segunda-feira, 7 de maio de 2012

Ligue 1 | Rennes 0-2 Montpellier


Esta noite, no Estádio La Route de Lorient, o Montpellier venceu o Rennes por 2-0, num jogo a contar para a 36ª jornada da Ligue 1. Camara e Costil (p.b.) marcaram para os líderes do campeonato francês.



Eis a constituição das equipas:

Rennes



O Rennes ocupa o 5º lugar, que dá acesso à Liga Europa, o máximo que os comandados por Frédéric Antonetti podem ambicionar esta temporada. Nos últimos cinco jogos, somaram quatro vitórias.


Montpellier



A formação orientada por René Girard lidera o campeonato francês, entrando para esta jornada com mais três pontos que o Paris SG (que entretanto venceu o Valenciennes por 4-3).
O avançado Olivier Giroud, com 21 golos, é o melhor marcador da Ligue 1.


A partida começou com um ritmo muito intenso.

13’ Na sequência de um ressalto, Pitroipa com um pontapé de bicicleta acertou na trave.

26’ John Boye dentro da sua área chutou contra Rémy Cabella, e a bola acabou por sobrar para Souleymane Camara que atirou para o fundo das redes.




28’ Cabella de livre directo obrigou Benoit Costil a defesa apertada.

Apesar de se encontrar em desvantagem, o Rennes apostava sobretudo em transições rápidas.

Intervalo.

52’ Cabella rematou de longe ao poste, no entanto, a bola acabou por tabelar em Costil e entrar na baliza dos homens da casa.



O Montpellier estava tranquilo no jogo, e com o 0-2 teve a possibilidade de tirar um pouco o pé do acelerador.

66’ Frédéric Antonetti fez as três substituições de uma assentada: Saíram Abdoulrazak Boukari, Julien Féret e Jires Kembo-Ekoko, e entraram Youssouf Hadji, Yacine Brahimi e Victor Hugo Montaño.

76’ Geoffrey Dernis rendeu John Utaka, que foi aplaudido neste seu regresso a Rennes.

Os homens da casa faziam um “forcing” na tentativa de reduzir a desvantagem.

83’ Benjamin Stambouli deu lugar a Romain Pitau.

88’ Joris Marveaux substituiu Cabella.

90+4’ Dernis de livre directo acertou na trave.

A partida começou com um ritmo muito elevado, mas com o equilíbrio como nota dominante, até com o Rennes a dar um “sinal +” inicial, no entanto, foi o Montpellier quem abriu o marcador, aos 26’, por Camara, num erro de Boye.
A partir daí, os forasteiros comandaram as operações, e só por contra-ataque a formação comandada por Frédéric Antonetti chegava perto da baliza de Jourdren.
No segundo tempo, num lance algo fortuito, Costil fez auto-golo e complicou as contas para os homens da casa. Até final, o Rennes ainda tentou o tento de honra, e chegou a agitar as coisas com a tripla substituição que fez aos 66’, mas ainda assim, insuficiente para alterar o resultado.

Analisando os atletas em campo, começando pelos do Rennes…
Costil esteve azar no lance do 0-2, Théophile-Catherine foi um lateral ofensivo, Kana Biyik exibiu-se a bom nível mas o seu colega John Boye ficou mal na fotografia no primeiro golo sofrido, e Mavinga mostrou qualidade defensiva.
M’Vila exibiu uma fantástica capacidade de passe e agressividade a defender, já Féret e Tettey estiveram uns furos abaixo no eixo do miolo, não dando a dinâmica que a equipa precisava.
Pitroipa é veloz, embora trapalhão e algo individualista, e Kembo-Ekoko também é muito rápido, no entanto, nem sempre decidiu com o melhor critério. Era frequente ambos trocarem de ala entre si.
Boukari fugiu muitas vezes da posição de ponta-de-lança.
Montaño ainda agitou o jogo, mas insuficientemente, Hadji não superou o rendimento de Boukari e Brahimi exibiu qualidade técnica.

Quanto aos jogadores do Montpellier…
Jourdren esteve muito seguro, Bocaly e Bedimo fortes a defender e a atacar, e Hilton e Yanga-Mbiwa tranquilos e sólidos.
Saihi e Stambouli demonstraram capacidade na recuperação de bola no miolo, aliada com boa leitura de jogo e alguma qualidade de passe.
Camara abriu o marcador, Utaka criou desequilíbrios sobre o flanco esquerdo e Cabella, internacional sub-21 francês, foi o melhor em campo, participando nos dois golos, e exibindo dinâmica, técnica, visão e grande aptidão na colocação do esférico, razão pela qual até foi maioritariamente o dono das bolas paradas.
Giroud foi móvel, mas não conseguiu marcar, embora não tenha tido muitas oportunidades.
Dernis ainda acertou na trave, Pitau e Marveaux entraram para refrescar o conjunto orientado por René Girard e queimar algum tempo.


Com este resultado, fica assim disposta a classificação da Ligue 1:

Sem comentários:

Enviar um comentário