segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Premier League | Everton 2-2 Newcastle


Esta noite, em Goodison Park, em Liverpool, Everton e Newcastle empataram a dois golos, num jogo a contar para a 4ª jornada da Premier League. Baines e Anichebe marcaram para os “toffees”, e Demba Ba (2) para os “magpies”.



Eis a constituição das equipas:

Everton



Os “toffees” procuram imitar o feito da época passada, onde derrotaram em casa o Newcastle por 3-1.
Em 2011/12, os comandados por David Moyes terminaram na 7ª posição, e para já, nesta temporada, somam duas vitórias (1-0, Manchester United e 3-1, Aston Villa) e uma derrota (0-2, West Bromwich).
O Everton já venceu a Premier League por nove ocasiões, a última das quais em 1986/87.
O guineense Francisco Júnior, formado no Benfica, faz parte do plantel.
Bryan Oviedo, que ainda está a tratar de burocracias que dizem respeito à sua contratação, está ausente.


Newcastle United



Depois do sensacional 5º lugar da época transacta, os “magpies” já fizeram de tudo em 2012/13: venceram (2-1, Tottenham), empataram (1-1, Aston Villa) e perderam (0-2, Chelsea).
Na Liga Europa, depois de terem eliminado os gregos do Atromitos (2-1 no agregado), irão disputar o Grupo D, o mesmo que o Marítimo, Bordéus e Club Brugge.
O Newcastle foi campeão inglês por quatro vezes, mas já não levanta o troféu desde 1926/27.
Coloccini está lesionado.


O Everton estava melhor que o adversário nos primeiros minutos do jogo.
Os jogadores do Newcastle pareciam estar bastante desconcentrados.

15’ Baines subiu no terreno, e combinou com Pienaar que lhe devolveu de calcanhar para depois atirar para o fundo das redes.


20’ Mirallas recebeu um passe de Osman, flectiu da esquerda para o meio e rematou ao lado.

27’ Na sequência de um canto cobrado por Marveux pela direita, a bola sofreu vários toques de jogadores de ambas as equipas, e acabou por sobrar para Papiss Cissé que chutou para fora.

31’ No seguimento de um passe longo, típico futebol directo britânico, Jelavic serviu Jagielka que de fora da área acertou no poste.

A formação de Merseyside estava muito mais pressionante e agressiva que os comandados por Alan Pardew (que não estava no banco), e por isso, ía justificando a vantagem.

37’ Ben Arfa cruzou tenso para o coração da área, Anita desviou-a para a baliza, mas Baines impediu o golo sobre a linha.

43’ Perch foi lento a decidir após receber um passe de Anita, e Pienaar roubou-lhe a bola, encontrou espaço e rematou ao lado.

44’ Jelavic, lesionado, foi substituído por Anichebe.

Ao intervalo, Demba Ba rendeu Marveux.
Anita passou para lateral-direito, Perch para médio-centro e Jonás Gutiérrez para ala-direito.

49’ Osman perdeu o esférico no seu meio-campo para Cabaye, e o francês assistiu Demba Ba que igualou o jogo.
Foi o 1000º golo do Newcastle da Premier League.


Os “magpies” entraram mais fortes no segundo tempo e não precisaram de muito para chegar ao empate. Para além da substituição e da troca de posições entre os jogadores, agora apresentavam-se em 4x4x2 com a dupla de senegaleses no ataque.

62’ Perch fez um passe picado para Papiss Cissé que já no interior da área, e num remate à meia-volta, acertou na malha superior.

Assistia-se nesta fase a um período bonito da partida, com as duas equipas a mostrarem vontade de chegar à vitória.

75’ Pienaar encontrou Osman à entrada da área, mas este atirou ao lado.

78’ Num lance confuso, Jagielka assistiu Anichebe que cabeceou para a trave, a bola chegou a entrar na baliza do Newcastle, no entanto, Williamson conseguiu tirá-la já dentro e a equipa de arbitragem não validou o golo.


80’ Papiss Cissé cedeu o seu lugar a Shola Ameobi.

83’ David Moyes trocou Mirallas por Naismith.

86’ Howard conseguiu impedir o 1-2 a Ben Arfa.

88’ Pienaar recebeu um lançamento lateral, recepcionou e descobriu Anichebe, que rodou sobre Taylor e voltou a dar vantagem aos “toffees”.


90’ Na sequência de um passe longo para o ataque, Shola Ameobi ganhou com o peito a primeira bola a Jagielka e serviu assim Demba Ba que fugiu da marcação a Distin e empatou de novo o jogo.


90+4’ Cabaye, tocado, foi substituído por Bigirimana.

Sem mais ocorrências dignas de registo até final, confirmou-se a igualdade num jogo bastante polémico, no qual não foram validados dois golos “limpos” ao Everton, um por alegado fora-de-jogo, e outro no qual a equipa de arbitragem não viu a bola ultrapassar completamente a linha de baliza.
Os comandados por David Moyes entraram muito fortes, bastante pressionantes, agressivos e com caudal ofensivo, perante a passividade e desconcentração do Newcastle, e sem grande surpresa, colocaram-se em vantagem por intermédio de Baines.
Até ao intervalo, a toada manteve-se, no entanto, na segunda parte, com a entrada de Demba Ba, a passagem do 4x2x3x1 para 4x4x2, troca de posições entre Perch e Anita, e uma aposta mais concreta no jogo directo, os “magpies” entraram com outra atitude e conseguiram chegar à igualdade.
A partir daí, assistiu-se a um grande jogo de futebol, com qualidade, emoção e até polémica, fruto dos tais dois golos invalidados ao Everton, no entanto, aos 88’, Anichebe colocou os azuis de Merseyside em vantagem, parecia ter dado o triunfo à sua equipa e passar a prestação do quarteto de arbitragem para segundo plano, só que dois minutos depois, Demba Ba repôs o empate, com que terminou a partida.

Analisando os atletas em campo, começando pelos do Everton…
Howard pareceu mal batido no 1-1, e no 2-2, tentou tapar o maior ângulo possível, mas Demba Ba foi mais inteligente;
Hibbert foi regular, não comprometendo, mas também não foi vistoso; Distin, muito experiente, fez uma exibição segura, no entanto, deixou fugir Demba Ba no segundo golo; Jagielka acertou por uma ocasião no poste, e perdeu para Ameobi uma bola disputada pelo ar que acabou por originar o 2-2; e Baines foi muito ofensivo e intenso, abriu o marcador;
Phil Neville foi sempre o mais posicional no meio-campo; Osman, apesar de ter de uma forma geral se exibido a bom nível, perdeu o esférico num momento que se veio a revelar fatal, já que na sequência da jogada surgiu o 1-1; Mirallas foi muito interventivo no primeiro tempo, procurou rematar sempre que possível e nesse aspecto chegou mesmo até ser egoísta, tendo caído de produção na segunda parte; e Pienaar, muito inteligente, com visão de jogo e capacidade de passe, acabou por fazer a assistência para os dois golos;
Fellaini, forte fisicamente e tecnicamente, viu a equipa de arbitragem anular-lhe um golo limpo; e Jelavic lesionou-se logo no primeiro minuto, ao marcar um golo em fora-de-jogo, actuou condicionado e acabou por ser substituído ainda antes do intervalo;
Anichebe, possante, marcou por duas vezes, só que da primeira o árbitro assistente não viu a bola entrar completamente, e à segunda valeu, parecia que iria dar a vitória aos “toffees”, mas poucos minutos depois, apareceu o 2-2; e Naismith não teve grande influência na partida;

Quanto aos jogadores do Newcastle…
Harper teve o seu momento alto numa atitude de “fair play” que evitou que Anichebe tivesse levado o cartão amarelo;
Perch teve imensas dificuldades na primeira parte, para travar o endiabrado flanco esquerdo do Everton, e acabou por subir de produção quando se mudou para o meio-campo; Williamson esteve longe de fazer esquecer Coloccini, no entanto, acabou por ser decisivo ao cortar já dentro da baliza uma bola que na altura daria o 1-2 e poderia ter alterado o rumo dos acontecimentos; Taylor foi o mais regular do sector defensivo, no entanto, ele próprio viu Anichebe ganhar-lhe espaço no lance que deu o segundo golo ao Everton; e Santon, um destro como lateral-esquerdo, não subiu com muita frequência e teve complicações para acompanhar Mirallas, que muitas vezes apareceu no flanco oposto;
Marveux é um canhoto que gosta de flectir da direita para o meio, mas neste jogo passou muito discreto; Jonás Gutiérrez começou no miolo, acabou na ala-direita e foi discreto; Anita passou para lateral no segundo tempo, e revelou maior capacidade para estancar o flanco esquerdo dos “toffees” do que Perch; e Ben Arfa exibiu o seu forte recorte técnico, mas por vezes abusou do drible, nomeadamente em zonas mais recuadas, na tentativa de adornar alguns lances;
Cabaye apareceu praticamente apenas nos últimos 45 minutos, fazendo o passe para o 1-1; e Papiss Cissé teve poucas oportunidades para marcar, e esteve até furos abaixo do que é habitual;
Demba Ba foi a arma secreta, entrando ao intervalo ainda a tempo de bisar, marcando também o histórico 1000º golo dos “magpies” na Premier League; Shola Ameobi fez a assistência para o 2-2 ao ganhar uma primeira bola, pelos ares, a Jagielka; e Bigirimana entrou para queimar algum tempo;


Com este resultado, fica assim disposta a classificação da Premier League:






Sem comentários:

Enviar um comentário