quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Liga Europa | Légia Varsóvia 2-2 Sporting



O Sporting foi a Varsóvia empatar com Légia (2-2) este final de tarde. Wawrzyniak e Gol fizeram os golos dos polacos, e Daniel Carriço e André Santos marcaram para os leões.



Eis a constituição das equipas:

Légia Varsóvia



Esta equipa polaca é neste momento a 2ª classificada no seu campeonato, a quatro pontos do líder Slask Wroclaw. Na fase de grupos desta Liga Europa, ficou apenas atrás do PSV mas á frente do Hapoel Telavive e do Rapid Bucareste.
A principal ausência é Miroslav Radovic, médio criativo dos polacos.
Uma das estrelas do Légia, o jovem Borysiuk, saiu no mercado de inverno para o Kaiserslautern.
Devido á paragem da Liga Polaca, a formação de Maciej Skorza não realiza uma partida oficial há mais de dois meses.


Sporting



Este será o primeiro jogo de Ricardo Sá Pinto como treinador dos leões, gerando por isso muita expectativa.
Recordo que a formação lisboeta na fase anterior, ficou em 1º no seu grupo em que também constava a Lazio, Vaslui e Zurique.
Rodríguez, Jeffren e Diego Capel falham a partida por lesão e Elias por já ter representado o Atlético Madrid esta temporada na Liga Europa.


O encontro começou disputado, com ambas as equipas a não conseguirem assumir o comando do jogo porque nem o adversário nem o estado do relvado o permitiam.

A principal oportunidade de golo apareceu aos 24’ e foi para o conjunto de Varsóvia, quando Zyro tabela involuntariamente com Insúa, consegue entrar na área e isolar-se mas Rui Patrício evitou males maiores.

Aos 36’, na sequência de um livre marcado por Rybus e após confusão da grande área, Wawrzyniak apareceu em boa posição e atirou para baliza dando vantagem aos polacos.

Ao intervalo, Ricardo Sá Pinto resolveu retirar os recém-recuperados de lesão Schaars e Izmailov para colocar em campo Daniel Carriço e Bruno Pereirinha, mas até foi o Légia o primeiro a ter oportunidade de marcar quando o guardião português do Sporting negou o golo a Ljuboja.

Em cima da hora de jogo, na marcação de um livre marcado pela esquerda por Matías, Carriço salta mais alto ao primeiro poste e consegue empatar a partida.

Perto dos últimos dez minutos, quando o encontro parecia controlado pelos leões, Wolski desmarca-se sobre a direita em posição irregular não assinalada pelo árbitro e assiste Gol que ao segundo poste só teve de encostar para o 2-1.

Aos 87’, quando já se pensava que a derrota era certa para a equipa portuguesa, João Pereira assiste André Santos que á entrada da área marca um grande golo com uma magnífica trivela.

Mesmo a terminar a partida, após mais um livre de Matías à procura de um cabeceamento na área do Légia, a bola acaba por cair nos pés de Insúa que atirou à malha lateral.

Acabou por ser um empate justo e positivo para o Sporting. O jogo foi sempre muito disputado, envolveu muita luta, mas nunca foi bonito, teve pouco futebol de pé para pé, houve muitas apostas em transições através de passes longos, sequências curtas de passes bem sucedidos, o Légia adaptou-se melhor a estas dificuldades que o relvado proporcionou e teve as primeiras oportunidades, podia mesmo ter feito o 2-0 mas os leões empataram primeiro por Daniel Carriço, e posteriormente, após o 2-1, por André Santos, dois homens que saíram do banco para ajudar na batalha campal do meio-campo.

Em termos individuais, é difícil destacar alguém neste jogo, não foi um jogo propício a lances individuais com brilhantismo e não se podem culpabilizar os jogadores para um ou outro passe falhado ou menos preciso quando o relvado não o permitia.

No entanto, no Légia pareceu-me haver uma série de atletas jovens e irrequietos no apoio ao matreiro ponta-de-lança Ljuboja: Zyro, Gol e Rybus, que felizmente para os leões, acabou por sair lesionado.

No que concerne ao Sporting, Rui Patrício evitou o golo algumas vezes, João Pereira participou no segundo golo da equipa, Polga e Onyewu lutaram muito nas alturas tanto a defender como a atacar, e Insúa tentou dar apoio ao ataque, mas não teve oportunidades para tabelar com os médios interiores.
Schaars não estava a fazer um dos seus jogos mais conseguidos, lesionou-se e saiu ao intervalo, Rinaudo foi importante para segurar o meio-campo e chegou a levar nos pés a bola controlado até à frente de ataque, e Matías foi importante no processo ofensivo mas infelizmente o relvado não permitiu que pusesse em prática o seu melhor futebol. Daniel Carriço e André Santos vieram ajudar na batalha no meio-campo e acabaram por marcar os golos leoninos.
Carrillo tentou os seus rasgos individuais mas sem grande sucesso, Izmailov andou desaparecido do jogo, Pereirinha mostrou uma face mais agressiva mas não teve muito que fazer e Wolfswinkel esteve desapoiado mas também não procurou a bola em zonas mais recuadas.


Este resultado dá vantagem aos leões que apenas precisam de um nulo em Alvalade para poderem seguir em frente nesta Liga Europa.

2 comentários:

  1. Boas amigo, muito interessante teu blog. Eu gostaria de formar contigo parceria! O que achas?

    Saludos

    ResponderEliminar