quarta-feira, 3 de Abril de 2013

Liga dos Campeões | Málaga 0-0 Borussia Dortmund

uefa.com
Esta noite, no Estádio La Rosaleda, Málaga e Borussia Dortmund empataram a zero, num jogo a contar para a primeira mão dos quartos-de-final da Liga dos Campeões.
                                      

Eis a constituição das equipas:


Málaga


O Málaga chega aos Quartos-de-final da Liga dos Campeões após ter afastado o Panathinaikos no Play-Off, ter terminado na liderança do Grupo C à frente de AC Milan, Zenit e Anderlecht e de ter eliminado o FC Porto nos Oitavos (2-1 no agregado).
No campeonato espanhol, ocupam o 5º lugar, na zona europeia.
Eliseu e Onyewu estão lesionados.


Borussia Dortmund


Os germânicos venceram o Grupo D, onde também estavam incluídos Real Madrid, Ajax e Manchester City. Nos Oitavos-de-final, afastaram o Shakhtar Donetsk (5-2 no agregado).
Na Bundesliga, estão em 2º, a vinte pontos do líder Bayern Munique.
Hummels está lesionado.


Cronómetro:

7’ Saviola tirou Gündogan do caminho e rematou à malha lateral.

14’ Willy Caballero negou o golo a Saviola.

18’ Gündogan recuperou a bola a meio-campo, progrediu no terreno e serviu Götze, mas Willy Caballero respondeu com uma boa intervenção.

25’ Reus apareceu para chutar em zona frontal, mas o guardião dos andaluzes defendeu a dois tempos.

29’ Na resposta a um cruzamento de Piszczek, Großkreutz atirou para fora.

31’ Weligton viu o cartão amarelo após falta sobre Lewandowski e estará assim fora do encontro da segunda mão.

Borussia Dortmund estava com um rendimento muito eficiente nas transições, chegando até perto da área contrária com velocidade e facilidade.

42’ Toulalan cabeceou na direção da baliza, mas Götze, também de cabeça, consegue o corte em cima da linha.

45’ Kehl chutou forte para intervenção de Caballero.

Intervalo.

Os germânicos revelavam-se mais controladores no segundo tempo.

65’ Götze apareceu com espaço na área adversária onde rematou para fora.

66’ Isco obrigou Weidenfeller a aplicar-se.

67’ Saviola foi substituído por Portillo.

69’ Jürgen Klopp trocou Reus por Schieber.

76’ Julio Baptista cedeu o seu lugar a Santa Cruz.

78’ Iturra viu um cartão amarelo que o retira do jogo de Dortmund.

79’ Sven Bender rendeu Kehl.

87’ Duda substituiu Isco.

90’ Antunes rematou por cima.

90+2’ Kirch entrou para o lugar de Götze.

Sem mais ocorrências até final, confirmou-se o empate.


Análise:

Mesmo sem golos, foi uma bela partida de futebol!
O coração dos jogadores e adeptos do Málaga enfrentou o forte jogo coletivo do Borussia, e o resultado foi uma igualdade, sem golos, mas com algum espetáculo.
A vontade dos andaluzes em atacar deixou a equipa algo desequilibrada em alguns períodos na primeira parte, no qual os germânicos aproveitaram os espaços na costa da defesa blankiazul para lançar transições rápidas. E foram mesmo assim, rápidas, eficientes, sem perdas de tempo para pensar e com um futebol várias vezes jogado ao primeiro toque, agradável de se ver. Faltou eficácia para conseguir golos. Embora se tratasse apenas de um ascendente no encontro e não de um domínio avassalador por parte do Borussia, o Málaga ía vivendo muito dos corações de Toulalan e Iturra a meio-campo, incansáveis na recuperação do esférico.
No segundo tempo, para não voltar a conceder espaço nas costas, a formação espanhola recuou no terreno. E essa jogada táctica teve como consequência menos oportunidades para finalizar, tanto para os visitantes, agora com menos espaço, como para os visitados, mais longe da baliza adversária.
Assim sendo, o nulo manteve-se até final.


Analisando os atletas em campo, começando pelos do Málaga
Willy Caballero apontou uma grande exibição, com várias defesas fantásticas;
Jesús Gámez foi um lateral consistente, não sentindo grandes dificuldades com Großkreutz pela frente; Demichelis foi uma autêntica parede; Weligton viu um cartão amarelo que o exclui do encontro da segunda mão; e Antunes fez uma atuação com poucos erros e tentou marcar através de remates a longa distância;
Toulalan (com responsabilidades na construção de jogo) e Iturra (falhará o encontro de Dortmund, por acumulação de amarelos) estiveram sempre bem posicionados a defender; e Julio Baptista apareceu pouco;
Joaquín nunca conseguiu ser influente; Isco exibiu o seu fantástico recorte técnico, mostrando maturidade quando opta pelo passe, segurar a bola ou avançar para o drible; e Saviola lutou imenso mas esteve desapoiado;
Portillo entrou para dar nova vida ao flanco direito, sem grande sucesso; Santa Cruz deu maior presença física ao eixo do ataque; e Duda deu mais consistência (mas menos criatividade) à ala esquerda, onde Isco já se encontrava esgotado.


Quanto aos jogadores do Borussia Dortmund
Weidenfeller cometeu alguns erros nas saídas aos cruzamentos;
Piszczek fez todo o corredor direito; Subotic fez um jogo tranquilo; Felipe Santana subiu de rendimento da primeira para a segunda parte, na qual esteve mais tranquilo; e Schmelzer atuou com uma máscara facial e fechou bem o seu flanco;
Kehl é um médio de pendor defensivo, menos participante na manobra ofensiva que o seu colega de duplo pivot, mas aguerrido na hora de defender; Gündogan esteve muito forte na construção de jogo e na recuperação de bola; e Götze, embora intermitente, algo descoordenado com Reus nos terrenos que devia pisar e perdulário na zona de finalização, quando apareceu foi um perigo à solta;
Reus apareceu com muita frequência na zona central, deixando a faixa direita praticamente entregue a Piszczek, mas não fez uma exibição conseguida; Großkreutz foi pouco influente; e Lewandowski para além de todas as boas características de um ponta-de-lança puro, conseguiu recorrer com frequência ao drible curto para resolver alguns problemas;
Schieber entrou para o lado direito do ataque, sem produzir grandes frutos; Sven Bender refrescou a posição de médio mais recuado, já que Kehl estava muito desgastado; e Kirch entrou apenas para queimar alguns segundos.

Sem comentários:

Enviar um comentário