quarta-feira, 8 de abril de 2015

Bernardo contra o tédio

Sejamos sinceros: os jogos do Mónaco são um tédio. Muitos passes para trás e para o lado, muito jogo emperrado a meio-campo e escassas ocasiões de golo para ambas as equipas.

Leonardo Jardim é um treinador que privilegia a consistência, mas no SC Braga e no Sporting havia aqui e ali alguma nota artística. No Principado, por falta de jogadores criativos, escasseiam os rasgos individuais e boas combinações coletivas. É mesmo enfadonho!


Ferreira-Carrasco é o rei das assistências, tem feito uma grande temporada, mas está longe de ser um génio. Dirar, Martial e Germain, que muitas vezes alinham nas alas, não são fantasistas nem desequilibradores-nato. Berbatov e Lacina Traoré muito menos. São referências de ataque. Ainda que o búlgaro baixe para participar na construção dos ataques, é mais um finalizador.

Depois, no meio-campo, há Kondogbia e João Moutinho. Ambos jogam a um ritmo alto, sobretudo o português que, quando está ao melhor nível, a equipa ressente-se positivamente. Quando a sua exibição é menos conseguida, aí é que os homens de Jardim emperram mesmo no processo ofensivo.

Felizmente, para quem gosta de acompanhar os homens de Jardim mas não tem paciência para espetáculo tão entediante, começa a crescer Bernardo Silva. Primeiro, não saía do banco. Depois, começava a aparecer timidamente nas segundas partes. Com o tempo, conquistou a titularidade. Agora, a batuta é dele. É ele o fantasista, o génio da formação do Principado. Joga e faz jogar.

Quando aparece – os génios têm a particularidade de aparecer e desaparecer durante as partidas – oferece à equipa toda a sua criatividade e qualidade técnica. Quando tem pouco espaço, utiliza o drible ou acelera e, de repente, está em boa posição para um último passe ou até para rematar à baliza. Quando aparentemente não tem linhas de passe, consegue encontrar um colega para receber a bola, mostrando grande visão de jogo.

Se será mesmo um Messizinho? Creio que tem características diferentes e duvido que chegue ao nível do argentino. Mas a cada mês que passa vai evoluindo, mostrando coisas novas e começando a justificar ao mais alto nível os predicados que tantos lhe apontavam.









1 comentário:

  1. Essa do Messi é mesmo engraçada! Heheheh! Boa piada, David.

    ResponderEliminar