sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Entrevista a Brigada Camarra (Claque do Barreirense)


Fundação: 1999 (hiato de 2008 a 2011)

Líder: Pedro Jordão

Presidente: Fernando Silva

Diretor de Comunicação: André Videira

Departamento de Marketing: Ivo Dias

Número de membros: 20

Contactos:
Brigada_camarra2011@hotmail.com
913271115/911892647

Espaços online:



BRIGADA CAMARRA

David Pereira - O que é para vocês o Barreirense? O que tem este clube de tão especial para suscitar a vossa paixão?
Brigada Camarra - O Futebol Clube Barreirense é tudo para nós. É um clube histórico de Portugal, pertencente à cidade que nos viu nascer/crescer e por isso é um grande motivo de orgulho para nós podermos dizer que somos barreirenses.

DP - O que é preciso para fazer parte da Brigada Camarra?
BC - Ser sócio do Futebol Clube Barreirense e da Brigada, entregar duas Fotografias e um euro.


DP - Quais são as principais regras dentro da claque, e como se organizam para as deslocações aos recintos desportivos?
BC - Uma das principais regras da claque é estar os 90 minutos a cantar pelo nosso ideal que é o Futebol Clube Barreirense, onde vamos para qualquer jogo do FCB para apoiar a equipa e respeitando o adversário e os adeptos adversários. Quando nos organizamos para as deslocações, o local de partida é a porta do Continente e espalhamos publicidade pelo nosso facebook/blog e pelas ruas da cidade.

DP - Olhando para a vossa estrutura, vejo que têm um líder e um presidente. Qual a diferença de papéis entre ambos os cargos?
BC - Ambos estão sempre presentes nos jogos a apoiar o FCB. O líder, como o próprio nome indica tem a função de liderar o grupo durante os jogos, incentivando no apoio à equipa e controlando para que não haja desacatos com adeptos adversários. O presidente tem a função de tratar dos aspetos mais burocráticos no que à claque diz respeito, como inscrições de novos sócios, pagamentos de quotas.

DP - Qual a função do Diretor de Comunicação e do Departamento de Marketing?
BC - A função do Diretor de Comunicação é relatar por escrito tudo o que se passa domingo a domingo, e tudo o que passa dentro do Futebol Clube Barreirense.
Já a função do Departamento Marketing é tratar de logotipos para bandeiras, estandartes, faixas de Apoio ao F.C.B e também da publicidade que se encontra no facebook e nas ruas da Cidade.

DP - Porquê o posicionamento atrás da baliza?
BC - O posicionamento atrás da baliza não tem nada haver de fazer pressão aos guarda-redes adversários como na última temporada se tinha constado, pois o guarda-redes do 1º de Maio Sarilhense foi atingido com uma pedra vinda do lado de fora do Complexo Desportivo da Verderena que o atingiu na cabeça. Posicionamo-nos atrás da baliza porque gostamos de ver o jogo mais perto da baliza, afinal é nas balizas que se marcam golos e nós gostamos de estar mais perto para vibrarmos mais com o jogo. Numa parte apoiamos os nossos defesas e na outra apoiamos os nossos avançados. 

DP - A claque está legalizada?
BC - Não.

DP - Como se deu o desaparecimento da Brigada Relote e a fundação da Brigada Camarra?
BC - A Brigada Relote nunca desapareceu, o que aconteceu foi o evoluir da claque e do seu nome. Os antigos elementos da direção da Brigada Relote acharam que estava na altura de mudar o nome da claque, para que o nome da mesma tivesse maior ligação com o clube, e tivesse uma menor conotação com uma Relote (onde se fundou a claque, por se juntar em todos os jogos um grupo de amigos e adeptos do FCB). Assim substituiu-se o Relote por Camarra, visto que os barreirenses são apelidados de camarros.

DP - Que tipo de apoios o clube vos presta?
BC - Nenhuns. Sabemos as dificuldades que o clube atravessa, mas podia existir algum reconhecimento pelo nosso esforço e termos algum tipo de apoio. Somos nós que nos autofinanciámos.

DP - O que a subida de divisão significou para vocês no que diz respeito ao número de membros da claque?
BC - Foi uma Desilusão. Com a subida de divisão pensávamos que os adeptos se iriam unir mais e tentar apoiar o clube de uma forma mais assumida, mas não foi isso que se verificou, pensamos que muito por culpa de o FCB jogar em campos emprestados.
Pensamos que em breve irá haver surpresas no que ao número de membros diz respeito.


DP - Até à data, quais julgam ser os momentos mais marcantes desta ainda jovem claque? Tanto pela positiva, como pela negativa…
BC - Antes de realçar os momentos mais marcantes, quero retificar um pormenor, a claque não é assim tão jovem, foi fundada em 1999, esta nova direção é que é nova.
Os momentos mais marcantes foram sem dúvida a INVASÃO a Sines, Palmela e o jogo do título em CASA, que nos fez relembrar os velhos tempos do D. Manuel de Mello.
 Já momentos negativos mais marcantes são sem dúvida os momentos das repreensões por parte das forças da autoridade devido a uso de materiais durante os jogos, tais como megafones e engenhos pirotécnicos.

DP - Quais as principais diferenças que sentem no vosso apoio ao clube, do D. Manuel de Mello para a Verderena?
BC - Para a Verderena não, para o Complexo Desportivo do Vale da Amoreira sim, pois é onde estamos a jogar neste momento. E o que nos deixa ainda mais tristes é por vezes nem sabermos onde se irão realizar os jogos quando jogamos em casa. Já se ouve dizer que o derby com o Fabril vai ser realizado na Quinta do Conde, visto o adversário não ter aceitado jogar no sábado (o Complexo do Vale da Amoreira está ocupado no domingo).
Mas falando do D. Manuel de Mello, era um campo situado no centro da cidade onde o apoio à equipa era forte, o campo tinha dimensões reduzidas onde os adversários antes de iniciarem o jogo já saberiam das imensas dificuldades que iriam ter para conseguir vencer o FCB. Por tudo isso, era um estádio onde estava incutida a mística barreirense.  

DP - Também acompanham as camadas jovens e outras modalidades, ou só o futebol sénior?
BC - Acompanhamos só o futebol sénior.

DP - Li em entrevistas anteriores que vocês apreciam em particular as claques de Juventus e FC Porto. Porquê? Em quem vocês mais se inspiram em termos de postura e cânticos?
BC - Começando pela claque do FC Porto e uma claque de alto nome ao nível nacional e internacional estão os 90min a cantar e a união que têm no seio do grupo, é grande.
A nível internacional, gostamos bastante da claque da Juventus, os Bianconero, um grupo de respeito a nível internacional.

DP - Qual a vossa opinião sobre o uso de tochas, petardos e outros artefactos?
BC - Pirotecnia não é crime, e usado devidamente faz um espetáculo bonito nas bancadas, dando um colorido diferente a estas. Como se costuma dizer, é um espetáculo dentro do próprio espetáculo, o futebol.

DP - Muitas pessoas associam claques a vandalismo, maus comportamentos e ao uso de substâncias ilegais. Como se posicionam perante isso?
BC - Somos, não digo doentes, mas fanáticos pelo amor ao nosso clube, na Brigada não há violência nem vandalismo. Quem pensa que nas claques só existem vândalos ou criminosos estão enganados, e muito por culpa de possivelmente não sentirem/viverem o jogo da maneira diferente "O Amor para a vida Inteira". Este é o espirito ultra.


DP - Existe alguma razão em particular para não entoarem cânticos que a Brigada Relote habitualmente entoava? É mero acaso ou querem romper com o passado?
BC - Os tempos mudam e evolui-se, como em tudo, e nas claques passa-se o mesmo. Os cânticos com a antiga direção eram uns, e com esta nova direção são outros, os que achamos mais benéficos para o apoio à nossa equipa.

DP - Há uns anos, Nuno Parreira, o “Ultra Copos”, esteve em destaque no programa “A Liga dos Últimos”, da RTP N. Ele ainda pertence à claque? O que sabem sobre o seu paradeiro?
BC - Não pertence à claque. Sabemos que reside no Barreiro e está bem de saúde.


DP - Com que outras claques têm boas relações?
BC - Ultras Alcácer (Atlético Clube Alcacerense), Ultras Grupo 1910 (Vitoria de Setúbal) e South Side Boys (Farense).

DP - Qual a vossa postura em relação ao rival da cidade, o Grupo Desportivo Fabril?
BC - A nós só nos interessa o apoio à nossa equipa e defender as nossas cores, as do Futebol Clube Barreirense.



FUTEBOL CLUBE BARREIRENSE

DP - Que opinião têm sobre a direção do Futebol Clube Barreirense?
BC - Penso que a direção do F.C.B. está a fazer todos os esforços no sentido de melhorar as condições do clube, quer em termos de infraestruturas quer em termos financeiros.
É um trabalho difícil, que leva o seu tempo, e que temos de ser pacientes para que se consigam ver resultados, apesar de todos nós querermos ver o clube com o campo de jogos concluído para que a equipa possa la jogar, e assim os adeptos estarem mais perto da equipa para que possam apoia-la de modo a ajudá-la a conseguir a subida de divisão!  

DP - Como reagem ao cada vez mais extenso adiamento da conclusão das obras do Campo da Verderena?
BC - Reagimos com descontentamento enquanto adeptos do clube, uma vez que gostaríamos de ver o clube jogar em "casa" perante os seus associados, mas sabemos das dificuldades que o clube atravessa e por isso temos de ser pacientes.

DP - Quem julgam ser o jogador que melhor consegue transportar consigo a mística do clube?
BC - Existem vários, mas apontamos dois, por serem dos mais velhos da equipa, por serem dos que jogam há mais anos no clube, e por já terem ajudado o clube em divisões superiores, o que lhes dá outro tipo de experiências, destacamos o Bruno Costa e o Monzelo que este ano regressou a casa apos vários anos de ausência!

DP - Como têm visto a campanha da equipa de futebol sénior esta temporada? Dos adversários que viram jogar esta época, quem pensam ser o “osso mais duro de roer” na luta pela subida à II Divisão?
BC - Este é um campeonato muito equilibrado, mas destaco o Sacavenense e o Lourinhanense.

DP - Qual tem sido o papel da claque nas campanhas de angariação de fundos para o clube?
BC - Alguns membros têm participado. São muito boas estas campanhas para as instituições da cidade.


DP - Como viram o fim do Basquetebol profissional?
BC - Vimos o fim do basquetebol com algum desagrado, visto ser uma modalidade muito importante para o clube e para a cidade.
Mas perante o contexto basquetebolístico português penso que seria inevitável, se não fosse este ano seria num dos próximos.
Infelizmente penso que mais clubes seguirão o exemplo do FC Barreirense.

DP - Já há algum tempo que não sai das camadas jovens do Barreirense um futuro internacional “AA”. O que pensam que está por detrás deste hiato?
BC - Penso que cada vez é mais difícil um clube pequeno formar jogadores que cheguem à seleção.
Cada vez mais os clubes de maior dimensão conseguem apoderar-se dos valores emergentes do futebol português, ainda sendo estes muito novos.
 Mas apesar disso penso que o clube está a trabalhar relativamente bem nas camadas jovens e os resultados falam por si.
 Apesar de na formação os resultados não serem o fator principal para o crescimento dos atletas.

DP - Assim sendo, muito obrigado pelo tempo despendido. Boa sorte para a claque!
BC - Obrigado nós. Um abraço e que continue com este bom trabalho que têm estado a desenvolver.




1 comentário:

  1. Participa na primeira jornada da segunda edição do concurso "Quem é este jovem?".

    http://www.mundotalentoso.blogspot.pt/

    ResponderEliminar