quarta-feira, 17 de julho de 2013

Pré-Época | Singha All-Star XI 0-1 Chelsea

chelseafc.com
Esta tarde, no Rajamangala National Stadium, em Banguecoque, o Chelsea venceu o Singha All-Star XI por 1-0, num encontro de pré-época. Lukaku (de grande penalidade) apontou o único golo.
                                      

Eis a constituição das equipas:


Singha All-Star XI


O Singha All-Star XI é uma seleção da Liga Tailandesa.
Piyapong Pue-On será o treinador, e segundo o site do Chelsea, as principais estrelas são Phichitphong Choeichiu (médio), Rangsan Viwatchaichok (médio-defensivo), Nataporn Phanrit (defesa-central/lateral-esquerdo), Cleiton Silva (ponta-de-lança), Chanathip Songkrasin (médio) e Thitipan Puangchan (defesa/médio).


Chelsea


Os londrinos, detentores da Liga Europa, são agora orientados por José Mourinho.
Mark Schwarzer (ex-Fulham), André Schürrle (ex-Bayer Leverkusen) e Van Ginkel (ex-Vitesse) são os principais reforços.
O português Hilário, assim como David Luiz e Ramires (ambos ex-Benfica) integram o plantel.


Cronómetro:

18’ Bola na trave, Subara quase marcava na própria baliza.

19’ Ramires cabeceou ao lado.

Singha All-Stars XI com todos os jogadores atrás da linha da bola.

23’ De Bruyne atirou forte, mas para fora.

25’ Desconto de tempo para hidratação.

32’ Klankin negou o golo a Lukaku.

33’ Kaimbi derrubou Wallace na área do Singha All-Stars XI, e foi assinalada uma grande penalidade que Lukaku transformou em golo.


39’ Lukaku rematou para defesa de Klankin.

Ao intervalo, José Mourinho alterou praticamente toda a equipa, só ficou De Bruyne e Ramires. Entraram Blackman, Ivanovic, Cahill, Chalobah, Bertrand, Van Ginkel, Moses, Hazard e Demba Ba.


Singha All-Stars fez algumas substituições, entrando Panpipat, Hussain, Gasmi, Seleb, Songkrasin e Kesaret.

51’ O guardião tailandês negou o golo a Moses.

54’ Livre de De Bruyne cobrado de forma atrasada, para remate à entrada da área de Demba Ba, para fora.

56’ Hazard, de livre direto, obrigou Panpipat a aplicar-se.

59’ De Bruyne serviu Hazard, que voltou a obrigar Panpipat a uma boa intervenção.

79’ De Bruyne, de livre direto, testou as qualidades de Panpipat.

80’ De Bruyne foi substituído.

Sem mais ocorrências até final, confirmou-se o triunfo do Chelsea.


Análise:

Jogo de sentido único em Banguecoque, com o Chelsea, no seu primeiro encontro de pré-época, a enfrentar uma equipa de estrelas da Liga Tailandesa, que ainda assim, tinha uma muito fraca qualidade.
Mesmo sem um ritmo intenso, os londrinos nunca passaram por dificuldades, criaram algumas ocasiões de golo, mas só conseguiu marcar de grande penalidade, por intermédio de Lukaku.
No segundo tempo, os blues praticamente colocaram outra equipa a jogar, mas a toada não se alterou.
O sistema foi sempre o 4x2x3x1 e foram utilizados alguns jogadores da formação e outros que serão potencialmente emprestados.


Analisando os atletas em campo, começando pelos do Singha All-Star XI
Klankin fez várias intervenções de qualidade;
Puttan e Wiria-Udomsiri aventuraram-se pouco em subir pelos seus corredores; Kasonga ajudou a fechar a zona central; Punrit funcionou praticamente como um líbero, tendo como principal missão aliviar segundas bolas que eventualmente não tenham sido conquistadas pelos outros centrais; e Subara esteve perto de marcar na própria baliza, tendo acertado na trave; Puanakunmee e Viwatchaichok pressionaram mas tiveram pouca bola nos pés; e Shimoji e Kaimbi (cometeu a grande penalidade) trocaram de flanco entre si e foram obrigados a trabalho defensivo;
Cleiton Silva, com um futebol algo rendilhado, exibiu qualidade acima da média da sua equipa;
Panpipat mostrou reflexos apurados;
Hussain foi sempre muito impetuoso; e Gasmi, Seleb, Songkrasin e Kesarat pouco acrescentaram.


Quanto aos jogadores do Chelsea
Cech falhou na saída a um cruzamento, mas no mesmo lance impediu posteriormente um chapéu, numa das poucas intervenções que foi obrigado a fazer;
Wallace tem pendor ofensivo e conquistou a grande penalidade; Kalas e Terry tiveram 45 minutos descansados; e Ashley Cole geriu bem o esforço no que toca a subir no terreno;
Essien foi o médio mais posicional e primeiro homem a assumir a construção de jogo; Ramires deu segurança e trabalhou muito; e Lucas Piazón apareceu pouco;
De Bruyne é bom executante de bolas paradas e não se fixou no corredor direito, e apareceu no apoio em zona central e até no lado esquerdo; Schürrle teve por muitas vezes a bola nos pés; e Lukaku jogou fixo na frente de ataque, sem grande envolvimento no jogo coletivo, mas inaugurou o marcador na conversão de um penalty;
Blackman foi um mero espetador;
Ivanovic subiu com segurança, a um nível consistente; Cahill esteve muito faltoso; Chalobah teve pouco trabalho; e Bertrand foi muito eficiente;
Van Ginkel procurou ser assertivo; e Hazard esteve em evidência, jogou e fez jogar;
Moses criou alguns desequilibrios pela direita; e Demba Ba não se conseguiu evidenciar.

1 comentário: