sábado, 12 de janeiro de 2013

Liga BBVA | Osasuna 0-0 Real Madrid


Esta noite, no Estádio Reyno de Navarra, em Pamplona, Osasuna e Real Madrid empataram a zero, num jogo a contar para a 19ª jornada da Liga BBVA.


Eis a constituição das equipas:

Osasuna



O Osasuna é atualmente o lanterna vermelha da Liga BBVA, não vence há quatro jogos, vem de duas derrotas seguidas, e ainda tem o pior ataque da prova (14 golos sofridos), em igualdade com o Granada.


Real Madrid



Os “merengues” reaproximaram-se do Atlético Madrid na luta pelo 2º lugar na última jornada, depois de terem vencido a Real Sociedad (4-3) e de terem visto os “colchoneros” cederem um empate no terreno do Mallorca (1-1).
Adán, Sergio Ramos e Cristiano Ronaldo, castigados, e Pepe, lesionado, são os ausentes.


Cronómetro:

Inicio de jogo equilibrado, com ligeiro ascendente dos “merengues”.

36’ Di María cruzou para o interior da área, onde Callejón cabeceou à malha superior.

Partida disputada a um ritmo muito morno, com poucas oportunidades de golo.

43’ Álvaro Cejudo atirou forte, mas ao lado.

Intervalo.

A formação de Pamplona entrou mais forte no segundo tempo.

58’ Di María e Higuaín cederam os seus lugares a Kaká e Benzema.

67’ Oier cabeceou por cima, na resposta a um cruzamento pela direita.

68’ Özil rendeu Modric.

Surpreendentemente, os comandados por José Luís Mendilibar apresentavam uma percentagem mais elevada no que toca a posse de bola: 54%, contra os 46 do Osasuna.

76’ Kaká viu o segundo cartão amarelo, e foi expulso.

81’ Damiá, de muito longe, rematou forte mas para fora.

86’ Álvaro Cejudo foi substituído por Joseba Llorente.

Sem mais ocorrências até final, confirmou-se o nulo.


Análise:

O jogo começou morno e equilibrado, e assim se foi mantendo no seu decorrer, sempre com poucas ocasiões de golo e com raros lances que fizessem entusiasmar a plateia.
No segundo tempo, por várias vezes o Osasuna percebeu que os “merengues” estavam numa noite desinspirada e que poderia até conquistar o triunfo, e por isso arriscou mais, esteve perto da área adversária e em superioridade numérica durante os últimos 15 minutos, mas o resultado nunca saiu do nulo.


Analisando os atletas em campo, começando pelos do Osasuna
Andrés Fernández precipitou-se várias vezes a sair de entre os postes;
Marc Bertrán tem como algumas das suas características os lançamentos laterais longos e a agressividade (no sentido positivo) com que aborda os lances, não dando nenhum como perdido; Arribas e Rubén deram conta do recado; e Damiá foi o lateral-esquerdo embora seja destro;
Lolo e Oier, fortes na componente física, conseguiram anular em grande parte do tempo o meio-campo dos “merengues”; e Nino esteve discreto;
Álvaro Cejudo e Armenteros não deram nas vistas; e Kike Sola trabalhou muito e deu o exemplo como capitão;
Joseba Llorente refrescou o sector atacante.


Quanto aos jogadores do Real Madrid
Casillas não teve muito trabalho;
Arbeloa esteve bem no aspecto defensivo, mas raramente se soltou para apoiar o ataque; Varane e Albiol passaram por poucos sobressaltos; e Fábio Coentrão ofensivamente apareceu pouco;
Xabi Alonso foi uma ajuda importante para a linha mais recuada nas tarefas defensivas; Khedira foi obrigado a trabalho redobrado em ligar sectores a partir da expulsão de Kaká; e Modric esteve discreto e pouco próximo do ponta-de-lança;
Callejón até chegou a marcar, mas o golo foi-lhe invalidado por suposto fora-de-jogo; Di María, na ausência de Cristiano Ronaldo, foi dos mais inconformados e em quem eram depositadas mais esperanças, mas esteve desinspirado; e Higuaín esteve apagado;
Kaká entrou para agitar, mas não o conseguiu e ainda foi expulso por acumulação, estando em campo apenas 18 minutos; Benzema esteve empenhado, foi aparecendo em todo o lado, mas não alterou o rumo dos acontecimentos; e Özil acrescentou pouco.


Com este resultado, fica assim disposta a classificação da Liga BBVA:

Sem comentários:

Enviar um comentário