domingo, 9 de outubro de 2011

WSW na Quinta do Conde (08-10-2011) - Análise e Reportagem



No último sábado (08 de Outubro) desloquei-me à localidade da Quinta do Conde, concelho de Sesimbra, para assistir a um espectáculo da World Stars of Wrestling (WSW).

O evento estava programado começar às 21:00 mas só começou perto das 22:00, o que me deu tempo suficiente para ver e fotografar as imagens gravadas no edifício da bilheteira e nos carros de apoio ao evento.......


Exactamente, é ele mesmo, Rey Mysterio! E melhor, também haviam gravuras perto da tenda (sim, o espectáculo realizou-se numa tenda de circo, e deixem-me vos dizer que foi uma ideia bestial, e não é única porque sei que pelo menos é ou foi um hábito em algumas promoções europeias) de lutadores como Hulk Hogan, Batista, Dolph Ziggler, Triple H, RVD, Goldberg, Eddie Guerrero ou Edge.

Curiosamente, durante a hora que esperei para entrar, para além de ver estas gravuras, bem visiveis para quem passa nas redondesas, durante toda a promoção que estava a ouvir do evento antes do espectáculo começar, nunca foi pronunciado o nome de um lutador, apenas foi dito que o Titulo Europeu estava em jogo e que dia 9 iria haver um combate de jaula.
Ora qualquer fã de wrestling que não tenha acesso à Internet, vendo aquelas gravuras e não ouvindo nomes anunciados… deduziria automaticamente que seriam os lutadores expostos nas gravuras que participariam no evento, o que de facto, é um pouco publicidade enganosa.
No entanto, durante e após o espectáculo não ouvi uma única manifestação de descontentamento, ainda bem!

Ainda deu para ver um fã com a nova “t-shirt” de CM Punk, isto é desinteressante, mas devo dizer que me ruí de inveja.


O espectáculo lá começou com cerca de uma hora de atraso, com Axel, com uma entrada digna de um lutador a dar as boas-vindas à boa moldura humana que se encontrava na Quinta do Conde. Arrisco-me a dizer que se tivermos apenas em conta os espectáculos em que o público pagou exclusivamente para ver wrestling, foi talvez a melhor casa no nosso país em 2011. Não quero dar números como garantidos porque já me dei mal com contas de cabeça, mas arrisco falar em cerca de pouco mais de 100 pessoas. Entretanto, se surgirem números oficiais, publicarei-os aqui. Já agora, na plateia, algumas figuras do wrestling nacional como Pedro Pavão, David “Cougar” Batista e Hugo Santos marcaram presença.

Bem, indo ao que interessa, Axel anunciou que o espectáculo iria começar com uma “Battle-Royal” (como habitual na WSW, ainda hei-de elaborar um estudo estatistico sobre isso…) cujo vencedor iria desafiar o Campeão Europeu Bruno “Bammer” Brito no “main-event”. O detentor da taça teceu alguns comentários sobre essa situação onde mais uma vez revelou a falta de talento e alma para falar ao microfone, felizmente compensada com o que faz no ringue (já lá vamos).


(1) Juan Casanova venceu Black Heart Warrior, Soultaker, Pegasus, Seth, Salvador e Ricky numa “Battle-Royal” para se tornar no candidato principal ao Titulo Europeu: O vencedor era algo previsivel, e a maior surpresa neste combate foi mesmo a presença do Salvador, que não julgava que fosse lutar. Bem, não me julguem demasiado exigente nem mal humorado, mas a verdade é que embora com alguns pontos de interesse e entrenimento, creio que os lutadores portugueses não estão muito prontos para combates deste género, porque envolvem sobretudo “brawl” e ser-se atirado pela corda superior, e diga-se de passagem (e esta minha critica não é de agora), os portugueses em termos gerais têm um “strike” fraquinho e pouco legitimo, e quando foram atirados pela corda superior revelaram alguma falta de talento a fazê-lo, talvez pela falta de experiência, a verdade é que algumas vezes pareceram pouco legitimos. Ainda assim, entreteve-me e isso é o mais importante.




(2) Ricky venceu Salvador após um “Rick Kick”: Combate muito interessante, nem sempre em termos técnicos, mas sobretudo pela história contada. No inicio da contenda, Ricky encostou Salvador de frente para um dos cantos e atingiu-o com um “Dropkick”, como diria Fucile, no “culo”. O público reagiu bem e a partir daí, creio que por iniciativa nesse momento, o combate desenrolou-se com Salvador a vender a sua dor de rabo e Ricky a trabalhar nessa zona. Foi legitimo, engraçado e entreteve o público, que viu o vencedor do TTT 2010 vencer num bom combate.




(3) Blackheart Warrior venceu Soultaker após um “Spear”: Bem, já me tinham dito que os irlandeses eram bons, não esperava era que tanto! Adorei o Blackheart Warrior, é conhecido na IWW como Mandrake e pela pesquisa que fiz, deteve durante muito tempo o principal titulo da promotora, que já esteve na posse de Sheamus e Drew McIntyre, e já derrotou nove ex-WWE na sua carreira. Do outro lado, Soultaker, conhecido como Soultaker Salem na IWW, do qual não tenho mais informações. Foi um combate mesmo muito bom, dá para ver que estes irlandeses têm escola, são de outro gabarito, e disse “estes” irlandeses porque em termos técnicos parecem-me melhores que os da DCW. Blackheart Warrior é um lutador muito carismático, que rapidamente conquistou os fãs portugueses, seja pela sua postura de bonzinho (“face”), como pela forma como interagia com a plateia e mostrava no ringue todo o seu talento a nível técnico e atletismo que para alguém do seu tamanho e peso, foi de facto impressionante. Soultaker é um “powerhouse”, não é tão espectacular mas faz a sua função muito bem, também soube alimentar “heat” para que Mandrake pudesse brilhar e sentir o apoio dos fãs. Arrisco-me a dizer que foi dos melhores combates que já vi ao vivo, impressionante como apesar da barreira linguistica interagiram mais com o público e fizeram-no entrar mais no combate do que Ricky e Salvador. Tragam estes irlandeses mais vezes a Portugal, e vejam qualquer coisa de Mandrake/Blackheart Warrior no Youtube, vale a pena!




Tempo para um intervalo de 10/15 minutos que deu para recupear o fôlego após um combate com a categoria do último.

(4) Pegasus venceu Seth após um golpe baixo: Mais um combate muito bom, e mais um com um conceito diferente. Se o Ricky vs. Salvador teve um toque humoristico devido ao trabalho que o primeiro efectuou sobre o rabo do segundo, e se o combate dos irlandeses foi muito para o espectáculo, neste combate Pegasus trabalho de uma forma impecável no braço de Seth durante toda a sua duração. Houve um “spot” no combate que confesso que nunca tinha visto e que achei bastante bom e inovador, quando Seth tenta um “Sunset Flip”, e Pegasus resiste, não cai, pega no braço do mascarado e atira-o contra o tapete, muito bom mesmo!
De destacar ainda alguns outros aspectos sobre João Sena: uma “taunt” no canto parecidissima à de Triple H, exibição de flexões que nem um Scott Steiner, mais uma “promo” muito boa (que comparada com a de Bammer, é a diferença da noite para o dia), calças novas e uma grande aposta no wrestling técnico, que me fez lembrar um pouco (também pelas calças) alguns combates que vi de Chris Benoit no Japão na primeira metade da década de 90, embora “fazer lembrar” não é propriamente sinónimo de parecer ou ser igual.




(5) Alice venceu Kelly após reverter um “Cross Body”: Combate feminino de alguma qualidade, como seria de se esperar, mas que no entanto também não foi brilhante e até se tornou algo extenso. Dá para ver que Kelly é superior e que até mostrou do melhor “strike” que vi em todo o evento.




(6) Bammer venceu Juan Casanova por DQ após uma cadeirada: Á entrada para este combate pensei que ou iriamos ver algo muito bom, ou algo muito mau. E porquê? Porque conheço a potencialidade dos dois, sei do que são capazes, já os vi e revi algumas vezes, no entanto, são produtos de marcas diferentes digamos assim. APW e WP têm algumas divergências no produto que apresentam, provavelmente dissemelhanças nos métodos de treino e chegaram-me relatos de que a aventura de Casanova no evento de Mangualde não correu muito bem, apresentando um estranho nervosismo e algumas falhas de comunicação com o seu adversário (Seth). A verdade é que foi um belissimo combate, e embora diferente, esteve ao nível do dos irlandeses. Começou com uma “brawl” inicial sem que o combate tivesse ainda começado, em que Casanova atacou Bammer pelas costas e foram lutando um pouco por toda a arena, naquela que estava a parecer de facto uma luta legitima como eu gosto, embora o nível do “strike” não fosse de classe mundial. A verdade é que notava-se alguns pormenores “stiff”, sobretudo por parte de Bammer, com uns “Uppercuts” muito legitimos e umas chapadas que puseram o peito do espanhol completamente encarnado. Entretanto o combate foi para o ringue e começou oficialmente, continuando com a brutalidade e também com muita qualidade. Ambos os lutadores não se pouparam, deram tudo o que tinham, fizeram um esforço enorme! Se Casanova ficou com o peito encarnado das chapadas que levou, Bammer ficou com um hematoma nas costas escorrendo até algum sangue. Ambos foram contra as grades, contra cadeiras numa bancada vazia, contra o chão e no ringue não se privaram a “bumps”, Casanova por exemplo sofreu um “Vertical Suplex”, três “German Suplexes” e um “Bammer Bomb”, Bammer também pôs muito em jogo voando com um “Summersault” pela corda superior e sofrendo alguns “bumps” que como é óbvio, não me lembro de todos. E estamos a falar de lutadores que sabiam que no dia seguinte iriam ter um combate de jaula… mas já lá vamos. Em determinada fase do combate o árbitro (David Francisco) ficou “KO”, Bammer fez uma “Bammer Bomb” mas ninguém poderia contar, e enquanto se mostrava frustrado e tentava acordar o juíz do duelo, Casanova foi buscar uma cadeira e bateu com ela no campeão, no entanto, o árbitro já tinha acordado e acabou o combate em DQ. Depois, apareceram Soultaker, Pegasus e Salvador para ajudar no “beatdown”, para aparecer Ricky, Blackheart Warrior e Seth para fazer o “save”. No fim, Bammer disse a Casanova que amanhã iriam ter novo combate, mas desta vez no interior de uma jaula. Bruno Brito é que fez um ar confiante e o espanhol um ar frustrado, e fiquei a pensar, ok, mas não deveria ser ao contrário? Afinal um vai ter mais uma oportunidade pelo Titulo Europeu e o outro mais uma oportunidade de o perder.




Bom espectáculo sem dúvida!
Os combates tiveram todos conceitos diferentes, houve um rácio mais ou menos equilibrado de “heels” e “faces” a sair por cima das respectivas contendas, pareceu-me um evento sólido que pôs água na boca ao público para ir ver o do dia seguinte. A produção também esteve muito boa com um sistema de luzes que fez parecer os lutadores autênticas estrelas, para quem só viu espectáculos em Portugal a partir de Dezembro de 2009 como eu, foi mesmo o espectáculo com melhor produção que já vi. O som e a organização do espectáculo à excepção do atraso do começo também esteve impecável.


---------------------------------------------------------

Minha página no Facebook

Mais uma vez, volto a fazer este pedido, por favor façam “Gosto” à minha página no Facebook, o objectivo é chegar aos 150 “Gostos”, e faltam cerca de 20.
É um local onde apresento alguns dos meus trabalhos, tanto em termos de wrestling, mas sobretudo em outras áreas como análises futebolísticas, algo que faço com alguma regularidade, sobretudo os jogos dos três grandes e da Selecção Nacional, mas também de alguns dos jogos mais importantes em outros campeonatos europeus.
Espero que colaborem, e agradeço a todos os que já aderiram à página!
Por favor, façam “Gosto”!

6 comentários:

  1. Hi David,
    your links are here:
    1) http://mediacalcio.blogspot.com/2009/09/siti-partner.html
    2) http://videoazzurri.blogspot.com/2010/07/partner.html

    Where are my links?

    Please reply me by http://videoazzurri.blogspot.com/2009/09/contatti.html

    Best Regards
    Mario Sorrentino

    ResponderEliminar
  2. aceita parceria? eu posto lá no PDR design:

    http://lldesign2011.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  3. LOOL, Era eu o rapaz da t-shirt do cm punk...manda vir pelo site da wwe, foi o que eu fiz

    ResponderEliminar
  4. Através de cartão de credito, mas tem que ser mesmo de crédito, porque só o cartão de crédito tem um código especial que eles pedem que está atras no cartão ou então tendo pay pal

    ResponderEliminar
  5. podes comprar na net usando um cartão de debito, através de MBNET. Lá, crias um cartão virtual com base no teu de debito, mas esse virtual funciona temporariamente como c.credito, e é te disponibilizado o tal codigo que o Diogo falou. cvv ou la como se chama.(codigo de 3 digitos da parte de tras)

    ResponderEliminar