sábado, 29 de outubro de 2011

Liga ZON Sagres | Benfica 2-1 Olhanense



O Benfica venceu esta noite o Olhanense por 2-1, no Estádio da Luz, em mais um jogo da Liga ZON Sagres.


Eis a constituição das equipas:

Benfica



O Benfica já se sabia que não podia contar com Javi Garcia, e por isso Matic avançou para o onze. Quem vai jogar nas alas é Bruno César e Gaitán, Maxi Pereira recuperou da lesão e joga na lateral direita em vez de Ruben Amorim, e no ataque e Rodrigo vai fazer companhia a Cardozo. Witsel fica no banco.
Os encarnados jogam um pouco debaixo de pressão porque se não conseguirem ganhar, não se irão colar novamente ao FC Porto no 1º lugar e podem ver o grupo de perseguidores (Braga, Sporting e Marítimo) aproximar-se.


Olhanense



O Olhanense tem feito um bom campeonato. Para uma formação que luta pela manutenção, estava á entrada para esta jornada no 6º lugar, fruto de três vitórias, dois empates (um deles em Alvalade) e duas derrotas, e um saldo de 9-8 em golos.
O jogador em destaque nesta temporada é Wilson Eduardo, internacional sub-21 emprestado pelo Sporting, que é o melhor marcador da equipa.


O Benfica entrou praticamente a ganhar, com um golo logo aos 25 segundos! Numa jogada na direita, Gaitán com um grande passe isolou Rodrigo que não perdoou. Ainda nem eu me tinha sentado tranquilamente no meu sofá para ver o jogo!

Os encarnados continuaram com um ritmo intenso, e aos 13’, voltaram a marcar! Maxi Pereira subiu pelo flanco na direita, cruzou rasteiro para a área onde estava Cardozo, mas Mexer cortou a bola no sentido no sentido da baliza e quem agradeceu foi Rodrigo que perto da linha de golo cabeceou lá para dentro. Estava feito o 2-0, tudo muito fácil para os vice-campeões nacionais. Dois golos cozinhados no flanco direito.

Com o assunto resolvido rapidamente, o restante tempo de primeira parte foi para gerir a vantagem e o esforço pelo Benfica, chegando ao intervalo com cerca de 70% de posse de bola, e com a menor intensidade que foram dando á partida, o Olhanense teve mais tempo para sair em ataque organizado, ainda que sem criar perigo.

Esta primeira parte estava a ter o interessante pormenor de que deve ter sido o período de 45 minutos com menos faltas na presente temporada com menos faltas cometidas.


Ao intervalo, Jorge Jesus tirou o apagado Aimar e colocou Witsel, mas começou a segundo tempo a sofrer um golo, logo aos 46’, com Wilson Eduardo a responder ao segundo poste a um cruzamento de João Gonçalves na direita. Quando se pensava que o jogo estava resolvido, eis que a vantagem dos encarnados agora era mínima e a qualquer momento podiam ficar em igualdade.

O Olhanense, mesmo com menos argumentos que o seu opositor, foi procurando atacar e chegando ao empate, mas o Benfica não foi nessa e quis voltar a ter dois golos de vantagem, e aos 64’, Matic atirou de cabeça á trave após canto cobrado por Bruno César.

Cinco minutos depois, a formação lisboeta até marcou, mas o golo foi (mal) anulado. Após um canto, Luisão desviou a bola para Cardozo que atirou para a baliza, mas o árbitro invalidou o tento. Fora-de-jogo não existiu e resta saber se foi marcada alguma falta.

O jogo não teve muitas oportunidades de golo, o Benfica estava por cima mas o resultado era perigoso e tivemos de esperar pelos descontos para ver novas ocasiões.
Primeiro, a equipa de Olhão leva toda a gente para a área na marcação de um canto que se viria a revelar inconsequente e no contra-ataque Saviola isola-se mas atrapalha-se e não consegue marcar.


Com esta vitória, os encarnados colam-se ao FC Porto na liderança da Liga ZON Sagres com 23 pontos.


Analisando as equipas, creio que o Benfica cumpriu os mínimos. Marcou dois golos cedo, pensou que já tinha o assunto resolvido e quando o Olhanense fez o 1-2 é verdade que não tremeu muito, mas o resultado era perigoso e as coisas podiam ter corrido de forma diferente.
Artur não teve culpa nos golos e não teve grandes oportunidades de brilhar, a defesa sofreu o “golito” do costume, Maxi fez uma assistência e Emerson esteve ao seu nível, não muito exuberante, nem pela positiva, nem pela negativa.
Matic foi discreto, traz menos agressividade e poder a construir jogo que Javi Garcia tem, Aimar esteve apagado, Bruno César tirando os cantos não teve muito em jogo, Witsel também pouco se viu e Gaitán foi o que deu mais nas vistas no meio-campo. Nolito esteve mexido mas não mexeu no jogo.
Rodrigo marcou dois golos e tem de ser considerado o melhor em campo e a figura do jogo, e Cardozo bem tentou acrescentar mais um tento á sua conta pessoal mas sem resultados.

Quanto ao Olhanense, foi uma equipa que demorou a acordar e que sentiu imensas dificuldades defensivas nos primeiros 15 minutos. Os ataques não foram muitos, raros na primeira parte e alguns na segunda, mas deu para ver que Wilson Eduardo é um jogador á parte nesta formação, e o próprio Salvador Agra (que entrou ainda no primeiro tempo) é muito irrequieto. De resto, de positivo pouco há a dizer, talvez tenha que referir o facto dos dois golos do Benfica serem do lado de Ismaily, isso pode ser o indicador de algo…

2 comentários:

  1. Vamos fazer troca de link?
    britfoot.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Não havia necessidade.
    Perante um começo fantástico, com 2 golos cedo e uma exibição muito boa,em que sempre julguei ver culminada com uma goleada, parece que algo mordeu os jogadores, que baixaram imenso o ritmo de jogo e com um resultado curto, pode sempre acontecer um golo do adversário e recordo que valeu Luisão aos 92 minutos.
    Golo do Cardozo mal anulado poderia mudar o jogo e se calhar podiamos marcar ainda mais golos, porque o Olhanense certamente baixaria os braços com o 3 a 1.

    Quanto ao miúdo rodrigo, a confirmação de um jogador de eleição que aí vem.

    ResponderEliminar