domingo, 29 de novembro de 2020

Três jogadores do Vitória de Setúbal para as ligas profissionais terem em conta

Vitória de Setúbal está invicto no Campeonato de Portugal
Nem tudo são más notícias para os lados do Bonfim. Apesar da queda administrativa para o Campeonato de Portugal e da crise financeira que ameaça a sobrevivência da SAD e até do próprio clube como o conhecemos, o Vitória de Setúbal ainda está invicto na Série H e tem conseguido mostrar alguma das pérolas da sua formação.
 
Afinal, se excluirmos os trintões Mano, Nuno Pinto, José Semedo, Mendy e Zequinha, toda a equipa é bastante jovem e parte do plantel está pela primeira vez a disputar uma competição sénior.
 
Perante o que foi mostrado nos primeiros jogos da época, deixamos aqui três sugestões de nomes que poderão surgir nas ligas profissionais a breve prazo.
 
 

João Valido

Comecemos pela baliza. Quem acompanha minimamente o Vitória ao longo dos últimos anos sabia que era uma questão de tempo até o prodígio João Valido aparecer na equipa principal, o que não se esperava é que assumisse a titularidade neste contexto, no Campeonato de Portugal.
Atleta de eleição também na modalidade de pentatlo moderno (combinado de hipismo, esgrima, natação, tiro e corrida), trata-se de um guarda-redes de 20 anos com percurso nas seleções jovens portuguesas e que certamente estará na calha para ser convocado para os sub-21 em caso de azar para Diogo Costa, Luís Maximiano e João Virgínia.
Quem olha para João Valido vê um guarda-redes bastante competente e tecnicamente evoluído em todas as vertentes do jogo de um guardião: é dotado de reflexos apuradíssimos, voo de grande alcance, rapidez a sair da baliza, fiabilidade nas saídas aos cruzamentos e confiança e conforto a jogar com os pés.
 
 
 
Bruno Ventura

Bem, mais à frente, no meio-campo, tem dado nas vistas Bruno Ventura, que no 4x1x3x2 de Alexandre Santana tem atuado como segundo médio, à frente do experiente trinco José Semedo.
Logo na estreia pela equipa principal, na receção ao Esperança de Lagos ao Bonfim, marcou um golo fantástico que acaba por traduzir as suas principais características: qualidade de execução (no remate, mas também no passe), chegada à área, visão de jogo e alguma classe.
Embora esteja a fazer os primeiros jogos como futebol sénior, parece estar a adaptar-se muitíssimo bem ao contexto competitivo do Campeonato de Portugal. Aos 19 anos, tem ainda bastante margem de progressão.
 
 
 

Mathiola

Ligeiramente mais adiantado joga o brasileiro Rodrigo Mathiola, que ao contrário de Valido e Ventura já teve a possibilidade de jogar na I Liga. A viver a terceira temporada em Setúbal, no defeso do ano passado foi promovido à equipa principal por Sandro Mendes, deu nas vistas durante a pré-época, mas a aposta não teve continuidade durante os jogos oficiais, uma vez que não foi além de nove partidas.
No entanto, permaneceu no clube após a despromoção administrativa no Campeonato de Portugal e tem sido titular indiscutível. Capaz de fazer várias posições do meio-campo para a frente, tem atuado na ala esquerda ou mais recentemente como segundo avançado numa dupla de ataque móvel com Zequinha.
Seja em que posição for, tem a tendência natural para descair para o lado esquerdo para fletir em diagonais para a zona central com a bola colada ao pé direito, dando nas vistas pelas qualidades de drible, passe e remate. Talvez o principal desequilibrador da equipa, soma dois golos e uma assistência nos primeiros cinco jogos da temporada.
Aos 23 anos, vai bem a tempo de voltar (para ficar) às ligas profissionais.
 



















Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...