quarta-feira, 15 de maio de 2013

Liga Europa | Benfica 1-2 Chelsea

uefa.com
Esta noite, na Arena de Amesterdão, o Chelsea conquistou a Liga Europa ao bater o Benfica por 2-1 na final. Fernando Torres e Ivanovic marcaram para os blues e Cardozo (de grande penalidade) para os encarnados.
                                      

Eis a constituição das equipas:


Benfica


Para chegar até Amsterdão, o Benfica ficou em 3º lugar no seu grupo da Liga dos Campeões, atrás de Barcelona e Celtic, e à frente do Spartak Moscovo. Já na Liga Europa, eliminou Bayer Leverkusen, Bordéus, Newcastle e Fenerbahçe.
Este poderá ser o terceiro troféu europeu conquistado pelos encarnados, depois da Taça dos Campeões Europeus em 1960/61 e 1961/62.
Em 1982/83, as águias até atingiram a final da Taça UEFA (agora denominada Liga Europa), mas foram derrotados pelo Anderlecht.
Os comandados por Jorge Jesus perderam no último sábado a liderança da Liga ZON Sagres para o FC Porto, a uma jornada do fim, e já não dependem de si próprios para ser campeões.


Chelsea


Os londrinos também terminaram em 3º no seu grupo da Liga dos Campeões, atrás de Juventus e Shakhtar Donetsk, e à frente do Nordsjaelland. Na Liga Europa, afastaram Sparta Praga, Steaua, Rubin Kazan e Basileia.
Este poderá ser o quinto troféu europeu conquistado pelos blues, depois da Taça das Taças (1970/71 e 1997/98), Supertaça Europeia (1998) e Liga dos Campeões (2011/12).
A formação orientada por Rafa Benítez está em 3º lugar na Premier League, posição com que deve terminar o campeonato.
John Terry e Eden Hazard estão lesionados.


Cronómetro:

2’ Cardozo cabeceou por cima, a cruzamento de André Almeida.

Bom inicio de jogo do Benfica.

27’ Óscar obrigou Artur a defesa a dois tempos.

38’ Lampard atirou forte para defesa do guardião encarnado.

Intervalo.

59’ Cech fez um lançamento longo para o meio-campo contrário onde a bola foi ter com Fernando Torres, que se isolou, contornou Artur e inaugurou o marcador.


65’ Lima e Ola John renderam Rodrigo e Melgarejo.

67’ Azpilicueta levou a mão à bola na sua área e foi assinalada uma grande penalidade que Cardozo converteu em golo.


78’ Garay, lesionado, foi substituído por Jardel.

81’ Cech negou o golo a Cardozo.

88’ Lampard, de longe, acertou na trave.

90+3’ Na sequência de um canto cobrado por Juan Mata, Ivanovic saltou mais alto que Jardel e André Almeida.


Sem mais ocorrências até final, confirmou-se o triunfo do Chelsea.


Análise:

Os encarnados entraram bem no encontro, realizando uma exibição personalizada, impondo-se perante um adversário teoricamente mais forte.
O Chelsea, depois de um inicio expectante, e sem conseguir assumir o domínio do encontro, foi progredindo ao longo da primeira parte e conseguiu criar as melhores oportunidades.
No segundo tempo, o Benfica voltou a entrar bem, no entanto, foram os londrinos que se adiantaram no marcador, por intermédio de Fernando Torres, na sequência de um passe longo do guarda-redes Petr Cech.
Jorge Jesus arriscou e meteu toda a carne no assador, fazendo entrar Ola John e Lima, abdicando de Rodrigo e mesmo do lateral-esquerdo Melgarejo, passando Gaitán a atuar nessa posição. E o risco, compensou. Azpilicueta levou o braço à bola na área blue e foi assinalada uma grande penalidade que Cardozo converteu em golo.
Depois de vários minutos de algum equilíbrio, e quando já se pensava no prolongamento, Lampard avisou com um remate à trave, e já no final dos descontos, Ivanovic, de cabeça, introduziu a bola no fundo das redes da baliza de Artur e ofereceu a taça ao Chelsea.


Analisando os atletas em campo, começando pelos do Benfica
Artur efetuou várias intervenções de elevado grau de dificuldade;
André Almeida não teve hipóteses de discutir pelo ar o lance com Ivanovic, que deu o 1-2 aos londrinos; Luisão foi impotente perante Fernando Torres no lance do 0-1; Garay foi muito eficiente nas suas funções, inclusivamente compensando algumas falhas do seu lateral-esquerdo, no entanto, esteve limitado fisicamente durante grande parte do encontro; e Melgarejo revelou algumas fragilidades no que concerne ao posicionamento;
Matic foi essencial na recuperação de bola e na construção dos ataques benfiquista; Enzo Pérez fez um grande jogo, levando a equipa para a frente por diversas vezes; Salvio esteve furos abaixo do habitual; e Gaitán, nervoso, arriscou pouco o remate, e recuou para o lado esquerdo da defesa com a saída de Melgarejo;
Rodrigo apareceu pouco; e Cardozo foi dos mais perigosos da sua equipa, viu um golo ser-lhe invalidado por fora-de-jogo, e depois marcou mesmo, de grande penalidade;
Ola John entrou bem no jogo; Lima não se conseguiu impor na partida; e Jardel foi impotente na disputa de bola pelos ares com Ivanovic.


Quanto aos jogadores do Chelsea
Cech iniciou o lance do 0-1 com um lançamento longo;
Azpilicueta cometeu a grande penalidade ao levar o braço à bola; Cahill esteve irrepreensível; Ivanovic apontou o tento decisivo, no último minuto de descontos; e Ashley Cole efectuou uma exibição muito consistente;
David Luiz foi importante a construir e a destruir; Lampard, com grande classe, mostrou toda a sua qualidade de passe e de critério de decisão; e Juan Mata esteve bastante próximo do ponta-de-lança e participou no lance do primeiro tento do encontro;
Ramires esteve incansável; Óscar procurou essencialmente fletir da esquerda para o meio; e Fernando Torres inaugurou o marcador.

2 comentários:

  1. Boas! Devo dizer que gosto imenso deste blogue! Podem adicionar os meus aos vossos links? Eu prometo que retribuo :p http://ojeadordelfutbol.blogspot.com.es/ Saudosos cumprimentos!

    ResponderEliminar
  2. Oi, meu nome es Diego, sou argentino.
    Eu quero saber si voce quer fazer uma troca de links.
    Meu blog: EL 10 Y 10 MÁS
    Url: elgen10.blogspot.com.ar
    Mail: el10y10mas@live.com
    Obrigado, adeus.

    ResponderEliminar