se defrontam, Liverpool e Arsenal não só protagonizam um clássico do futebol português como reeditam duelos espetaculares, marcados por resultados à hóquei em patins. Creio que nunca me terei sentado à frente de um televisor para assistir de fio a pavio a um jogo entre estes dois colossos britânicos, mas esse não é um sinal da falta de interesse das partidas, mas sim de que sou um pecador.

A 22 de abril de 2009, fui surpreendido quando colegas de escola falavam entusiasticamente de que Liverpool e Arsenal tinham empatado na véspera a quatro golos. E tenho uma vaga ideia de à hora de almoço ter assistido à síntese do jogo no Jornal da Tarde num canal generalista.


Naquela altura, os reds e os gunners tinham perdido algum terreno para Chelsea e Manchester United na luta pelo título da Premier League, mas continuavam a ter grandes equipas e a chegar longe na Liga dos Campeões.

O Liverpool de Rafael Benítez estava recheado de jogadores espanhóis como o guarda-redes Pepe Reina, o defesa Álvaro Arbeloa, os médios Xabi Alonso e Albert Riera e o avançado e goleador da equipa Dirk Kuyt, mas havia mais, como o defesa inglês Jamie Carragher, o médio e capitão Steven Gerrard (que falhou este encontro), o extremo holandês Dirk Kuyt e o médio ofensivo israelita Yossi Benayoun.

Do outro lado, um Arsenal bastante jovem, de tal forma que já passaram mais de 11 anos e ainda há jogadores no ativo. No onze inicial neste encontro estavam o guarda-redes polaco Łukasz Fabiański (24 anos), o lateral esquerdo inglês Kieran Gibbs (19 anos), o médio defensivo camaronês Alex Song (21 anos), o médio brasileiro Denílson (21 anos), o médio espanhol Cesc Fàbregas (21 anos), o médio ofensivo francês Samir Nasri (21 anos) e o ponta de lança dinamarquês Nicklas Bendtner (21 anos). E na segunda parte entraram o médio francês Abou Diaby (22 anos) e o extremo inglês Theo Walcott (20 anos).


Mas o protagonista dessa noite em Anfield, porém, ainda não foi mencionado: o atacante russo do Arsenal, Andrei Arshavin. O festival Arshavin começou aos 39 minutos, numa jogada de insistência dos gunners. 0-1.

O empate chegou no início da segunda parte, através de um cabeceamento certeiro de Fernando Torres, então um dos melhores avançados do mundo (49’).

Os reds chegaram à reviravolta aos 56’, por Benayoun, que respondeu de cabeça a um cruzamento de Kuyt e viu Fabianski defender a bola já no interior da baliza.

Mas Arshavin estava inspirado, restabelecendo a igualdade através de um remate forte e colocado de fora da área (67’) e devolvendo logo a seguir a vantagem aos londrinos logo a seguir, aproveitando uma bola perdida na área do Liverpool.

Ainda os adeptos do Arsenal festejavam a reviravolta e Fernando Torres empatava novamente a partidas aos 72’, com um remate à meia volta.

Com o Liverpool desesperado para chegar à vitória, para não perder mais terreno para o líder do Manchester United, o ataque do Arsenal apanhou os reds desequilibrados na sequência de um pontapé de canto e chegou ao 3-4 mais uma vez por intermédio de Arshavin, a passe de Walcott, aos 90 minutos.

Porém, ainda não tínhamos visto tudo. Já na fase do desespero total, Benayoun aproveitou uma bola perdida no coração da área para deixar o jogo empatado a quatro golos ao cair do pano, aos 90+3’.

“Quatro golos de Arshavin destroem as esperanças do Liverpool. A deceção é agora tão abrasadora para o Liverpool quanto a emoção deste jogo selvagem. O Liverpool lidera a Premier League apenas com a diferença de golos e o Manchester United, com dois jogos a menos, deve estar ansioso pelo jogo de hoje frente ao Portsmouth, em Old Trafford. O Liverpool vai encontrar dificuldades para tolerar os quatro golos de Andrei Arshavin, particularmente porque só tinha marcado apenas duas vezes pelo Arsenal desde que chegou do Zenit de São Petersburgo a meio da época”, escreveu o The Guardian.


Este foi apenas um de muitos jogos com resultados à hóquei em patins entre os dois clubes no século XXI. Nas épocas anteriores, o Arsenal goleou por 6-3 em Anfield para a Taça da Liga em 2006-07 e o Liverpool venceu por 4-2 para a Liga dos Campeões em 2007-08.

E mais recentemente o Liverpool goleou por 5-1 em 2013-14 e em 2018-19 e venceu tangencialmente por 4-3 em 2016-17 para a Premier League e houve empate a cinco golos com vitória do Liverpool no desempate por penáltis na Taça da Liga em 2019-20.

















Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...