domingo, 5 de fevereiro de 2012

Taça da Liga | Sporting 0-1 Gil Vicente



O Gil Vicente foi ontem a Alvalade vencer o Sporting por 1-0, carimbando assim o apuramento para as meias-finais da Taça da Liga. O golo dos gilistas foi apontado pelo central Cláudio, de grande penalidade.



Eis a constituição das equipas:

Sporting



Depois de na jornada transacta da Taça da Liga os leões terem empatado em casa frente ao modesto Moreirense (1-1), no jogo que ficou marcado pela atitude irreflectida e grande penalidade falhada por Bojinov, o Sporting vê a luz ao fundo do túnel porque finalmente já conseguiu vencer em 2012 (2-0 ao Beira Mar para a Liga ZON Sagres no passado fim-de-semana), pode carimbar o acesso às meias-finais desta competição se bater o Gil Vicente e para isso conta com o regresso de três unidades fundamentais: Rinaudo, Izmailov e Ricky Van Wolfswinkel.
Schaars e Jeffren são os únicos indisponíveis.


Gil Vicente



Os gilistas estão moralizados pois no passado fim-de-semana venceram o FC Porto (3-1) em Barcelos, e no domingo anterior tinham colocado bastantes dificuldades ao Benfica no Estádio da Luz.
Dos últimos reforços de inverno, Zé Luis foi convocado e poderá ajudar a sua equipa em Alvalade. Já César Peixoto ainda não apresenta os índices físicos desejáveis e não foi chamado para este encontro.
João Vilela, Sandro e Luís Carlos falham a partida devido a lesão.


O Sporting, sem entrar a matar, começou o jogo bem, a atacar e a trocar a bola no meio-campo adversário e aos 8’ Matías isola-se e remata para a baliza, mas Adriano responde com defesa apertada.

Os leões continuaram a carregar, mesmo sem uma intensidade do outro mundo, e a meio da primeira parte, o regressado Wolfswinkel de cabeça assiste Carrillo que atira à malha lateral.
No minuto seguinte, o peruano faz uma diagonal a partir do lado direito mas volta a não acertar com a baliza gilista.

Já depois da meia hora, Diego Capel cobra um canto pelo lado direito e o ponta-de-lança holandês do Sporting sobe mais alto que toda a gente mas cabeceia por cima.

Os homens de Barcelos, embora algo contidos ofensivamente, lá iam fazendo das suas e a cinco minutos do intervalo, na sequência de um ressalto a partir de um pontapé de canto, Hugo Vieira surge em zona privilegiada ao segundo poste mas não acerta com a baliza.

Para o segundo tempo, os leões tiraram um pouco o pé do acelerador, não conseguiram chegar à área contrária nos primeiros minutos e quem aproveitou foi o Gil que aos 53’ viu o seu homem mais adiantado, Hugo Vieira, ser derrubado por Onyewu e o árbitro assinalar grande penalidade. Fica a dúvida se a falta foi cometida dentro ou fora da área, mas o que é certo é que o norte-americano viu o segundo amarelo, foi expulso, e na marca dos 11 metros o defesa-central Cláudio atirou para o fundo das redes.

Vida difícil para o Sporting que agora estava em desvantagem numérica e no marcador, e com um buraco no centro da defesa que foi colmatado pela substituição de André Santos por Daniel Carriço que se foi desdobrando entre defesa-central e trinco.

Pouco depois da hora de jogo, Matías na cobrança de um livre directo atirou por cima e poucos minutos depois, face às dificuldades de construir um bom lance colectivo, Carrillo puxou dos galões sobre o lado direito e após uma boa jogada individual atirou ao lado.

O conjunto orientado por Domingos Paciências foi abrindo espaços no seu sector mais recuado, e aos 78’ os minhotos tiveram perto de ampliar a vantagem mas Marcelo travou o remate de Júnior Caiçara.

No minuto seguinte, é a vez de Adriano brilhar após remate de Elias.

Já nos descontos, num lance de contra-ataque, novamente a equipa da Paulo Alves perto do 2-0, com Zé Luis a servir Guilherme mas este a permitir a defesa do guardião leonino.

Costuma-se dizer que quem ganha tem sempre razão e a verdade é que o Gil venceu, foi a única equipa a conseguir marcar, mereceu o apuramento, ainda que se possam discutir algumas decisões do juiz como o assinalar da grande penalidade quando algumas imagens comprovam que a falta foi fora da área, e, mais tarde na partida, não assinalar “penalty” sobre uma falta cometida sobre Matías na área gilista, que deixa bastantes dúvidas.
O Sporting esteve bem na primeira parte, criou várias ocasiões, explorou os flancos dos quais saíram cruzamentos para o desapoiado Wolfswinkel que maioritariamente não teve ninguém que o acompanhasse na zona de finalização. Os flanqueadores (Carrillo e Capel) também tentaram flectir para o meio para tentar desbloquear o resultado mas sem grande sucesso.
Na segunda parte os leões adormeceram o ritmo, viram-se em desvantagem no resultado e a nível do número dos jogadores em campo e não tiveram engenho nem arte para dar a volta.

Analisando os jogadores, na formação de Domingos Paciência, Marcelo esteve bem quando foi chamado a intervir.
João Pereira não fez um grande jogo e não deve ter ficado muito feliz por ser substituído quando ainda faltava muito para se jogar, Onyewu foi expulso mas não teve grandes falhas, Polga não fez um mau jogo e Evaldo provou mais uma vez que está a anos-luz de Insúa e que não é atleta para alinhar num clube como o Sporting. Já Daniel Carriço fez alguns cortes preciosos que impediram que o resultado fosse mais pesado.
André Santos mostrou mais uma vez que é a melhor alternativa a Rinaudo à frente da defesa, equilibrando a equipa e travando alguns ataques gilistas, infelizmente para ele saiu cedo no jogo devido à expulsão de Onyewu. Elias esteve bem no apoio à defesa mas nem sempre conseguiu dar o melhor apoio ao ataque e a Matías há pouco a apontar mas já fez exibições melhores.
No ataque, Carrillo foi sempre o mais dinâmico e inconformado, o único que em lances individuais conseguia romper pela defesa contrária adentro mas o seu entusiasmo e a falta de maturidade levou a que algumas vezes na hora de rematar ou de fazer um último passe tenha preferido ficar com a bola durante mais uns segundos, perdendo-a maioritariamente. Capel está-se a tornar previsível mas ainda vai mostrando argumentos para bons lances individuais e colectivos, ainda assim perde-se quando o colocam no flanco direito, já que procura a bola muito mais atrás, e para um jogador que não actua de cabeça levantada, em movimentos diagonais perante uma equipa que coloca muitos homens lá atrás como o Gil Vicente acaba por não oferecer grande utilidade à equipa. Wolfswinkel não teve muitas oportunidades mas fica no registo dois bons cabeceamentos, um para amortecer a bola para um excelente remate de Carrillo e outro que saiu por cima da baliza, ambos na primeira parte. Diego Rubio nada acrescentou e Izmailov entrou tarde no jogo.

Quanto ao gilistas, tiveram no seu guarda-redes um aliado de peso para não saírem de Alvalade com outro resultado, a defesa esteve sólida tanto ao não abrir muitos espaços como também dificultando os cruzamentos e neutralizando Wolfswinkel.
No ataque, não criaram assim tantas oportunidades até ao golo, mas poderiam ter marcado muitos mais quando já estavam em vantagem. Rodrigo Galo, Richard, Hugo Vieira e posteriormente Zé Luis e Guilherme foram dores de cabeça para a defensiva verde-e-branca.


Com este resultado, esta é a classificação final do Grupo A da Taça da Liga:

3 comentários:

  1. Hola David,

    Añadí el link de tu blog a mis dos blogs: http://el-polideportivo.blogspot.com y http://futbolpararato.blogspot.com

    Te escribo para recordarte que añadas mis links a tu lista como me dijiste, ya que sigo sin verlos.

    Muchas gracias!

    ResponderEliminar
  2. Olá! Passei pra dizer que meu blog mudou a url de http://editpes2011xbox.blogspot.com para http://editpesxbox.blogspot.com . Peço que atualize na sua lista de parceiros. Obrigado!

    ResponderEliminar
  3. Seu blog é muito bom.
    Saludos da Argentina.
    EL 10 Y 10 MÁS

    ResponderEliminar