domingo, 22 de janeiro de 2012

Liga ZON Sagres | Benfica 3-1 Gil Vicente



O Benfica venceu esta noite o Gil Vicente por 3-1 no Estádio da Luz, em joga a contar para a Liga ZON Sagres. Cardozo, Rodrigo e Aimar marcaram para os encarnados, Rodrigo Galo para os gilistas.



Eis a constituição das equipas:

Benfica



Nos encarnados, Garay regressa ao onze, voltando a relegar Jardel para o banco.
Cardozo e Rodrigo, que estavam em dúvida, foram titulares, e Pablo Aimar começa o jogo como suplente.


Gil Vicente



A formação de Paulo Alves procura ser a primeira a tirar pontos ao Benfica na Luz esta temporada, e para isso basta repetir o resultado da primeira volta (2-2).


Na primeira metade da primeira parte assistimos a um Gil Vicente a jogar com o seu bloco alto e com as suas linhas bastante próximas, não dando espaço ao Benfica para fazer a bola circular desde o seu meio-campo defensivo aos avançados e obrigando os encarnados a trocarem o esférico entre os defesas ou então através de passes longo para as alas ou para a área que não estavam a produzir efeitos práticos. No entanto, no ataque os minhotos não criavam perigo, também pela escassez de homens que apareciam nas zonas mais avançadas.
Como em jogo corrido as oportunidades não surgiam, foi de bola parada que a formação de Jorge Jesus criou a primeira e até marcou. Aos 26’, livre de Nolito pela esquerda e cabeceamento de Cardozo no interior da área para o fundo das redes.

A cerca de cinco minutos do intervalo, na sequência de um pontapé de canto favorável ao Gil Vicente, a bola fica à entrada da área onde surge Rodrigo Galo que com um remate fortíssimo empata a partida.

No início do segundo tempo, até foram os de Barcelos os primeiros a criar perigo, com Hugo Vieira já em desequilíbrio a chutar em esforço para grande defesa de Artur.

Por volta da hora de jogo, e já com Pablo Aimar em campo, após um corte de carrinho de Witsel a bola sobra para o guarda-redes dos encarnados que agarrou o esférico. O árbitro da partida entendeu que foi atraso e os barcelenses beneficiaram de um livre indirecto que no entanto não conseguiram aproveitar.

Aos 72’, Rodrigo atira forte de fora da área, a bola desvia em Halisson e acabou por trair Adriano, fazendo o 2-1.

Dois minutos depois, Nolito assistiu Aimar e este consegue trocar a volta aos defesas gilistas e rematar para a baliza, fazendo assim o terceiro golo.

O Benfica acabou por vencer por 3-1, num jogo em que o resultado acabou por ser melhor que a exibição.
O Gil Vicente jogou sempre com o bloco alto, a meio do seu meio-campo, e pressionou os jogadores encarnados logo na primeira fase de construção, anulando as acções de Javi Garcia como construtor, obrigando a equipa a recorrer a outras soluções, que não resultaram. Curiosamente, foi quando saiu o espanhol que as águias conseguiram voltar a colocar-se em vantagem, já na segunda parte, num período em que era Witsel a ocupar a sua posição, e o belga até interveio no golo de Rodrigo. Embalados, dois minutos depois Aimar fez o 3-1 e resolveu o jogo.

Analisando os jogadores, Artur não teve culpas no golo sofrido e teve um momento “à Rui Patrício”, apesar da decisão do árbitro ser contestável.
Maxi não subiu muitas vezes e travou uma luta intensa com Richard pelo flanco, Luisão teve alguns maus passes mas no geral fez uma exibição positiva, tal como Garay. Já Emerson foi q.b. como de costume.
Javi Garcia foi pressionado e não conseguiu construir jogo, Witsel contribuiu para o resultado mas foi sempre muito tapado pelo meio, Gaitán esteve apagado e Nolito fez duas assistências. Cardozo marcou o primeiro e nunca mais se voltou a ver, e Rodrigo mais lutador, fez o 2-1 ainda que com a ajuda de um defesa. Aimar foi decisivo.

Quanto ao Gil Vicente, Adriano mostrou não ser o guarda-redes mais seguro do Mundo mas também não teve grane trabalho.
A defesa defendeu sempre muito à frente, e no processo ofensivo, na maioria das vezes guiado por Hugo Vieira, tecnicamente o melhor da equipa, foram tentando a sua sorte.


Com esta vitória dos lisboetas, a classificação da Liga ZON Sagres é neste momento a seguinte:



2 comentários:

  1. Foi de facto uma vitória suada, mas justa, Há que perceber que o Benfica não joga sozinho, há adversários com os seus méritos e nem sempre pode haver nota artística, os jogos ganham-se me 90 minutos e não se poder exigir que seja em 30 como alguns indivíduos, poucos felizmente sempre com o assobio perto da boca, mas com o cérebro junto ao...
    Aimar entrou e revolucionou, essa é uma das riquezas deste Benfica, ora resolve Aimar, ora este está lesionado e outros resolvem, e uma coisa é certa, esta equipa quando não joga bem, luta contra as adversidades e essa é também uma marca dos campeões.

    ResponderEliminar
  2. Hola soy de http://centroygol.blogspot.com/view/magazine

    me interesa lo del cambio de enlaces!!

    Muchas Gracias!

    ResponderEliminar