sexta-feira, 28 de agosto de 2015

WWE | SummerSlam 2015

Controvérsia marca Taker vs. Lesnar; Rollins junta título dos EUA ao da WWE



Data: 23 de agosto de 2015
Arena: Barclays Center
Localidade: Brooklyn, Nova Iorque



Randy Orton vs. Sheamus
O opener é, normalmente, escolhido a dedo, para que se trate de um combate que aqueça o público, e foi essa a intenção. Sheamus pegou no microfone para responder aos cânticos «You look stupid!» para tentar incendiar ainda mais os ânimos na plateia.
O domínio de Sheamus não foi muito prolongado, por isso também não houve um grande comeback de Randy Orton. O momento de mais parecido foi quando Orton mostrou estar a preparar o RKO.
O RKO acabou por surgir. Não aí, mas quando Sheamus se preparava para fazer um Slingshot. O irlandês acabou por conseguir cair para fora do ringue, para não sofrer o pin fall e, no regresso ao squared circle, foi mais feliz, ao escapar-se de novo RKO e aplicar dois Brogue Kicks para alcançar a vitória.
Vencedor: Sheamus
Nota: 6,5/10


WWE Tag Team Championship: Primetime Players (Titus O’Neill e Darren Young) (c) vs. The New Day (Kofi Kingston e Big E) vs. Los Matadores (Diego e Fernando) vs. The Lucha Dragons (Kalisto e Sin Cara)
Momento confuso logo de início quando Big E tentou fazer o pin fall no próprio colega de equipa Kofi Kingston. Nunca tinha visto algo assim, talvez até porque é ridículo.
Depois começou o show dos Lucha Dragons, com Sin Cara e Kalisto a mostrarem toda a sua agilidade e algum do seu arsenal aéreo. Los Matadores, do mesmo estilo, também tiveram a oportunidade de brilhar.
A dado momento do encontro, os The New Day assumiram o controlo das operações, com Xavier Woods a irritar o público do lado de fora do ringue.
De seguida, deu-se a recuperação dos Primetime Players, com uma grande demonstração de força de Titus O’Neill, a dominar os adversários a seu bel-prazer.
A parte final do combate foi recheada de spots. Xavier Woods plantou El Torito fora do ringue. Big E voou com estrondoso Spear em Darren Young. Por fim, Titus O’Neill derrubou os Lucha Dragons, que se preparavam para fazer um Superplex num dos elementos dos Los Matadores. Kofi Kingston, que tinha feito um blind tag em Titus, aproveitou as sobras e fez o pin fall vitorioso.
Vencedores: The New Day (Kofi Kingston e Big E) (novos campeões)
Nota: 7/10


Dolph Ziggler vs. Rusev
Desde cedo que Rusev utilizou o seu maior poderio físico para obter vantagem sobre Ziggler e ir dominando-o.
O Show Off começou a inverter a tendência do combate ao reverter um Bear Hug num DDT, levando o adversário ao tapete. Depois foi atingindo o búlgaro com vários pontapés e Clotheslines, provocando algum dano, mas viu o seu ímpeto ser interrompido com um Heel Kick.
A partir daí o duelo foi-se tornando cada vez mais dividido, com fases em que cada um esteve perto de alcançar a vitória. Ziggler aplicou o Sleeper Hold e o Fame Asser, mas sem sucesso no pin fall. Rusev ainda prendeu Ziggler no Accolade, mas desprendeu o adversário depois de Lana e Summer Rae se terem envolvido fora do ringue.
A ação continuou fora do ringue, com Ziggler a atingir Rusev com um Superkick, mas ambos acabaram por ser desqualificados devido a Double Count-Out. Os dois continuaram a lutar para lá do toque da campainha, com as duas senhoras ao barulho, mas lá se separaram para darem sequência à feud nas próximas semanas.
Vencedor: - (Double Count-Out)
Nota: 6/10


Stephen Amell e Neville vs. Stardust e King Barrett
Um dos combates que menos apetite tinha para ver assim que soube do card do SummerSlam. Centrou-se muito na figura de Stephen Amell, que não é de wrestler. E eu, como purista, não gosto quando isso acontece.
Contudo, apesar da preocupação de Stardust e Barrett para não magoar Amell, este até se mostrou a bom nível quando teve de intervir. Acabou por ser uma contenda entretida. Ou pelo menos, superou as expetativas.
Vencedores: Stephen Amell e Neville
Nota: 5/10


Intercontinental Championship: Ryback (c) vs. Big Show vs. The Miz
Combate começou com Big Show e Ryback no ringue a tentarem fazer danos um no outro, mas com The Miz, oportunista, do lado de fora a tentar aproveitar as sobras. E Miz esteve quase a conseguir a vitória, depois de Big Show se ter atirado da corda superior para cima de Ryback e demorar algum tempo a levantar-se.
Os três mostraram que não estavam ali para perder muito tempo: Ryback aplicou um Big Splash em Miz e logo de seguida sofreu um Chokeslam de Big Show, ainda bastante cedo.
Pouco depois, Ryback aplicou um Shell Shocked em Big Show, mas no espaço de segundos, sofreu um Skull Crushing Finale.
De rajada, Big Show atingiu primeiro Ryback com um KO Punch e depois aplicou a mesma dose a Miz. No entanto, o gigante foi enviado para fora do ringue pelo campeão e este capitalizou ao fazer o assentamento em Miz.
Curto e frenético, são os dois principais adjetivos para descrever a contenda.
Vencedor: Ryback
Nota: 7,5/10


Bray Wyatt e Luke Harper vs. Roman Reigns e Dean Ambrose
Um pequeno cheirinho de Wyatt Family vs. The Shield, uma feud que animou a WWE no início do ano passado. Aqueles voos de Dean Ambrose deu para matar um pouco as saudades dessa rivalidade onde ringue e zona envolvente se tornavam autênticos campos de batalha.
Tal como o Triple Threat match pelo título intercontinental, este combate também foi marcado por um ritmo frenético, sobretudo nos primeiros minutos.
Depois de terem posto Reigns literalmente fora de combate durante algum tempo, Wyatt e Harper concentraram toda a sua ofensiva num Ambrose desamparado, sem poder fazer o tag para recuperar fôlego.
Os ex-Shield pareciam ter ganhou alento com a reentrada de Reigns, mas depressa este foi ao tapete, sofrendo até um Powerbomb de Luke Harper.
Contudo, na fase decisiva do encontro, conseguiu a vitória, com um Dirty Deeds seguido de um Spear para terminar em beleza.
Vencedores: Roman Reigns e Dean Ambrose
Nota: 7/10


WWE World Heavyweight Championship e United States Championship: Seth Rollins (c) vs. John Cena (c)
Público muito ativo no combate, maioritariamente apoiando Rollins e vaiando Cena. Quando os fãs estão entusiasmados, é mais fácil trabalhar-lhes as emoções. No fundo, é esse o objetivo de qualquer combate de wrestling, sobretudo quando tem esta importância.
Rollins não desperdiçou a oportunidade e foi interagindo com os fãs. O próprio decorrer do duelo também esteve muito bom, pois quando pensávamos ver os tais signatures moves chatos de Cena, Rollins revertia e gerava mais entusiasmo.
Foi esquecida em parte a história do herói contra o vilão, com o campeão da WWE a não dar grandes motivos à plateia para o odiar, bem pelo contrário. Estava a jogar limpo e ainda quebrou um pin fall após ter sofrido um AA.
Rollins ter pegado em Cena, tê-lo elevado para cima dos ombros e ter aplicado o AA foi lindo de se ver e acabou por traduzir um pouco o espírito da contenda.
Depois foi a vez de Cena surpreender ao aplicar o Figure Four Leg Lock, golpe característico de Ric Flair, o recordista de títulos mundiais (16) que ontem podia ter sido igualado pelo próprio Cena.
Combate com um ritmo elevadíssimo, momentos absolutamente surpreendentes e deliciosos, um ambiente daqueles que atualmente só existem nos combates de Cena e um desfecho incerto. A interferência de Jon Stewart foi o único senão, mas imagino que tenha dado mediatismo ao SummerSlam e à WWE em geral. Foi magnífico, candidato a combate do ano.
Vencedor: Seth Rollins (novo campeão dos Estados Unidos e ainda campeão mundial de pesos-pesados da WWE)
Nota: 9,5/10


Team Bella (Brie Bella, Nikki Bella e Alicia Fox) vs. Team B.A.D. (Naomi, Sasha Banks e Tamina) vs. PCB (Paige, Charlotte e Becky Lynch) (Three-Team Elimination match)
A contenda começou com um grande domínio da Team B.A.D., mas depressa todas as equipas tiveram a oportunidade de brilhar. Exemplo disso foi o conjunto de spots onde se viu Naomi, Sasha, Brie, Nikki e Paige voarem do ringue lá para fora, para cima das opositoras.
Pouco tempo depois, a Team B.A.D foi eliminada. Cortesia da Team Bella, com pin fall de Nikki em Tamina.
A Team PCB esteve perto de conhecer o mesmo destino, quando Paige quase foi desqualificada por Count-Out após sofrer um Alabama Slam de Nikki fora do squared circle. A antiga campeã das divas acabou por voltar ao ringue, mas foi dominada pelas Bellas e Alicia Fox durante um largo período de tempo.
Depois de muito ter sido castigada, Paige lá conseguiu o hot tag em Charlotte, que voltou a dar esperança à sua equipa. Depois entrou Becky Lynch, que conseguiu a vitória via Pumphandle Slam.
Não foi um mau combate (para o que estamos habituados na WWE), mas ainda não conseguiu traduzir a tão aclamada revolução.
Vencedoras: PCB (Paige, Charlotte e Becky Lynch)
Nota: 4,5/10


Kevin Owens vs. Cesaro
Kevin Owens precisava de uma vitória convincente, pois encontrava-se fragilizado depois de duas derrotas com John Cena e alguns desaires no NXT. Isto, claro, após uma entrada a todo o gás no roster principal.
Sem surpresa, Owens foi dominando o combate, utilizando para tal a sua agressividade característica e aquele tipo de golpes improváveis para a sua estrutura física, que também tanto o caracterizam.
Cesaro, quando possível, também foi ripostando, usando a sua força para levantar e levar ao tapete um adversário aparentemente bem mais pesado. Curioso que o lutador mais poderoso fisicamente fazia uso da agilidade e o menos poderoso utilizava a força.
Para finalizar um duelo bastante animado (mas na ingrata posição de popcorn match), Owens venceu após Pop-up Powerbomb.
Vencedor: Kevin Owens
Nota: 7/10


Brock Lesnar vs. The Undertaker
Brock Lesnar não perdeu tempo e iniciou o ataque a Undertaker durante a entrada em ringue deste último. Contudo, o Deadman conseguiu ripostar rapidamente e enviou a Beast para fora do ringue. Muito equilíbrio nos primeiros minutos.
Tinha alguma curiosidade em perceber se Undertaker estava capaz de fazer muitos bumps. Afinal, é um veterano, apesar de bem sabemos como Lesnar gosta de levar os adversários a várias visitas à Suplex City. Mas Taker não se poupou nesse aspeto.
Já depois do Phenom ter sofrido cinco Suplexes no ringue, foi atirado para cima da mesa de comentadores via F-5, chegando até a estar perto de uma desqualificação por Count-Out.
De volta ao squared circle e mesmo atordoado, Undertaker conseguiu aplicar o Chokeslam e posteriormente o Tombstone Piledriver, mas sem ser bem-sucedido no pin fall. O mesmo aconteceu quando executou o Last Ride.
Praticamente na resposta, Lesnar um segundo e um terceiro F-5, mas em ambas as situações viu o Deadman levantar as omoplatas durante o assentamento.
O que se seguiu foi uma tentativa das duas partes para obter o triunfo por submissão. Quando Lesnar tinha Undertaker preso no Kimura, a campainha soou sem que o árbitro o ordenasse e pensou-se que o combate teria terminado. Mas a contenda continuou e o árbitro deu a vitória a Undertaker após Lesnar ter desmaiado ao sofrer um Hell’s Gate. As imagens televisivas, contudo, confirmaram que o Deadman desistiu sem que o árbitro tivesse visto.
Vencedor: The Undertaker
Nota: 7/10





1 comentário: