terça-feira, 1 de maio de 2012

Premier League | Liverpool 0-1 Fulham


Esta noite, em Anfield, o Fulham venceu pela primeira vez na sua história no terreno do Liverpool, por 1-0, num jogo em atraso da 34ª jornada da Premier League. O único golo do encontro foi apontado por Martin Skrtel na própria baliza.



Eis a constituição das equipas:

Liverpool



Os “reds” têm feito uma temporada muito irregular, não competindo nas provas europeias esta temporada, mas já garantindo a presença na próxima época, via Taça da Liga. O Liverpool também já se apurou para a final da Taça da Inglaterra, no entanto, no campeonato, ocupa atualmente o 8º lugar.


Fulham



Os “Cottagers” estão exatamente um lugar abaixo do seu adversário desta noite, com três pontos de desvantagem.
Nas outras competições que disputaram este ano, Taça de Inglaterra, Taça da Liga e Liga Europa, efetuaram campanhas bastante discretas.
O avançado internacional português Orlando Sá pertence ao plantel, tendo feitos oito jogos na Premier League e marcado um golo.


5’ Clint Dempsey abriu em John Arne Riise na esquerda que cruzou tenso para um desvio de Pavel Pogrebnyak que ainda tabelou em Martin Skrtel, introduzindo a bola na baliza da formação de Merseyside.


8’ Na sequência de um livre de Fábio Aurélio para o interior da área, Skrtel cabeceou ao lado.

15’ Passe para as costas da defesa de Dempsey para Pogrebnyak, que rematou para defesa de Doni.

24’ Na sequência de um ressalto numa bola dividida entre Moussa Dembélé e Andy Carroll, o esférico sobrou para Kuyt que atirou para fora.

28’ Jonjo Shelvey chutou para intervenção incompleta de Mark Schwarzer, e foi Brede Hangeland que impediu o golo sobre a linha.

O Liverpool estava melhor na partida, ainda sem incutir um ritmo muito elevado, e superava o Fulham em situações de perigo, no entanto, continuavam em desvantagem através de um tento algo fortuito.

36’ Canto de Shelvey para Carroll ao segundo poste desviar de cabeça para o coração da área, onde Maxi Rodríguez cabeceou por cima.

45’ Do meio da rua, o possante avançado dos “reds” rematou por cima.

Ao intervalo, Downing rendeu Henderson.

53’ Na sequência de um canto favorável aos “Cottagers”, Dempsey cabeceou com perigo ao lado.

57’ Karim Frei substituiu Alexander Kacaniklic.

62’ Dempsey guiou uma transição rápida, finalizada por Frei, que flectiu da esquerda para o meio e atirou ao poste.

63’ Dembélé isolou Riise, mas Doni evitou que o Fulham alargasse a vantagem.

66’ Kenny Dalglish trocou Fábio Aurélio por José Enrique.

76’ Dirk Kuyt deu lugar a Raheem Sterling.

78’ Frei isolou Dempsey, mas o norte-americano permitiu a defesa de do guardião do Liverpool.

80’ Pogrebnyak foi substituído por Dickson Etuhu.

87’ Dembélé foi rendido por Chris Baird.

Sem que o Liverpool tivesse carregado no acelerador muito no acelerador na recta final, como seria espectável, o Fulham acaba por confirmar uma vitória que o coloca lado a lado na classificação com os “reds” no 8º lugar, com os mesmos 49 pontos. Este triunfo foi o primeiro dos londrinos em Merseyside, ou seja, em casa do Liverpool ou do Everton.
A partida começou com esse tento fortuito, na própria baliza por Skrtel, depois de um desvio de Pogrebnyak, e basicamente foi das poucas oportunidades que os “cottagers” tiveram durante todo o desafio.
Os comandados de Kenny Dalglish, sem jogadores influentes como Reina, Glenn Johnson, Steven Gerrard, Carragher, Agger, Craig Bellamy e Luís Suárez, nunca incutiram um ritmo muito forte mas foram sempre ligeiramente superiores, aproximando-se mais da baliza adversária, criando mais oportunidades, mas ainda assim, sem conseguir marcar e sem serem suficientemente ambiciosos conseguir evitar a derrota.

Analisando os atletas em campo, começando pelos do Liverpool…
Quando foi chamado a intervir, Doni esteve bem.
Martin Kelly teve vida difícil com Kacaniklic e Karim Frei pelo caminho, Coates falhou muitos passes, Skrtel marcou na própria baliza e Fábio Aurélio foi o dono das bolas paradas, mas nunca sem criar muito perigo.
Spearing e Henderson apoiaram os laterais e os centrais defensivamente, mas ofensivamente nunca introduziram uma dinâmica muito forte.
Kuyt não fez um mau jogo, mas esteve longe de brilhar, tal como Maxi Rodríguez.
Carroll só pelos ares foi perigoso e Shelvey lutou mas também nunca criou muito perigo.
Downing inicialmente agitou com a equipa mas foi sol de pouca dura, José Enrique não acrescentou muito ao trabalho de Fábio Aurélio e Sterling (17 anos) teve direito a uns minutos.

Quanto aos jogadores do Fulham…
Schwarzer foi seguro mesmo sem muito trabalho, Stephen Kelly não teve muitas complicações a defender, Hangeland e Aaron Hughes estiveram muito bem no eixo da defesa, e Riise voltou a estar envolvido em golos em Anfield, mas desta vez fazendo o cruzamento tenso que iria originar no tento dos “cottagers”.
Danny Murphy exibiu-se a bom nível, a defender e a passar, Dembélé mostrou ser um jogador muito completo, defendendo bem, mostrando qualidade de passe e técnica, alimentando o ataque.
Duff esteve sempre muito encostado a Stephen Kelly e não foi explosivo a atacar, e Kacaniklic foi muito desequilibrador na esquerda.
Dempsey deu muita dinâmica no último terço do terreno, e Pogrebnyak revelou capacidade física, a segurar a bola, e também a batalhar com os defesas adversários.
Karim Frei (18 anos) é muito veloz e certamente irá dar que falar, e Etuhu e Baird nada alteraram, mas também não era necessário.


Com este resultado, fica assim disposta a classificação da Premier League:

Sem comentários:

Enviar um comentário