quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Liga dos Campeões | Twente 1-1 Sporting



Independentemente de toda a sorte que tenha tido, ontem o Sporting viveu mais uma noite mágica na Holanda, a fazer lembrar os velhos tempos de Alkmaar.
A equipa portuguesa entrou muito mas muito mal no jogo e logo no primeiro minuto, na sequência de um canto pela esquerda, Douglas de cabeça salta mais alto que os centrais leoninos e coloca o Twente no comando da eliminatória.
Nos minutos que se seguiram os holandeses controlaram o jogo totalmente, tanto quando tinha a bola, quando não a tinham, já que não havia espaço para jogar, só se conseguia trocar a bola pela defesa e pelo meio-campo defensivo, e por vezes até pelas alas, mas a pressão do Twente era muito, muito forte. O Sporting mesmo assim estava a fazer uma exibição lastimável, sem motivação e com tudo a sair mal à equipa, até mesmo Liedson, que sempre me pareceu que era um jogador que não sabia jogar mal, estava a fazer uma péssima exibição.
Postiga esforçava-se, Yannick também tentava mas é muito fraco, Matias Fernandez estava sem espaço para fazer os seus passes e desmarcações decisivos, e as melhores unidades dos leões eram mesmo João Moutinho e Miguel Veloso, que vinham buscar jogo ao meio-campo defensivo e tentavam arranjar uma boa jogada, algo que não acontecia pois as linhas de passe nem existiam.
No segundo tempo, o Sporting não melhorou a atitude, Paulo Bento trocou a meu ver mal, "Matigol" por Pereirinha e deixou em campo um Yannick Djaló, que talvez com o corpo na Holanda e com a cabeça na Luciana Abreu, o máximo que conseguiu durante o jogo foram cantos e lançamentos de linha lateral.
No entanto, os leões, face ao recuo acentuado do Twente, jogavam agora em terrenos mais avançados, e diga-se de passagem que a vinda de Caicedo e Vukcevic ao jogo trouxeram aspectos positivos, especialmente a do primeiro, que foi dos poucos a ganhar bolas divididas, que foi capaz de impôr o seu corpo face aos adversários e que mesmo não primar pela qualidade técnica criou algumas oportunidades. As saídas para a entrada do equatoriano e do montenegrino, foram de Hélder Postiga e André Marques.
Apesar da exibição não ser boa, dos jornalistas da TVI já estarem a querer fazer o enterro ao Sporting e já muitos adeptos vestidos de vermelho estarem preparados para fazer a festa (alguns do Twente... e outros de um emblema português), Rui Patricio pede a Paulo Bento para subir à àrea na marcação de um pontapé de canto, e o guarda-redes cabeceia a bola que com um ligeiro desvio em Janssen acaba por entrar na baliza dos holandeses.
Estava feita a festa a verde e branca, contra tudo e contra todos, quase mesmo contra si mesma, já que sejamos honestos, o golo foi furtuito e apesar do recuo acentuado do Twente na segunda parte, não me parece que tenha sido justo, no entanto, futebol é assim. Pouco tempo depois, o árbitro apita e confirmou a presença do Sporting no "Play-Off" da Liga dos Campeões.
De salientar que para além da atitude defensiva dos holandeses, completamente legal, houve também algum anti-jogo, já que quando uma bola saía, não era colocada outra posta em jogo para o desafio prosseguir, algumas lesões arranjadas e vário tempo perdido em marcar bolas paradas.
Mas depois do golo do Sporting, e em jeito de vingança, os jogadores leoninos não saíam do circulo de meio-campo quando os holandeses tentavam recomeçar o jogo, perdendo-se ali alguns segundos preciosos.

O sorteio da UEFA vai-se realizar na próxima sexta-feira, e aí o Sporting conhecerá o seu novo adversário, com o qual lutará pelo acesso à fase de grupos da Liga Milionária.

Sem comentários:

Enviar um comentário