quarta-feira, 18 de dezembro de 2019

Hugo Marques. O choco que domina o espaço aéreo em Faro

Hugo Marques está na terceira temporada ao serviço do Farense
Aos 33 anos, Hugo Marques vive a melhor fase da carreira, pelo menos no futebol português. Depois de muitos anos com poucos minutos de jogo na II Liga e na II Divisão B, passou por Angola, voltou ao registo anterior e agora é a última barreira de um Farense que se apresenta nesta altura como o principal candidato a subir à I Liga.


Entre as possíveis escolhas para a baliza dos algarvios está também o internacional português Daniel Fernandes, mas o choco, como é conhecido pelos amigos da Póvoa do Varzim, vai justificando a titularidade a cada jogo que passa.

Ao olhar para as exibições deste internacional angolano nascido em Fão, o que mais salta à vista é a forma como ele domina o espaço aéreo na área dos leões de Faro. Incrível como sai da baliza e até da pequena aérea para fazer uso do seu 1,93 m, do bom poder de impulsão e da capacidade para decidir o timing de salto para, em pleno ar, agarrar a bola como se de um tesouro se tratasse.

Numa era futebolística em que os guarda-redes egoisticamente cada vez mais se escondem na baliza para não se exporem ao erro, a postura destemida de Hugo Marques é uma pedrada no charco. Obviamente que também erra, mas a eficácia com que sai de entre os postes e se movimenta num raio de ação muito mais alargado do que a esmagadora maioria dos guardiões no futebol português é uma qualidade que faz dele um dos destaques do Farense de Sérgio Vieira e da II Liga.

Entre os postes não é tão diferenciado, mas ainda assim exibe um posicionamento, um alcance de voo e uns reflexos bastante satisfatórios.


Formado no Varzim e no FC Porto, foi internacional português pelas seleções jovens, tendo estado presente no Campeonato do Mundo de sub-17 em 2003 ao lado de Miguel Veloso, Manuel Fernandes, Vieirinha e João Moutinho. Teve passagens por União de Lamas, Vila Meã, Gil Vicente e Trofense, mas em 2011 rumou ao futebol angolano para representar o Kabuscorp. Nessa altura foi companheiro de equipa do antigo craque brasileiro Rivaldo e estreou-se pela seleção de Angola, tendo estado entre os convocados dos palancas negras para o CAN 2012. Após ter representado o 1º de Agosto e voltado ao Kabuscorp, regressou a Portugal no verão de 2016 pela porta do Sp. Covilhã, na II Liga. Porém, a pouca utilização levou-o a descer um degrau, tendo rumado ao Farense no ano seguinte quando os algarvios ainda estavam no Campeonato de Portugal. Depois de ter ajudado os leões de Faro a subir à II Liga, começou a época passada como suplente de Daniel Fernandes, mas agarrou a titularidade em janeiro de 2019 e não mais a largou. 














































Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...