sábado, 27 de março de 2021

A minha primeira memória de… um jogo entre Itália e Bulgária

Itália e Bulgária digladiaram-se numa noite chuvosa em Guimarães
Que me perdoem os cotas, mas eu ainda não era nascido aquando do jogo entre Itália e Bulgária na fase de grupos do Mundial 1986 e tinha apenas dois anos quando as duas seleções se defrontaram nas meias-finais do Campeonato do Mundo de 1994.
 
Com muita pena minha não assisti ao confronto do torneio norte-americano, que colocou frente a frente a armada de leste liderada em campo por Balakov, Kostadinov e Stoichkov e a squadra azzurra de Maldini e Roberto Baggio.
 
O primeiro duelo de que tenho memória entre as equipas nacionais dos dois países até ocorreu em Portugal, na 3.ª jornada da fase de grupos do Euro 2004. Na altura, a Bulgária já estava eliminada, mas queria dar melhor imagem na despedida, em Guimarães, depois de derrotas ante a Suécia em Alvalade (0-5) e a Dinamarca em Braga (0-2). Por outro lado, a Itália orientada por Giovanni Trapattoni (que dias depois seria anunciado como novo treinador do Benfica) e com craques como Buffon, Panucci, Nesta, Pirlo, Del Piero, Totti, Cannavaro e Vieri não tinha ido além de empates frente à Dinamarca em Guimarães (0-0) e à Suécia no Dragão (1-1), mas parecia depender apenas de si para seguir para os quartos de final, a não ser que… Suécia e Dinamarca empatassem 2-2 no Bessa à mesma hora.
 
Se Itália não ganhasse, Dinamarca e Suécia passariam à fase seguinte independentemente do resultado entre ambas. Se Itália ganhasse e uma das seleções nórdicas vencesse no Bessa, Dinamarca ou Suécia venceriam o grupo e Itália transitaria para os quartos de final como segunda classificada.
 
Mas se Itália batesse a Bulgária e houvesse empate entre Suécia e Dinamarca na Invicta, as coisas seriam mais difíceis de explicar. Basicamente, se tal acontecesse – como veio, de facto, a acontecer –, as três seleções ficariam empatadas com cinco pontos. Para as desempatar, teria de se verificar os resultados de um minicampeonato entre as três. Contudo, tanto no confronto direto (dois pontos cada) como na diferença de golos (zero) estariam igualmente empatadas, pelo que se teria de recorrer aos golos que cada uma dessas seleções marcou nos confrontos entre as três para desempatar. À partida para a última jornada, Itália e Suécia tinham um golo cada e a Dinamarca tinha zero golos marcados nesse minicampeonato a três, ou seja, se as seleções nórdicas empatassem a dois ou mais golos no Bessa, de nada valeria a Itália ficar a noite toda a marcar golos à Bulgária.
 
Numa noite chuvosa no Norte de Portugal, apesar de estarmos no início do verão, o duplo apuramento nórdico nunca pareceu em causa. Ora vejamos: Itália, que até esteve a perder (golo de Martin Petrov de penálti aos 45 minutos), empatou no início do segundo tempo por Perrotta (48’) e só chegou à vantagem ao cair do pano, por Cassano (90’). Nessa altura, já se registava um bastante conveniente empate a dois golos no Bessa. Além de conveniente, o empate nórdico era suspeito, até porque o lance que deu o 2-2 ficou marcado por um frango do guarda-redes dinamarquês Sorensen. Para muitos, tratou-se de um arranjinho – ou, como dizem em Itália, Il Biscotto [o biscoito].
 
“A Itália despediu-se do Euro 2004 com uma vitória sobre a Bulgária, mas que, perante o empate a dois do Bessa entre Dinamarca e Suécia, não serviu rigorosamente para nada. A não ser, talvez, para sublinhar o péssimo começo de campeonato dos comandados de Trapattoni, que além de serem obrigados a derrotar os búlgaros, também dependiam do confronto dos irmãos nórdicos. A cuspidela de Totti em Poulsen, o sofrido empate com a Dinamarca, as ocasiões desperdiçadas frente à Suécia ou as opções de Trapattoni – algumas bastante discutíveis e certamente motivo de discussão nos próximos dias – pertencem já ao passado. Depois da Espanha, afastada por Portugal, mais um dos candidatos à vitória ficou pelo caminho na primeira fase, ao cabo de um encontro que teve momentos emotivos e outros de péssimo futebol”, resumiu o jornal O Jogo acerca do encontro entre italianos e búlgaros em Guimarães.
 



 































































E para o caro leitor, qual é o primeiro jogo entre Itália e Bulgária de que tem memória? E quais foram as melhores e mais marcantes jogos de sempre entre as duas seleções?



Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...