domingo, 16 de agosto de 2015

As dores de cabeça de Jorge Jesus

Jesus tem repetido o onze, mas não será sempre assim
Embora tenha utilizado o mesmo onze nos dois primeiros jogos oficiais esta temporada – diante de Benfica, na Supertaça, e do Tondela, na Liga -, não vai ser fácil para Jorge Jesus eleger os titulares lá mais para a frente.

A dor de cabeça, aparentemente, é saudável. Desta feita, o Sporting tem muitas opções. Atendendo a que só tem utilizado o 4x4x2 - para alguns o 4x1x3x2, que isto das táticas é muito híbrido… -, o setor onde terá mais por escolher será o meio-campo. E quando falo em meio-campo, falo apenas nas posições 6 e 8, que têm sido ocupadas por Adrien e João Mário.


Além dos dois, há William Carvalho e Aquilani e, num segundo plano, Bruno Paulista e André Martins. Sejam quem forem os escolhidos, a qualidade está garantida. «Que escolha aqueles que, em cada momento, estiverem em melhor forma!», pensão os adeptos leoninos. Visto assim, é saudável. O que não será assim tão saudável é se houver ruído na mente de Jesus.

Afinal, é preciso não esquecer que o Sporting neste momento pede €45 milhões da cláusula de rescisão por William Carvalho e mais de €15 M por Adrien. De João Mário ainda não há notícias de assédio e Aquilani acabou de chegar. Pois bem: e se William e/ou Adrien forem para o banco? Correm um sério perigo de desvalorização e muito dinheiro se irá perder. Pesará isto quando Jesus tomar decisões? Conseguirá encontrar um meio-termo? O que pensará disto a direção liderada por Bruno de Carvalho? A julgar pelas duas partidas já disputadas, as exibições do irmão de Wilson Eduardo têm dado vontade de tudo menos de o querer ver no banco.

Bem menos ruidosa é a luta no centro da defesa. Paulo Oliveira parece estar de pedra e cal. Naldo não tem dado motivos para críticas, bem pelo contrário, e até já teve um teste de fogo, contra o Benfica. Mas Ewerton, que neste momento está lesionado, não fica atrás de qualquer um deles. Foi um dos pilares da equipa no último terço da época passada, mostrando segurança, fiabilidade, rigor posicional e poderio no jogo aéreo. Outra dor de cabeça para o técnico de 61 anos.

Mas se o eixo defensivo e o miolo são posições sensíveis, por se tratarem da espinha dorsal da equipa e é aconselhável não mexer muito aí, o mesmo não se pode dizer do ataque. Do Benfica, Jesus promoveu alguma rotatividade ao longo dos anos com duplas como Cardozo/Saviola, Cardozo/Aimar (em 4x2x3x1), Cardozo/Rodrigo, Cardozo/Lima e Lima/Rodrigo, apostando apenas mais vincadamente em Lima/Jonas em 2014/15 por falta de alternativas viáveis.

Montero marcou quatro golos na pré-época
No Sporting, deverá acontecer o mesmo. Para já, Slimani/Teo Gutiérrez é o par escolhido. O ex-River Plate chega com o estatuto de titular na seleção colombiana, onde relega para segundo (e terceiro) plano nomes como Bacca, Jackson Martínez e até o próprio Fredy Montero. Contudo, de leão ao peito ainda não me encheu as medidas e até sinto alguma dificuldade em perceber porque el avioncito, que mostrou boa forma durante a pré-temporada e tem mais rotinas com Slimani, não tem sido primeira opção. Embora o argelino esteja a impressionar pela forma como se tem desembaraçado em situações de 1 vs. 1, creio até que as suas fragilidades técnicas até têm estado mais exposta com Teo do que estariam com Montero.


Critério de cedências


Não é o tema do artigo, mas permitam-me um (grande) parêntese para falar dos empréstimos do Sporting para 2015/16. Há que elogiar a cedência de João Palhinha ao Moreirense, a de Rúben Semedo ao Vitória de Setúbal e a provável de Iuri Medeiros a um clube da Liga, restando saber apenas qual - leões querem Moreirense, mas o extremo pretende voltar ao Arouca. São apostas de futuro e necessitam de ganhar essa maturidade competitiva no principal escalão do nosso futebol.

Penso que também é altamente elogiável o empréstimo de Wallyson ao Nice. Vai atuar numa das principais cinco ligas europeias e talvez até precise de sair um pouco da zona de conforto para amadurecer e ganhar o pouco que lhe falta para vingar de verde e branco.

Aplaudo também as colocações de Heldon no Rio Ave e de Kikas, Luís Ribeiro e Mica Pinto no Huelva (II divisão B espanhola). Vão trabalhar com treinadores que já conhecer – Pedro Martins e José Domínguez – mas, por ser praticamente garantido que não vão ter grande oportunidade no plantel principal no futuro, o mais importante foi mesmo terem desocupado algum espaço em Alcochete. Ah, e ainda há Miguel Lopes, que foi para Granada essencialmente porque o seu salário não batia certo com o rendimento desportivo.

Por fim, Slavchev nos cipriotas do Apollon. Aqui tenho reticências. Talvez este seja um caso de um jogador jovem (21 anos), oriundo de um país distante (Bulgária), que precisa de ser acompanhado de perto, acarinhado e ajudado a adaptar-se à língua e ao futebol português. O tempo dirá se estarei certo ou errado.

À estrutura do Sporting, aconselha-se não repetir o que se passou com Betinho na época transata. Foi emprestado ao Brentford (segundo escalão inglês), praticamente não jogou e nem em janeiro o regresso do jogador foi ordenado. Se não atuam nos clubes que os recebem, os futebolistas devem voltar, ou para serem novamente cedidos, ou pelo menos para ficarem na equipa B.





4 comentários:

  1. Bom artigo , parabéns.

    É positivo para um treinador ter estas dores de cabeça , significa que temos um plantel competitivo e que ninguém pode dormir , e quem ganha com isso é o Sporting.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa é a parte boa. Mas há o perigo de desvalorização e de amuo de alguns jogadores. É necessário recordar que no final da época há Europeu, os quatro médios são convocáveis, e Adrien agora é capitão.

      E vai Jorge Jesus escolher sempre os melhores ou vai-lhe pesar na consciência o esforço que o clube fez em manter Adrien e William?

      O meio-campo é um setor muito sensível, integra a espinha dorsal da equipa e não é aconselhável grande rotatividade. Mesmo com a época longa, uns vão ser titulares em pelo menos em 75 por cento dos jogos. É diferente de outras posições, como a de extremo ou avançado.

      Eliminar
  2. No Sporting, não tínhamos dores de cabeças, das boas, há muito tempo. Também acredito que Montero pode dar mais que Teo por agora. O nº 19 pode fazer diferença a saltar do banco. Contra o CSKA Moscovo, deve começar Mané, Carrillo e Ruiz.
    Gostei do post. Como pedido, vou adicionar o o blog na lista do eulevezinho@blogspot.pt

    Aprovada a troca de link

    ResponderEliminar
  3. Sim, lá está. A posição de extremo e sobretudo a de segundo avançado serão aquelas que podem sofrer mais rotatividade. As outras são mais sensíveis. Possíveis alterações podem mexer na estrutura de uma equipa que ainda está em construção.

    Vou adicionar aos meus links! Obrigado e volta sempre!

    ResponderEliminar