sábado, 10 de junho de 2017

Marítimo ganha ‘polvo’ para o meio-campo

Fábio Pacheco assinou por três temporadas pelos insulares
Ciente da necessidade de reforçar o meio-campo devido à saída de Fransérgio para o Sp. Braga e do aproximar de uma temporada longa e exigente que contempla participação na Liga Europa, o Marítimo contratou Fábio Pacheco, 29 anos, que estava em final de contrato com o Vitória de Setúbal.

É verdade que só o desempenho do jogador vai permitir uma avaliação mais palpável, mas esta é, em perspetiva, uma grande aquisição. Os insulares acabam de garantir um centrocampista de características defensivas, capaz de alinhar a central e a ‘8’, com experiência de I Liga e que estava livre após terminaram o vínculo de dois anos que o ligava aos sadinos.


Os maritimistas que não se deixem levar inicialmente pelo aspeto franzino de Fábio Pacheco. Dentro de campo, é uma formiguinha, um trabalhador-nato e um especialista no desarme, um autêntico polvo, ladrão de bolas mesmo em lances em que o corte parece improvável. A meio da temporada 2015/16, a primeira em que jogou regularmente no patamar maior do futebol português, um estudo do portal GoalPoint indicava que era o jogador com melhor média de passes intercetados a cada 90 minutos em toda a Europa, à frente de nomes como Krychowiak (Sevilha) e Kanté (Leicester).


Desengane-se, contudo, quem pensar que este médio natural de Paços de Ferreira só sabe destruir. Não. Também contribui a nível ofensivo. Quando tem outro centrocampista a seu lado – fê-lo com Dani e Mikel em Setúbal -, liberta-se e revela a sua boa chegada até ao último terço, funcionando como um transportador de bola. E fá-lo bem. Nos Barreiros, além de ir ser uma alternativa a Erdem Sen, pode muito bem ser compatível com o turco. E quando necessário, até porque Raúl Silva também rumou a Braga, pode igualmente fazer uma perninha no eixo defensivo.









Sem comentários:

Enviar um comentário