sábado, 29 de setembro de 2012

Liga Russa | Zenit 1-1 Lokomotiv


Esta manhã, no Estádio Petrovsky, em São Petersburgo, o Zenit e o Lokomotiv Moscovo empataram 1-1, num jogo a contar para a 10ª jornada da Liga Russa. Criscito marcou para os campeões em título, e Dame N’Doye empatou para os moscovitas.


Eis a constituição das equipas:

Zenit



Ao cabo de nove jornadas, os comandados por Luciano Spalletti estão em 5º lugar na Liga Russa, a quatro pontos do líder CSKA Moscovo.
As últimas semanas têm ficado marcadas pelas declarações nada amistosas de Denisov e Kerzhakov acerca dos ordenados chorudos de Witsel e Hulk, tendo sido ambos afastados da equipa, no entanto, o ponta-de-lança russo mostrou algum arrependimento e foi reintegrado.
Danny continua lesionado.


Lokomotiv



O Lokomotiv já não vence em São Petersburgo desde 2004, na segunda vez em que foi campeão nacional (a outra foi em 2002).
Na temporada passada o treinador foi José Couceiro, que não foi além do 7º lugar. Esta época, orientados por Slaven Bilic, ocupam a 3ª posição, a dois pontos do líder CSKA Moscovo, mas com os mesmos pontos de vantagem sobre o rival de hoje.
Os moscovitas contam nas suas fileiras com Alberto Zapater e Felipe Caicedo (ambos ex-Sporting) e Dame N’Doye (ex-Académica).


Inicio de jogo equilibrado em São Petersburgo. A equipa que mais se destacou neste período foi a de arbitragem, muito rigorosa.

14’ Na sequência de um canto cobrado por Hulk e de uma série de ressaltos, a bola sobra para Criscito que á entrada da área atirou forte para o fundo das redes.


25’ Glushakov encontrou Dame N’Doye a desmarcar-se nas costas de Bruno Alves e isolou-o com um passe fantástico, depois, o senegalês fez um belo chapéu a Malafeev.


32’ Shishkin viu o segundo cartão amarelo por suposta falta sobre Hulk, num lance muito estranho e duvidoso.

36’ Ziegler rendeu Grigoriev, repondo assim a defesa elementos.
Eshchenko passou para lateral-direito.

43’ No seguimento de um canto à maneira curta, Hulk rematou cruzado, mas ao lado.

Intervalo.

48’ Anyukov foi expulso por acumulação após falta sobre Tarasov.
Fayzulin recuou para lateral-direito.

57’ Glushakov foi substituído por Obinna.

59’ Luciano Spalletti trocou Bystrov por Yanbayev.

72’ Slaven Bilic lançou Maicon, e retirou Dame N’Doye.

78’ Samedov rematou colocado, mas por cima do alvo.

Shirokov foi rendido por Kanunnikov.

Apesar das substituições parecerem o contrário, as equipas estavam pouco ambiciosas e com pouca vontade de arriscar.

90+3’ Kanunnikov cruzou pela esquerda para o segundo poste, onde Kerzhakov já em esforço não conseguiu acertar na baliza.

Sem mais ocorrências até final, confirmou-se o empate, que atrasa as duas equipas na corrida pelo título.
Na primeira parte assistiu-se a um jogo muito equilibrado, com as duas equipas a equivalerem-se em oportunidades para marcar, em posse de bola, em domínio territorial e até em golos, já que Criscito deu vantagem ao Zenit mas depressa o empate chegou, por Dame N’Doye.
Pouco depois, a expulsão de Shishkin foi um “handicap” para o Lokomotiv, numa exibição muito rigorosa do árbitro, no entanto, até nisso, se confirmou o equilíbrio, já que Anyukov viu também o cartão vermelho, no início do segundo tempo.
Com ambas as formações reduzidas a dez, e apesar das substituições ambiciosas dos seus treinadores, os jogadores foram muito cautelosos, arriscaram pouco, não criaram situações de golo e a igualdade permaneceu até final.

Analisando os atletas em campo, começando pelos do Zenit…
Malafeev praticamente não fez uma única defesa;
Anyukov viu o segundo cartão amarelo de forma algo infantil; Bruno Alves deixou fugir Dame N’Doye no lance do 1-1; Lombaerts acabou o jogo em grandes dificuldades, depois de ter sangrado do nariz; e Criscito abriu as hostilidades, inaugurando o marcador com um remate de fora da área;
Zyryanov, face à ausência de Denisov, foi o médio mais recuado; Shirokov foi o homem do miolo que apareceu mais perto dos avançados; e Fayzulin, apesar de durante a partida ter actuado em três posições distintas (médio, lateral-direito e extremo), nunca deu nas vistas;
Bystrov esteve apagado; Hulk revelou alguma ansiedade, não conseguindo colocar em prática o seu melhor futebol, perdendo muito a bola; e Bukharov não conseguiu mostrar serviço;
Kerzhakov não conseguiu desbloquear o empate, mas também teve poucas oportunidades; Yanbayev ocupou o lado direito da defesa; e Kanunnikov entrou para extremo-esquerdo, criando alguns desequilíbrios.

Quanto aos jogadores do Lokomotiv…
Kresic, um gigante, esteve seguro;
Shishkin sentiu dificuldades em travar Hulk e foi expulso pouco depois dos 30’; Corluka e Durica formaram uma dupla de centrais sólida; e Eshchenko começou como lateral-esquerdo, mas passou para a direita quando a equipa ficou reduzida a dez;
Tigorev e Tarasov não são muito rotativos mas trabalharam que se fartaram a meio-campo; e Glushakov fez a ponte entre os médios e o ponta-de-lança, tendo feito a (grande) assistência para o 1-1;
Samedov, apesar de ser destro e actuar na direita, gosta de flectir; Grigoriev apareceu pouco; e Dame N’Doye fugiu à marcação de Bruno Alves e empatou a partida, numa das poucas oportunidades que dispôs;
Ziegler entrou para o lado esquerdo da defesa; Obinna, um médio de características ofensivas, agitou o jogo e causou alguma estranheza por não ter sido titular; e Maicon refrescou o ataque, mas não esteve em evidência.

Com este resultado, ficou assim disposta a classificação da Liga Russa:

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...