domingo, 3 de março de 2013

Liga ZON Sagres | Sporting 0-0 FC Porto

zerozero.pt
Esta noite, no Estádio José Alvalade, em Lisboa, Sporting e  FC Porto empataram a zero, num jogo a contar para a 21ª jornada da Liga ZON Sagres.
                                      

Eis a constituição das equipas:


Sporting


Os leões entraram para esta jornada em 11º lugar, com 22 pontos, a sete da zona europeia mas também dos lugares de despromoção. O Sporting perdeu três dos últimos quatro jogos.
Jeffrén, Boulahrouz e Schaars estão lesionados.


FC Porto


O FC Porto ocupa a liderança da prova, em igualdade pontual com o Benfica, mas com vantagem no que diz respeito à diferença de golos. O conjunto orientado por Vítor Pereira está numa série de três triunfos seguidos fora de portas.
A última vitória dos dragões em Alvalade remonta a 2008.
O ponta-de-lança Jackson Martínez tem mais golos no campeonato (22) que o Sporting (20).
João Moutinho e Mangala estão lesionados.


Cronómetro:

3’ Jackson Martínez rematou para defesa incompleta de Rui Patrício.

8’ Danilo, de livre direto, atirou ao lado.

Ascendente do FC Porto no primeiro quarto de hora. O Sporting procurava muito o jogo direto.

16’ Jackson Martínez ganhou espaço na área contrária, e chutou para fora.

21’ Defour obrigou Rui Patrício a defesa apertada.

38’ Jackson Martínez apareceu em zona frontal, e rematou colocado, mas ao lado.

43’ Wolfswinkel apareceu isolado, mas Helton impediu-o de inaugurar o marcador.

FC Porto com muito maior percentagem de posse de bola: 66%.

Intervalo.

50’ Danilo, de livre direto, não conseguiu acertar na baliza.

56’ Izmaylov foi substituído por James Rodríguez.

60’ Bruma rendeu Labyad.

67’ Vítor Pereira trocou Varela por Christian Atsu.

73’ Remate de Bruma foi desviado em Fernando e quase traia Helton.

75’ Adrien cedeu o seu lugar a Carrillo.

78’ Rojo cometeu falta sobre Jackson Martínez, viu o segundo cartão amarelo e consequente vermelho.

80’ Capel foi substituído por Fokobo.

81’ Rui Patrício negou o golo a Christian Atsu.

81’ Liedson entrou para o lugar de Defour.

Apesar de estar a jogar com dez, o Sporting até estava a criar boas situações de perigo, algo que já acontecia praticamente desde os 70’.

Sem mais ocorrências até final, confirmou-se o nulo.

Análise:

O FC Porto entrou forte, criou boas ocasiões de golo e chegou mesmo a dar a entender que seria uma questão de tempo até conseguir marcar. A verdade é que o tempo foi passando, o golo dos dragões não aparecia, e a primeira parte até acabou com uma boa oportunidade para Wolfswinkel dar vantagem aos leões.
No segundo tempo, os azuis e brancos estiveram mais longe da baliza leonina, e a partir dos 65’/70’, até foi o Sporting que mais ameaçou chegar ao 1-0, mesmo quando ficou reduzido a dez, fruto da expulsão de Rojo.
Ficou então a imagem de um leão empenhado mas com poucos argumentos, e de um FC Porto com menor intensidade que em outras ocasiões.


Analisando os atletas em campo, começando pelos do Sporting
Rui Patrício apontou uma extraordinária exibição;
Miguel Lopes não atacou muito, mas defendeu bem; Tiago Ilori esteve muito concentrado e não deu espaço a Jackson Martínez; Rojo foi expulso por acumulação, num jogo em que até se estava a exibir a bom nível; e Joãozinho foi assertivo;
Rinaudo, mais do que agressivo na recuperação de bola, teve de estar concentrado e bem posicionado; Eric Dier mostrou pouco pendor para construir jogo, tendo em conta que atuou como centro-campista, mas mostrou entrega; e Adrien esteve demasiado recuado, não oferecendo apoio ao ponta-de-lança;
Capel esteve empenhado, mas sem conseguir grandes desequilibrios; Labyad, quando posicionado no lado esquerdo, procurou muito movimentos diagonais; e Wolfswinkel lutou de forma desigual com os defesas adversários, já que esteve muito desapoiado;
Bruma agitou o jogo; Carrillo acrescentou pouco; e Fokobo posicionou-se no eixo defensivo, compensando a expulsão de Rojo, e esteve em bom nível.


Quanto aos jogadores do FC Porto
Helton adornou em demasia quando jogou com os pés;
Danilo foi ofensivo e causou algum perigo na cobrança de livres diretos; Maicon e Otamendi estiveram praticamente sempre em superioridade numérica perante Wolfswinkel, já que o holandês teve pouco apoio; e Alex Sandro esteve a bom nível;
Fernando ajudou a equilibrar a equipa, aparecendo nos espaços vazios e a garantir a superioridade numérica; e Defour e Lucho pegaram no jogo em zonas demasiado recuadas, fruto do povoado meio-campo leonino;
Izmailov, sem grandes rasgos individuais, contribuiu para a elevada percentagem de posse de bola; Varela foi consistente, mas só isso não bastou; e Jackson Martínez foi um perigo à solta, que armava o remate assim que tinha oportunidade;
James Rodríguez e Christian Atsu acrescentaram alguma criatividade, mas a equipa perdeu consistência; e Liedson não resolveu no seu regresso a Alvalade, e até tocou poucas vezes na bola.


Com este resultado, fica assim disposta a classificação da Liga ZON Sagres:

zerozero.pt

Sem comentários:

Enviar um comentário