sábado, 24 de novembro de 2012

Liga BBVA | Betis 1-0 Real Madrid


Esta noite, no Estádio Benito Villamarín, em Sevilha, o Betis derrotou o Real Madrid por 1-0, num jogo a contar para a 13ª jornada da Liga BBVA. Beñat marcou o único golo do encontro.


Eis a constituição das equipas:

Betis



Os “verdiblancos” não vencem o Real Madrid em casa desde a época 2007/08.
O Bétis ocupa o 7º lugar da Liga BBVA, mas atualmente está numa série de duas derrotas consecutivas.


Real Madrid



Os “merengues” estão moralizados, pois venceram os seus últimos jogos para o campeonato, e a meio da semana garantiram o apuramento para os Oitavos-de-final da Liga dos Campeões.
Cristiano Ronaldo, com 12 golos, é o segundo melhor marcador da prova.
Este será o 500º jogo de Iker Casillas na Liga BBVA, todos pelo Real Madrid.


Cronómetro:

7’ Cristiano Ronaldo testou os reflexos a Adrián.

17’ Beñat, de fora da área, atirou para o fundo das redes.


23’ Rubén Castro, já em esforço, obrigou Casillas a aplicar-se.

29’ Na sequência de um cruzamento de Ronaldo e um corte incompleto Alex Martínez, Di María acertou na malha lateral.

31’ Özil serviu Di María, que viu o seu remate ser desviado por um defesa e sair por cima.

Ao intervalo, Modric e Kaká renderam Khedira e Özil.

57’ Juan Carlos, de livre directo, levou o esférico a passar perto da baliza “merengue”.

61’ Adrián negou o golo a CR7, e Ángel López conseguiu o corte.

62’ Kaká proporcionou uma excelente intervenção ao guarda-redes andaluz.

63’ Callejón rendeu Di María.

Juan Carlos foi substituído por Jorge Molina.

O Betis defendia em 4x4x1x1, no entanto, apenas a linha mais recuada não pressionava o portador da bola, já que os médios e os avançados não se limitavam a tapar os caminhos para a baliza.

71’ Salva Sevilla, já no interior da área, não acertou no alvo.

75’ Ángel López cedeu o seu lugar a Nacho.

81’ Salva Sevilla foi substituído por Nosa.

82’ Ronaldo, de livre directo, permitiu a defesa de Adrián.

83’ O guardião dos sevilhanos voltou a evitar o empate, desta vez a um cabeceamento de Benzema.

Sem mais ocorrências até final, confirmou-se a vitória do Betis.

Análise:

O Betis desde cedo mostrou que estava em campo para discutir o jogo e vingar os últimos resultados, menos conseguidos, e pouco depois do quarto de hora colocou-se em vantagem, através de um remate de fora da área de Beñat, depois de um mau alivio de Di María.
A partir daí, assistiu-se a um jogo equilibrado, no qual os andaluzes nunca defenderam de forma exaustiva junto da sua área, mas pressionavam a partir da sua linha média, tentando recuperar a bola rapidamente e fazê-la chegar ao meio-campo adversário, e sobretudo na segunda parte, atacar sobretudo com transições rápidas, aguentando o “forcing” do Real, contando para isso com um inspirado Adrián, guarda-redes do conjunto orientado por Pepe Mel.

Analisando os atletas em campo, começando pelos do Bétis
Adrián fez várias defesas vistosas e importantes;
Ángel López sentiu algumas dificuldades para travar as iniciativas de Ronaldo; Amaya e Chechu Dorado contribuíram para manutenção da vantagem; e Álex Martínez realizou uma bela exibição, importante no apoio ao ataque e disponível a defender;
Cañas foi extremamente empreendedor; Beñat inaugurou o marcador com um belo remate de fora da área; e Salva Sevilla foi o principal apoio ao ponta-de-lança, e perdeu uma grande oportunidade de fazer o 2-0;
Salvador Agra e Juan Carlos, rápidos, lutaram muito pelos flancos; e Rubén Castro, por vezes desapoiado, foi obrigado a segurar a bola sozinho por diversas ocasiões;
Jorge Molina, Nacho e Nosa refrescaram os três sectores da equipa.

Quanto aos jogadores do Real Madrid
Casillas não teve culpa no golo sofrido, e até nem foi obrigado a intervir muitas vezes;
Arbeloa não conseguiu dar o poder ofensivo que os “merengues” precisassem que um lateral oferecesse, sobretudo quando se encontraram em desvantagem; Pepe foi agressivo e inteligente na forma como encarou os lances; Sergio Ramos não comprometeu, e tentou iniciar ataques; e Fábio Coentrão não se mostrou tão ofensivo como habitual, e acabou o jogo com a cabeça ligada, devido a um lance em que esteve envolvido com Salvador Agra;
Khedira pareceu desposicionado e pouco intenso na abordagem ao lance que deu o 1-0; Xabi Alonso, fortíssimo do ponto de vista táctico, esteve sempre no sítio certo e foi importante a compensar as subidas de Coentrão; e Özil apareceu pouco;
Di María cometeu um erro grosseiro que viria a dar no 1-0, ao aliviar a bola para a zona frontal à sua área; Cristiano Ronaldo esteve inspirado, nem tanto do ponto de vista dos rasgos individuais, mas no que concerne a passes e cruzamentos; e Benzema viu ser-lhe invalidado um golo limpo, por alegado fora-de-jogo;
Modric deu maior criatividade a partir de uma zona mais recuada no meio-campo; Kaká não teve um rendimento superior a Özil; e Callejón pouco acrescentou.


Com este resultado, fica assim disposta a classificação da Liga BBVA:

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. Só hoje vi seu pedido de parceria, prontamente aceito. Confira aí http://soucruzeirense.blogspot.com.br/p/nossos-parceiros.html

    Aguardo reciprocidade.

    Sds. Celestes

    ResponderEliminar