sábado, 1 de setembro de 2012

Liga ZON Sagres | Olhanense 2-3 FC Porto


Esta noite, no Estádio do Algarve, o FC Porto venceu o Olhanense por 3-2, num jogo a contar para a 3ª jornada da Liga ZON Sagres. Abdi e Targino marcaram para os algarvios, e James Rodríguez, Jackson Martínez e Hulk para os dragões.



Eis a constituição das equipas:

Olhanense



Os algarvios ainda não perderam no presente campeonato, tendo vencido o Estoril (2-1) e empatado com a Académica (1-1).
Rafael Bracalli (emprestado pelo FC Porto), Tiago Targino (ex-Vit. Guimarães), Babanco (ex-Arouca), David Silva (ex-Kilmarnock), Nuno Silva (ex-União da Madeira), Boka (ex-Noroeste), François D’Onofrio (ex-Standard Liège), Liban Abdi (ex-Ferencváros), Evandro Brandão (emprestado pelo Videoton), Ricardo (ex-Vit. Setúbal), Nuno Reis (emprestado pelo Sporting), Rui Sampaio (emprestado pelo Cagliari) e José Luis Fernández e Djaniny (ambos emprestados pelo Benfica) são os principais reforços.


FC Porto



Depois do triunfo na Supertaça frente à Académica (1-0), os dragões empataram no terreno do Gil Vicente (0-0) e golearam o Vitória de Guimarães (4-0).
Fernando e Emídio Rafael, lesionados, são os principais ausentes.


3’ Lucho testou os reflexos de Ricardo.

13’ Os algarvios partiram para contra-ataque, e Rui Duarte desmarcou Luís Filipe pela direita, passou por Alex Sandro e assistiu Abdi, que à entrada da área, depois de alguma atrapalhação, atirou para o fundo das redes.


No FC Porto era clara a falta que Fernando estava a fazer, já que Defour não tem a mesma capacidade de ocupar os espaços e tapar linhas de passe, partindo praticamente a equipa quando o Olhanense saía em contra-ataque.

21’ O médio belga dos dragões picou a bola para as costas de Vasco Fernandes, e Jackson Martínez, em boa posição, cabeceou para fora.

36’ Hulk, após o seu movimento habitual da direita para o centro, fez o esférico raspar na trave.

37’ Christian Atsu cedeu o seu lugar a James Rodríguez.

38’ João Moutinho combinou com o seu recém-entrado colega, mas na cara de Ricardo permitiu a defesa do seu antigo companheiro de equipa.

43’ Na ressaca de um livre lateral, Ricardo socou a bola para a frente, e esta sobrou para James Rodríguez, que de fora da área, com uma grande execução, conseguiu igualar a partida.


45’ A percentagem de posse de bola é claramente favorável aos azuis e brancos: 65%/35%.

Intervalo.

46’ Jackson Martínez cabeceou ao poste.

49’ James Rodríguez desmarcou o ponta-de-lança colombiano do FC Porto nas costas de Vasco Fernandes, e este fintou Ricardo e fez o 1-2.


55’ Sérgio Conceição trocou Yontcha por Targino.

59’ Hulk, ainda de fora da área, chutou para intervenção de Ricardo.

Os campeões nacionais aparentavam alguma tranquilidade e que estavam mais próximos do 1-3 do que do 2-2.

67’ David Silva rendeu Ivanildo.
Alinhar ao centro
68’ Lucho González cedeu o seu lugar a Varela.

72’ Alex Sandro trabalhou bem pela esquerda sobre Abdi, cruzou para a área, o alívio de Maurício saiu curto e a bola ficou em Hulk que tirou Vasco Fernandes do caminho e fuzilou o guardião dos algarvios.


79’ Defour, lesionado, foi substituído por Castro.

86’ Rui Duarte colocou Targino na cara de Helton e reduziu para 2-3.


Sem mais ocorrências dignas de registo até final, confirmou-se uma vitória sofrida dos azuis e brancos no Estádio do Algarve.
O Olhanense entrou atrevido, com vontade de atacar e de conquistar pontos, tentando sair em transições rápidas, e foi numa situação dessas que se colocou em vantagem, por intermédio de Abdi, ainda no primeiro quarto de hora, num lance desenhado pelo lado direito por Rui Duarte e Luís Filipe. Na jogada do golo, foi notória a atrapalhação de Defour em saber onde se deveria posicionar correctamente, acabando por não conseguir tapar linhas de passe e não travar o ataque dos algarvios. Recorde-se que o belga estava a substituir o dono da posição “6”, Fernando, que se encontrava lesionado.
Com um ritmo algo lento, os dragões foram jogando no meio-campo adversário, aproveitando o baixar de bloco dos comandados por Sérgio Conceição, e só com a entrada de James Rodríguez, ainda no primeiro tempo, ganhou alguma aceleração, capacidade de criar desequilíbrios e de passe, e foi mesmo através de um remate do colombiano que chegaram à igualdade.
Na segunda parte, o FC Porto reentrou muito forte, colocou-se em vantagem nos primeiros cinco minutos, e com alguma tranquilidade foi controlando a partida, marcando mais um golo aos 72’, por Hulk.
Já na recta final, o Olhanense conseguiu reduzir e ainda fez os campeões nacionais nos últimos momentos do desafio.

Analisando os atletas em campo, começando pelos do Olhanense…
Ricardo foi infeliz na decisão de socar a bola logo para o local onde se encontrava James Rodríguez, no 1-1, não teve grande culpa nos outros golos e fez algumas boas intervenções;
Luís Filipe fez assistência para o 1-0, no entanto, não acompanhou James sempre que este ocupou a zona central; Maurício viu o seu alívio sair-lhe curto no 1-3, colocando a bola nos pés de Hulk; Vasco Fernandes era quem estava a acompanhar Jackson Martínez e deixou-o fugir no 1-2, e ficou fora da jogada com uma simulação do “Incrível” no terceiro tento dos azuis e brancos; e Babanco, teve vida complicada com Hulk pela frente, mas ainda assim, conseguiu-lhe roubar por diversas vezes o esférico;
Fernando Alexandre, o mais recuado do meio-campo, teve dificuldades para travar o miolo dos dragões, que foi trocando de posições entre si; Jander mostrou capacidade para sair a jogar, actuando uns passos à frente do médio mais defensivo; e Rui Duarte foi o organizador e distribuidor dos algarvios, desenhando o lance do 1-0 e fazendo uma assistência fantástica para o 2-3;
Ivanildo esteve apagado; Abdi mostrou capacidade técnica, gerou desequilíbrios e inaugurou o marcador; e Yontcha passou ao lado do jogo;
Targino marcou o segundo tento da equipa de Olhão e fez os dragões sofrerem na recta final; e David Silva acabou por não acrescentar muito.

Quanto aos jogadores do FC Porto…
Helton sofreu dois golos, mas tirando isso pouco trabalho teve;
Danilo teve uma noite complicada com Abdi pela frente; Otamendi não conseguiu o corte no lance que originou o 0-1; Maicon viu Targino aparecer-lhe nas costas pelo 2-3; e Alex Sandro trabalhou muito bem na esquerda, quer em termos defensivos, quer ofensivos;
Defour sentiu algumas dificuldades em jogar como “6”, longe da capacidade de Fernando em equilibrar a equipa e tapar linhas de passe, foi melhorando de rendimento no decorrer da partida, e saiu lesionado; João Moutinho começa a aproximar-se da sua melhor forma; e Lucho González, como já se sabe, não acelerou muito o jogo, no entanto, com enorme classe foi segurando a bola e tomando as melhores decisões no último terço do terreno;
Christian Atsu passou ao lado do encontro; Hulk perdeu muitas vezes a bola mas ainda assim marcou um grande golo; e Jackson Martínez, com um grande poder de desmarcação, apontou o 1-2;
James Rodríguez, fruto da sua capacidade de aceleração, gerar desequilíbrios e de último passe, deu um safanão na partida, marcou e deu a marcar; Varela entrou para tentar ajudar os dragões a alcançarem um resultado mais tranquilo; e Castro acabou por ser lançado para ocupar a posição “6”, quando Defour saiu lesionado;


Com este resultado, fica assim disposta a classificação da Liga ZON Sagres:







2 comentários:

  1. Boas,

    Foi um jogo assim, assim ... perante um relvado bom para pasto, os jogadores do Porto quer na altura de decisão quer no 1º golo dos de Olhão, não conseguiram ser eficazes e ficaram nas covas.
    Para quem por sistema critica Vitor Pereira (que eu tambem não morro de amores) ele esteve muito bem aos 35 minutos (algo que é quase pecado para a maior parte dos treinadores, esperam os 60 minutos) a ler o jogo e a trocar Atsu por James.
    Esta visto que James rende mais quando vem do banco e mais uma vez entrou bem, aso contrario de um jogador que aprecio, Silvestre Varela.
    Penso que ainda temos que trabalhar mais e os jogadores saberem que o jogo tem 90 minutos e é importante que lutem do primeiro ao ultimo.
    Não entendi a atitude do Sergio ... mas ja não é a primeira nem será a ultima.

    um abraço

    http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.pt

    ResponderEliminar